Semibreve. Festival de música eletrónica de “nível europeu” com cartaz ambicioso

De 28 a 30 de Outubro, Braga volta a receber o festival que coloca a cidade no roteiro dos festivais de música electrónica europeus. A sexta edição do Semibreve reparte-se pelo Theatro Circo, pelo espaço GNRation e pela Casa Rolão, apresentando, segundo a organização, um cartaz ambicioso que explora o que de mais marcante e inovador vai sendo criado no vasto universo da música electrónica e da arte digital.

Nomes fortes como Tyondai Braxton, Kaitlyn Aurelia Smith, Oliver Coates e Nídia Minaj, actuam pela primeira vez a Portugal, juntando-se aos já conhecidos Andy Stott, Paul Jebanasam & Tarik Barri e Ron Morelli. O festival contará ainda com um vasto programa de instalações, entre as quais ‘Quintetto’ da autoria do colectivo italiano Quiet Ensemble e ‘Growing Verse’ de Junya Oikawa, artista japonês vencedor do EDIGMA Semibreve Award, um prémio que visa estimular a criação artística digital, que este ano dedicou especial atenção a projectos artísticos que recorram à interactividade, ao som e à imagem, contando com supervisão do engage lab da Universidade do Minho.

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001820

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, depois de apresentada mais uma edição dos Encontros da Imagem, de se aproximar o Festival para Gente Sentada, assim como mais uma edição da Braga Barroca, o Semibreve vem comprovar que a Cidade “vive uma ‘rentrée’ cultural de luxo, que demonstra o eclectismo existente em Braga, a vitalidade das nossas instituições e a diversidade e ambição das muitas iniciativas que não são apenas referências para Braga, mas sim para o País e até mesmo a nível internacional”.

Durante a apresentação do Semibreve, que decorreu esta sexta-feira, 09 de setembro, no Theatro Circo, o autarca referiu que este festival “é um extraordinário exemplo da enorme qualidade e arrojo das iniciativas que Braga desenvolve”, sendo mesmo “um desafio ao encontro de um percurso cultural alternativo, que potencia o interesse dos Bracarenses para algo fora do que é considerado como tradicional”.

Para Ricardo Rio, são iniciativas como o Semibreve que reforçam a candidatura de Braga a cidade criativa da UNESCO no campo das Media Arts. “Não é por acaso escolhemos as Media Arts para esta candidatura. Esta é uma área onde os desafios à criatividade e à inovação dos Municípios são mais exigentes, mas é também a forma de enaltecer a ligação entre as múltiplas dimensões de uma Braga cultural, com a dimensão económica de uma Braga tecnológica com base no seu tecido empresarial”, sublinhou.

A ligação a Braga e aos bracarenses está bem patente nesta edição do Semibreve que vai contemplar a cidade com um espectáculo – aberto ao público – de música contemporânea protagonizado pela norte-americana Christina Vantzou. O concerto terá lugar na Capela Imaculada do Seminário Menor na tarde de sábado, dia 29.

O Semibreve, cujos passes gerais já se encontram esgotados, restando apenas alguns bilhetes diários para as salas individuais, é organizado pela AUAUFEIOMAU com o apoio do Município de Braga e da Fundação Bracara Augusta, e afirma-se como um evento incontornável no panorama da música electrónica nacional e internacional, proporcionando espectáculos de alguns dos artistas mais relevantes da actualidade no domínio da música electrónica e contribui para a divulgação de produção científica no campo das artes digitais produzida por instituições de referência, tais como a Universidade do Minho, Universidade do Porto, Universidade Católica, Fundação Bienal de Cerveira e Digitópia/Casa da Música.

logo Facebook Fique a par das Últimas Notícias. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Fogo em Esposende mantém duas frentes ativas mas não há casas em risco

Próximo Artigo

Morreu militar dos comandos de Ponte de Lima

Artigos Relacionados
x