Seguir o O MINHO

Desporto

Sérgio Maciel entre os 5 melhores do mundo na maratona de canoagem sub-23

Atleta do Viana Garças Clube

em

Foto: Federação Portuguesa de Canoagem

Sérgio Maciel, canoísta natural de Viana do Castelo, terminou esta sexta-feira em 5.° lugar a prova de C1 sub-23 dos Mundiais de maratona de canoagem, disputados em Shaoxing, na China.

O atleta do Viana Garças Clube completou os 22,6 quilómetros da prova em 1:55.18,87, terminando a 4.02,87 minutos do ucraniano Denys Davydov (1:51.16 horas), o novo campeão do mundo, com o polaco Mateusz Borgiel (1:51.18,40) e o húngaro Daniel Laczo (1:52.15,67) a ocuparem o segundo e o terceiro lugares, respetivamente.

No que diz respeito a outros portugueses, Adriano Conceição (K1 sub-23) terminou em sexto, cumprindo os 26,2 quilómetros em 1:54.31,76 horas, a 2.42,20 minutos do novo campeão do mundo, o dinamarquês Mads Pedersen (1:51.49,56).

João Silva e Gonçalo Garcia terminaram em oitavo em K2 juniores, percorrendo os 22,6 quilómetros  em 1:35.44,97 horas, numa corrida vencida pelos húngaros Zsombor Ory e Tamas Erdelyi (1:32.29,11).

 

Anúncio

Futebol

Gil Vicente empata fora e não perde há quatro jogos

17.ª jornada da I Liga

em

Foto: Facebook de Gil Vicente FC

O Gil Vicente FC empatou, este domingo, no terreno do Paços de Ferreira, por 0-0, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

O Paços teve mais bola e iniciativa, terminando o jogo junto à área contrária, mas o Gil Vicente foi forte a defender e nunca deixou de explorar as transições, pelo que o empate premeia a vitória das defesas sobre os ataques.

Com este empate, o terceiro no histórico de confrontos entre as duas equipas na Capital do Móvel para o principal campeonato, o Paços isolou-se no 15.º lugar, com 16 pontos, enquanto o Gil Vicente é oitavo, com os mesmos 22 pontos do Vitória de Setúbal, que é nono.

Na antevisão ao jogo, Pepa tinha revelado o desejo do Paços de concluir a primeira volta com 18 pontos e a equipa entrou determinada a consegui-lo, jogando em velocidade e no último terço, remetendo o Gil à sua defesa.

As ações de Adriano Castanheira, aos três minutos, e João Amaral e Tanque a seguir, aos 13, com lances de finalização próximos da área de Denis, concorreram para explicar esta entrada forte no jogo dos locais, mas os gilistas souberam resistiram e, aos poucos, começaram a ter bola e a explorar as transições.

A formação de Barcelos domina os princípios básicos do jogo, não se sentindo desconfortável sem bola e consegue explorar bem as transições, quase sempre com Lourency em plano de evidência.

O extremo brasileiro trabalhou bem na esquerda aos 24 minutos e serviu o apagado Kraev, ao meio, mas o remate colocado e em jeito foi segurado por Ricardo Ribeiro, que, aos 36, ainda viu Sandro Lima passar por si, mas, para felicidade do Paços, rematou já com pouco ângulo e ao lado.

O Gil atacava menos, mas conseguia nesta fase ser mais perigoso, mas, perto do intervalo, numa das raras vezes em que o Paços conseguiu apanhar desprevenida defesa gilista, Hélder Ferreira cruzou atrasado da esquerda e Adriano Castanheira rematou às malhas laterais.

O segundo tempo acentuou-se a pressão e o domínio dos locais, destacando-se os dois remates aos ferros da baliza de Denis, protagonizados na sequência de lances de bola parada por Maracás (aos 59) e Tanque (71).

Até final, o Paços, sempre mais em esforço, conseguiu encostar o adversário à sua grande área, mas a defesa do Gil Vicente, como quase sempre aconteceu no jogo, acabou por resolver as situações e segurar um empate que acaba por se justificar.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira.

Paços de Ferreira – Gil Vicente, 0-0.

Equipas:

– Paços de Ferreira: Ricardo Ribeiro, Jorge Silva, Marco Baixinho, Maracás, Oleg, Stephen Eustáquio (Diaby, 61), Pedrinho, Adriano Castanheira, João Amaral (Welthon, 69), Hélder Ferreira (Uilton, 84) e Douglas Tanque.

(Suplentes: Simão Bertelli, Bruno Teles, Diaby, Vasco Rocha, Uilton, Murilo e Welthon).

Treinador: Pepa.

– Gil Vicente: Denis, Fernando Fonseca, Rodrigão, Rúben Fernandes, Henrique Gomes, Soares, Kraev (Baraye, 62), Claude Gonçalves, Naidji (Romário Baldé, 70), Sandro Lima e Lourency (João Afonso, 75).

(Suplentes: Wellington, Edwin Vente, João Afonso, Arthur Henrique, Ahmed Isaiah, Baraye e Romário Baldé).

Treinador: Vítor Oliveira.

Árbitro: Manuel Mota (AF Braga).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Maracás (24) e Claude Gonçalves (72).

Assistência: 2.711 espetadores.

(notícia atualizada às 17h45)

Continuar a ler

Desporto

Portugal perde com Islândia e fica mais longe das ‘meias’ do Europeu de Andebol

Contas complicadas na Noruega

em

Foto: Divulgação

A seleção portuguesa de andebol perdeu este domingo com a Islândia por 28-25, no segundo encontro do Grupo 2 da ronda principal do Euro2020, em Malmö, ficando mais longe do apuramento para as meias-finais.

Dois dias depois do histórico triunfo por 35-25 face à Suécia, a formação das ‘quinas’, que ao intervalo já perdia por 14-12, cedeu face a uma equipa que ainda não tinha pontuado nesta segunda fase da competição.

Na classificação, Portugal manteve-se com dois pontos, a dois de Noruega e Eslovénia, os mesmos de Hungria e Islândia e mais dois do que a Suécia, sendo que conta mais um jogo disputado, tal como os islandeses.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga, há 99 anos a levar o Minho à volta do mundo

Efeméride

em

Foto: Facebook de SC Braga

O presidente do SC Braga, António Salvador, disse este domingo que quer que 2020 seja um ano “histórico” para os ‘arsenalistas’, no dia da comemoração do 99.º aniversário do clube.

Na cerimónia do hastear da bandeira, na Cidade Desportiva do SC Braga, o líder dos minhotos deixou palavras de agradecimentos aos fundadores, aos sócios, funcionários e a treinadores e atletas que já representaram o clube.99

Considerando o momento como “especial e simbólico”, pela entrada no “último ano do primeiro século de vida do Sporting Clube de Braga”, António Salvador desejou que o “centésimo ano seja histórico”.

“É esse o meu compromisso, é essa a nossa obrigação”, disse.

Seguiu-se uma missa na capela do Cemitério de Monte d’Arcos e tradicional romagem às campas dos sócios fundadores.

A última cerimónia comemorativa de mais um aniversário dos minhotos realiza-se no auditório do Estádio Municipal de Braga, com a entrega dos emblemas de ouro e prata aos associados com 50 e 25 anos de filiação, respetivamente.

Continuar a ler

Populares