Seguir o O MINHO

Guimarães

Sexta edição do Westway Lab reúne público e profissionais da música em Guimarães

Certame contará com um total de 29 concertos

em

Foto: West Lab

O sexto Westway Lab vai voltar a reunir em Guimarães, a partir de hoje, público e profissionais do setor da música ao longo de quatro dias, durante os quais se vão realizar concertos, residências artísticas e conferências.

Até sábado, o Centro Cultural Vila Flor vai receber atuações de nomes como Jacco Gardner (que tem a seu cargo a abertura do evento), Violetta Zironi, Julia Holter com Tashi Wada Group, entre outros, para além dos nacionais The Happy Mess, Vaarwell, Holy Nothing ou The Black Mamba.

Aquando da apresentação do evento, no final de março, o diretor artístico do festival, Rui Torrinha, disse que o certame contará com um total de 29 concertos e tem como objetivo “estender-se a toda a cidade”, sendo “um festival da cidade e do território”.

Segundo Rui Torrinha, este é um festival assente em três ‘P’: Processo (residências artísticas), Pensamento (conferências) e Produto (Concertos).

“Ao longo dos quatro dias do evento, a dimensão profissional do pensamento desta 6.ª edição alinha 14 conferências – incluindo os painéis anuais de agentes e festivais, este ano com o CMW – Canadian Music Week, o BIME – Bilbao Internacional Music Experience, que vem a Portugal para um anúncio especial com a WHY Portugal, e o Mastering the Music Business Bucareste”, lembra a organização em comunicado, acrescentando que também os festivais Eurosonic e o SXSW vão estar presentes.

Anúncio

Guimarães

Câmara de Guimarães manifesta pesar por morte de trabalhador em obra no Teatro Jordão

Vítima de 46 anos

em

Foto: DR/Arquivo

A Câmara Municipal de Guimarães manifestou hoje o “seu profundo pesar” pela morte, esta manhã, de um trabalhador de 46 anos no recinto das obras em curso de reabilitação do Teatro Jordão, refere a autarquia em comunicado.

“Desde já a Câmara Municipal de Guimarães apresenta as mais sentidas condolências e manifesta o apoio necessário à família da vítima”, lê-se numa nota enviada à Lusa.

Um homem morreu esta manhã num “acidente no recinto das obras de requalificação” do Teatro Jordão, em Guimarães, tendo o óbito sido declarado no local “depois de manobras” de reanimação, disse à Lusa fonte dos Bombeiros Voluntários.

Segundo a fonte, os Voluntários de Guimarães foram “acionados” pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga às 09:31.

Continuar a ler

Guimarães

Homem morre em “acidente no recinto das obras” no Teatro Jordão em Guimarães

Em Urgezes

em

Foto: DR

Um homem morreu esta manhã num “acidente no recinto das obras de requalificação” do Teatro Jordão, em Guimarães, tendo o óbito sido declarado no local “depois de manobras” de reanimação, disse à Lusa fonte dos Bombeiros Voluntários.

Segundo a mesma fonte, os Bombeiros Voluntários de Guimarães foram “acionados” pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga às 09:31.

“Foi-nos pedido que nos deslocássemos para o local com uma viatura de desencarceramento. Quando lá chegámos, estavam a ser feitas manobras de suporte avançado de vida pelo INEM, que já lá estava, mas o óbito acabou por ser declarado no local”, disse.

A vítima tinha 46 anos e, segundo a fonte, “o acidente terá envolvido algum veículo que terá atingido o homem”.

O Teatro Jordão, encerrado desde 1993, está a ser alvo de obras de reabilitação, pretendendo a autarquia instalar ali a escola de artes performativas e visuais da Universidade do Minho e a escola de música da Sociedade Musical de Guimarães, numa obra que está orçamentada em perto de doze milhões de euros.

 

Notícia atualizada às 16h07 com mais informações

Continuar a ler

Guimarães

Abertas as inscrições para o Banco de Terras de Guimarães

Incubadora de Base Rural

em

Foto: DR

A Câmara de Guimarães já abriu as inscrições para o Banco de Terras, onde proprietários podem arrendar ao município terrenos abandonados ou sem qualquer utilização, para serem depois subarrendados a quem queira criar negócio de base rural.

De acordo com a autarquia, as inscrições estão abertas até 31 de dezembro, com as candidaturas a serem disponibilizadas a partir do aviso de abertura.

Este Banco de Terras foi lançado através da Incubadora de Base Rural (IBR Guimarães), e, de acordo com a autarquia, é “um instrumento através do qual proprietários podem arrendar ao Município terrenos abandonados/sem utilização de que sejam detentores, para que este os subarrende a empreendedores com vontade em criar o seu próprio negócio de base rural”.

Em comunicado, a autarquia sublinha que “o Banco de Terras de Guimarães corporiza um conjunto de benefícios para o proprietário, na medida em que valoriza os seus terrenos com potencial agrícola ou florestal, tem garantia de renda por parte do Município de Guimarães, recebe o património fundiário no mesmo estado de uso ou ainda melhor do que o estado inicial e deixa de ter custos com a limpeza anual de vegetação, espécies arbustivas e manta morta”.

Continuar a ler

Populares