Seguir o O MINHO

Desporto

Seleção de surf adaptado prepara Europeu em Viana: “Temos hipótese de conquistar medalhas”

1.º Campeonato Europeu de Surf Adaptado realiza-se em Viana do Castelo, em maio

em

Foto: Divulgação

A Seleção Nacional de Surf Adaptado realizou, de 01 a 03 de abril, no Centro de alto Rendimento de Surf de Viana (CAR Surf), um estágio de preparação a pensar no 1.º Campeonato Europeu de Surf Adaptado EuroSurf Adaptive”, que terá lugar de 20 a 26 de maio próximo, na praia do Cabedelo, em Viana do Castelo.

Para João Aranha, presidente da Federação Portuguesa de Surf (FPS), este foi um estágio extremamente positivo para a evolução dos atletas que irão representar Portugal: Marta Paço, Nuno Vitorino, Camilo Abdula e Nuno Maltêz.

Foto: Divulgação

“O nível dos atletas subiu muitos nos últimos tempos. Têm feito um grande esforço para evoluir”, refere João Aranha, citado numa nota enviada a O MINHO, acrescentando: “a nossa equipa é reduzida em relação às outras. Mas, apesar de estarmos em desvantagem numérica, em termos individuais, temos hipótese de conquistar medalhas”.

Para o presidente da FPS, o grande objetivo traçado para este campeonato é “levar o surf adaptado mais longe”.

Foto: Divulgação

Segundo aquela nota, durante o estágio, as condições de mar estiveram perfeitas e o CAR Surf de Viana demonstrou, mais uma vez, ser a estrutura logística perfeita para acolher esta modalidade.

Da equipa do SCV, participaram nesta preparação a atleta Marta Paço, cega de nascença, e o treinador Gonçalo Cruz.

Recorde-se que a vianense Marta Paço, com apenas 13 anos, fez história no ISA World Adaptive Surfing Championship 2018, na Califórnia, em dezembro do ano passado. Além de ter sido a atleta mais jovem da competição, sagrou-se a primeira portuguesa a conquistar uma medalha de bronze numa prova mundial de surf adaptado.

Foto: Divulgação

O EuroSurf Adaptive 2019 é organizado pelo Surf Clube de Viana, com o apoio da Federação Europeia de Surf, da FPS, da Câmara Municipal de Viana do Castelo e do Instituto Português do Desporto e Juventude.

Anúncio

Desporto

Mariana Machado chega às medalhas “com o coração” e deixa recado: “Não há só futebol”

Atleta pede maior acompanhamento das modalidades

em

Foto: Redes sociais

Mariana Machada, atleta do SC Braga, conquistou hoje a medalha de bronze nos europeus de corta-mato e assumiu que se deixou levar pela emoção nos metros finais da prova que decorreu em Lisboa.

“Tenho de admitir que fui para a frente levada pela emoção. Queria chegar em primeiro e sentir o público a chamar por mim. Deixei-me levar pela emoção e pelo ambiente. Quando as outras atletas atacaram, ressenti-me, as pernas estavam cansadas, e os últimos metros foram com o coração”, disse a atleta lusa, que chegou a liderar a prova no Parque da Bela Vista.

Ainda assim, a atleta de 19 anos, mostrou-se muito contente pelo resultado alcançado e garantiu que é consequência de muito trabalho.

“Não vou mentir, estava à espera de medalha. Estava em boa forma para a conseguir e foi a de bronze. Gostava de ter conseguido ouro ou prata, mas é mesmo assim. Estou satisfeita, porque consegui o meu grande objetivo, que era conseguir uma medalha. Foi uma medalha para a qual lutei muito e treinei bastante”, disse a jovem atleta.

Sobre o percurso bastante acidentado e pesado, depois de uma noite de chuva na capital lisboeta, Mariana Machado revelou que não é o seu tipo de terreno preferido, mas tirou vantagem da preparação específica que fez.

