Seguir o O MINHO

Famalicão

Sérgio Gomes é o novo comandante dos Bombeiros de Famalicão

Pedro Alves cessou funções

em

Foto: Facebook de Bombeiros de Famalicão

Sérgio Paulo Pereira Gomes é o novo comandante do corpo dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Famalicão, anunciou a corporação.


Inicia funções a partir deste sábado na substituição do anterior comandante, António Pedro Moreira Alves, que cessou funções na sexta-feira.

Pedro Alves comandou a corporação famalicense ao longo de dois anos e três meses.

Sérgio Gomes, o novo comandante, exercia funções como adjunto de comando.

A cerimónia de apresentação pública do novo chefe de comando ainda não está marcada.

Anúncio

Ave

Famalicão inaugura ‘monobloco’ em dia de aniversário da cidade

Dia da Cidade

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, foi o cicerone da sessão solene do Dia da Cidade, que se realizou esta quinta-feira à tarde, na entrada principal do Parque da Devesa, junto à estação rodoviária.

O espaço, um dos grandes cartões de visita da cidade, passou a ser simbolicamente chamado de Praça da Cidadania e ostentará como elemento de homenagem aos famalicenses o símbolo do concelho e a palavra Famalicão em monobloco.

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Esta foi uma das formas que o município de Vila Nova de Famalicão encontrou para marcar o Dia da Cidade 2020, que se realizou realizou em circunstâncias muito especiais com uma grande homenagem coletiva do presidente ao território pela forma como Vila Nova de Famalicão soube reagir à pandemia da covid – 19.

“O que é justo este ano é medalhar todos os famalicenses”, disse o autarca aquando a apresentação da proposta para as comemorações do Dia da Cidade 2020.

“Os famalicenses deram e estão a dar uma resposta exemplar, não só ao nivel profissional – os profissionais da saúde, da segurança pública, os voluntários das corporações de bombeiros, mas também muitos profissionais de outras áreas, como a recolha do lixo, o setor alimentar, agricultores, indústrias e seus trabalhadores, transportadoras e seus motoristas de ligeiros e pesados, etc… -, mas também ao nível pessoal, pela forma como as pessoas souberam recolher-se ao confinamento familiar e sabem acatar as regras da DGS, ajudando desta forma a combater a propagação da covid 19”.

Continuar a ler

Ave

Despiste seguido de capotamento na A7 faz um ferido

Sentido Famalicão-Guimarães

em

Foto: Facebook de Bombeiros de Famalicão

Uma pessoa sofreu ferimentos na sequência de um despiste, seguido de capotamento, na Autoestrada n.º 7, em Famalicão, disse a O MINHO fonte do CDOS.

Por motivos que estão por apurar, a viatura terá entrado em despiste quando seguia no sentido Famalicão-Guimarães, ao quilómetro 28,7.

Para o local foi mobilizada uma ambulância de socorro dos Bombeiros de Famalicão, prestando primeira assistência à vítima, cuja idade não foi possível apurar.

O sinistrado foi transportado para uma unidade hospitalar por aquela corporação.

O alerta foi dado cerca das 13:30 horas.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Ave

Famalicão é cidade há 35 anos

Efeméride

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão

No dia 9 de Julho de 1985, a Assembleia da República elevou Vila Nova de Famalicão à categoria de cidade.

Na proposta levada a votação, Famalicão era apresentada como “uma das mais antigas povoações de Portugal”, lembrando que “teve carta de foral a 1 de julho de 1205, por D. Sancho I”.

Com 110.530 habitantes, o concelho apresentava em 1985 uma importância enorme no setor industrial, sublinha a autarquia numa publicação na página de Facebook.

Há 35 anos, só no núcleo urbano de Famalicão residiam “21.850 habitantes; 15.121 eleitores; um hospital permanente com 231 camas; 6 farmácias; duas corporações de bombeiros, duas casas de espetáculos; o centro cultural da Fundação Cupertino de Miranda; três biblioteca, seis instalações hoteleiras; nove estabelecimentos de ensino; 546 carreiras diárias urbanas e suburbanas; 33 táxis; uma estação de caminhos de ferro; quatro jardins ou parques públicos; com feira semanal e mercado diário; duas repartições de finanças e um estádio municipal.”

A proposta terminava referindo que “torna-se assim claro que a pretensão de Vila Nova de Famalicão passar a ter a categoria de cidade é um direito natural, já que se trata de a Assembleia da República reconhecer aquilo que Vila Nova de Famalicão é na realidade, ou seja, um grande centro urbano!”

Continuar a ler

Populares