Seguir o O MINHO

Braga

Simulacro de atropelamento de peregrinos “choca” automobilistas na Póvoa de Lanhoso

em

Um simulacro estático de atropelamento de três peregrinos, a caminho de São Bento da Porta Aberta (Sãobentinho), teve durante a noite desta sexta-feira um grande impacto, junto dos automobilistas, na Póvoa de Lanhoso, atingindo o objetivo do Município da Póvoa de Lanhoso, da sua Proteção Civil Municipal, dos Bombeiros e da Guarda Nacional Republicana.

Os condutores e passageiros que circulavam pela Estrada Regional 310, que liga Póvoa de Lanhoso a Caldas das Taipas, inicialmente foram surpreendidos pelo cenário tétrico e ensanguentado de três alegados peregrinos, porque estavam neste “teatro de operações” muitos meios, humanos, materiais e de viaturas, das forças de socorro e salvamento e de segurança.

Foto: O MINHO

Foto: O MINHO

Foto: O MINHO

A ação de sensibilização intitulada “Peregrino Seguro”, traduziu-se num simulacro estático muito pouco comum, ainda para mais à noite, com as luzes das ambulâncias dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso e dos carros-patrulha da GNR, “resultando mesmo”, como se congratulou a O MINHO o vereador da Proteção Civil da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Ricardo Alves, acompanhado pelo coordenador concelhio da Proteção Civil, Pedro Dias.

“O nosso objetivo foi plenamente atingido, era o de consciencializar os automobilistas e os peregrinos em romagem até ao São Bento da Porta Aberta para os perigos de circularem pela faixa de rodagem”, segundo afirmou a O MINHO o autarca da Póvoa de Lanhoso, ainda no local do “triplo atropelamento”, na Estrada Regional 310, à entrada sul da vila, junto da antiga residência universitária.

O vereador Ricardo Alves, da Proteção Civil. Foto: O MINHO

Nesta ação de sensibilização participou também a Irmandade de São Bento da Porta Aberta e os Escuteiros da Póvoa de Lanhoso, sendo que o impacto foi reforçado pela necessidade da interrupção parcial do trânsito, na faixa de rodagem, no sentido de Caldas das Taipas para a Póvoa de Lanhoso, na chegada à vila sede de concelho, sofrendo um pequeno desvio.

Ricardo Alves com um graduado da GNR. Foto: O MINHO 

Escuteiros apoiam peregrinos

Apesar de ao contrário do concelho vizinho de Terras de Bouro, o Município da Póvoa de Lanhoso não ter qualquer tipo de receitas com o turismo religioso, incluído a hotelaria e a restauração, nas romarias ao Sãobentinho, os responsáveis políticos povoenses estão a multiplicar esforços concretos, no terreno, para facilitar a segurança na passagem dos grupos.

O comandante dos Bombeiros da Póvoa de Lanhoso, António Costa. Foto: O MINHO

Um agrupamento de escuteiros por fim de semana assegura o apoio aos peregrinos no local mais seguro, a localidade de Mirão, onde decorreu este simulacro estático, quer através do fornecimento de algum alimento ou bebida, quer ainda na realização de pequenos curativos ou massagens, atividade que é apoiada pela Irmandade de São Bento da Porta Aberta, enquanto a GNR também está no terreno e os Bombeiros, sempre em prontidão para prestar todos os socorros necessários.

O comandante dos Bombeiros, António Costa, com um dos seus adjuntos, Vítor Coelho
. Foto: O MINHO

A Estação de Apoio, também situada junto da antiga Residência Universitária da Póvoa de Lanhoso, começou a funcionar desde 15 de julho e continuará em pleno até 15 de agosto, mais concretamente às sextas-feiras das 22h00 às 03h00, de sábado, sendo que no dia seguinte, sábado, aquela estrutura opera igualmente, mas entre as 22h00 e as 03h00 de domingo.

Caminho alternativo é mais seguro

Mas o trabalho da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso já foi mais longe, com a criação de um caminho alternativo, para o São Bento da Porta Aberta, dando conta do apoio com que os peregrinos poderão contar, já este ano, desde agora, sempre, ao atravessarem o concelho povoense, evitando os perigos da Estrada Nacional 103 (Braga Montalegre/Chaves).

Foto: O MINHO

O vereador da Proteção Civil da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Ricardo Alves, confirmou que o itinerário, já completamente sinalizado, é mais seguro, pois desvia os peregrinos das estradas nacionais, tendo início em Santo Emilião e final em Serzedelo, num total de cerca de 18 quilómetros de extensão, que além do mais permitirá um contacto mais próximo e agradável com o território, havendo movimentações de romeiros nos últimos dias ao longo do novo itinerário.

Por outro lado, o papel dos peregrinos foi igualmente elogiado, já que ao percorrerem diversos quilómetros de caminho, são, muitas vezes, os primeiros a alertar as autoridades para o início dos fogos florestais, conforme revelou o comandante dos Bombeiros da Póvoa de Lanhoso, António Costa, responsável que participou no simulacro estático desta sexta-feira.

EM FOCO

Populares