“Sou uma atleta mais rápida, mais de pista, e assumo que ter conhecimento do percurso foi uma vantagem, pois pude treinar para este tipo de percurso e fizemos muito trabalho técnico”, afirmou a bracarense.

Sobre o futuro, a filha de Albertina Machado, antiga atleta lusa, diz que levar uma medalha dos Europeus de corta-mato é um “incentivo” e pediu mais apoio aos clubes.

“Qualquer medalha é um incentivo, porque sabemos o quão difícil é conseguir este resultado e o quanto temos de trabalhar diariamente. Eu sei que os portugueses não sabem isso, mas a verdade é que trabalhamos mesmo muito, e para ganhar uma medalha destas temos de treinar muito, abdicar da vida pessoal, social e familiar. É preciso mais apoio dos clubes”, concluiu a também estudante de medicina, depois de assumir que tem sido “difícil” conciliar a vida académica com a carreira no atletismo.

A jovem deixou ainda o apelo para que os portugueses acompanhem mais as modalidades, afirmando mesmo que “não há só futebol” em Portugal.

Mariana Machado foi terceira classificada da prova de sub-20 dos Europeus de corta-mato, conquistando a medalha de bronze, com o tempo de 14.09,42 minutos.

Continuar a ler

Desporto

Cinco atletas de Guimarães vencem ouro no Mundial de Judo para Síndrome de Down

Atletas da CERCIGUI

em

Foto: Divulgação

Nelson Silva (-55Kg), Susana Castro (-70Kg), Carlos Alves (+90Kg), Paulo Jorge Lemos (-90Kg) e Susana Bassilisa (+70Kg) são os cinco atletas da CERCIGUI que se sagraram, em novembro, campeões mundiais de Judo adaptado a Síndrome de Down.

Para além das cinco medalhas de ouro, aquela instituição arrebatou ainda três medalhas e uma de bronze, no torneio que decorreu em Caldas das Taipas, no concelho de Guimarães. Para além de Portugal, estiveram presentes atletas da Suécia, Polonia, Turquia, Croacia, Roménia e Turquemenequistão.

Em comunicado enviado a O MINHO, fonte da CERCIGUI explica que a seleção nacional apresentou-se com 21 atletas masculinos e femininos, doze deles da instituição vimaranense. Os atletas portugueses conquistaram, ao todo, 16 medalhas, com nove de ouro.

Continuar a ler

Atletismo

Mariana Machado medalha de bronze nos Europeus de Crosse

Em sub-20

em

Foto: FPA

Mariana Machado ganhou este domingo o bronze na corrida feminina de sub-20 dos campeonatos da Europa de corta-mato, no Parque da Bela Vista, em Lisboa.

A jovem de 19 anos, filha da fundista olímpica Albertina Machado, fez a prova em 14 minutos e dez segundos, atrás da italiana Nadia Battocleti (que revalidou o título) e da eslovena Klara Lukan.

A atleta bracarense chegou a liderar a corrida na última volta, gastou mais 12 segundos do que Battocletti.

Colectivamente, Portugal foi quinto, sendo o pódio composto por Itália, Grã-Bretanha e França.

Nos homens o melhor atleta português dos sub-20 foi Etson Barros, que concluiu no quarto lugar.

O norueguês Jakob Ingerbritsen confirmou o favoritismo, conseguindo o seu quarto título continental no escalão, um inédito “tetra”, numa corrida que fez isolado a partir do meio do percurso e ganhou em 18.20 minutos.

O pódio foi completado pelo turco Ayetullah Aslanhan (segundo, em 18.58 minutos) e o irlandês Efrem Gidey (terceiro, em 19.01).

Etson Barros chegou a 45 segundos, liderando uma equipa lusa que também finalizou em quarto colectivamente, com 39 pontos, os mesmos da Irlanda, terceira, e mais um do que a Noruega, segunda. A Grã-Bretanha triunfou, com 25.

Continuar a ler

Populares