Seguir o O MINHO

Futebol

Novo reforço do Gil Vicente pode estar mesmo aqui ao lado

Titular do Moreirense nas últimas duas épocas, Arsénio é de Esposende

em

Arsénio regressou a Portugal em 2017, após dois anos a jogar no campeonato da Bulgária (à esquerda). Foto: DR

Arsénio, que nas últimas duas temporadas representou o Moreirense, depois de dois ano a jogar na Bulgária, deverá ser o segundo reforço do Gil Vicente para a nova época, que marca o regresso do clube de Barcelos à I Liga.

O extremo-direto de Esposende, de 29 anos, que em 2018/2019 jogou 30 jogos no campeonato, pode assim juntar-se a Rúben Fernandes, defesa-central de 33 anos que foi apresentado na segunda-feira, proveniente do Portimonense.

Gil Vicente apresenta primeiro reforço no regresso à I Liga

Segundo o jornal A BOLA, Léo Navacchio, guarda-redes suplente de 26 anos, que trabalhou, também no Portimonense, com o novo treinador dos gilistas, Vítor Oliveira, é o desejado para a baliza.

Anúncio

Futebol

Gil Vicente “teve um ano para formar o seu plantel”

Lito Vidigal

em

Lito Vidigal. Foto: Arquivo

O treinador da equipa de futebol do Boavista considerou este sábado que o Gil Vicente “tem vantagem sobre as outras equipas, porque teve um ano para formar o seu plantel” e as outras “um mês, um mês e meio”.

Lito Vidigal proferiu esta declaração quando fazia a antevisão do encontro que oporá a sua equipa à dos gilistas, no domingo, no Estádio Cidade do Barcelos, pelas 15:50, para a sexta ronda da I Liga portuguesa de futebol.

O técnico respondeu dessa forma após ser instado a caracterizar o próximo adversário dos ‘axadrezados’, algo que nunca faz e também não fez desta vez, ficando-se pela afirmação de que se trata de uma equipa “forte e “bem orientada”.

“Eu, ao contrário do que a maioria das pessoas têm vindo a dizer, acho que Gil Vicente deste ano tem vantagens sobre as outras equipas, porque teve um ano para formar o seu plantel e todas as outras equipas tiverem um mês, um mês e meio”, disse Lito Vidigal, em resposta a essa pergunta.

O treinador completou a sua tese afirmando que “o Gil Vicente já sabia de antemão que ia estar na I Liga e teve um ano inteiro para preparar o seu plantel e escolher os seus jogadores”, pelo que “nesse sentido leva vantagem, ao contrário do que se vem dizendo”.

Os gilistas disputaram o Campeonato de Portugal na época passada e regressaram este ano à I Liga, 13 anos depois de terem sido excluídos da I Liga devido ao ‘caso Mateus’, tendo contratado um novo treinador, Vítor Oliveira, e 23 jogadores.

Para Lito Vidigal, contudo, “são poucos os treinadores que têm autonomia total para escolher os reforços”.

“No Benfica, no Sporting, no FC Porto, vão dando opinião, mas na maior parte dos clubes são as estruturas que escolhem os jogadores. Claro que o treinador tem uma palavra a dizer e é importante, mas já não é como antigamente”, prosseguiu.

O Boavista ainda não perdeu no campeonato, o Gil Vicente ainda não perdeu em casa e o técnico ‘axadrezado’ comentou estes factos dizendo que a sua equipa parte sempre para os jogos com a ideia de os ganhar, seja qual for o opositor.

“É um jogo difícil, contra um adversário forte e bem orientado, mas a nossa intenção é ir competir pensando sempre na vitória”, afirmou, declarando-se “contente com a atitude dos jogadores, principalmente com os que têm jogado menos, porque têm trabalhado de forma séria e têm feito com que os jogam mais evoluam também”.

O Boavista recebeu e empatou a um golo como Sporting na jornada anterior, mantendo assim um registo positivo, que já vem da temporada passada, e Lito Vidigal afirmou que a equipa tem de “trabalhar sempre” para ser melhor amanhã do que é hoje.

“Vamos trabalhar muito para vencer este jogo também”, acrescentou, negando ainda qualquer sentimento de euforia no plantel devido aos bons resultados.

O treinador lembrou “as dificuldades” sentidas na época transata e salientou que “o objetivo vai ser alcançado com 35 pontos”.

“Para vencermos [o Gil Vicente], temos de ser muito organizados, ambiciosos e competitivos”, reforçou.

O Boavista, quarto classificado, com nove pontos, desloca-se a Barcelos no domingo, para defrontar o Gil Vicente, 13.º, com cinco, num jogo da sexta jornada da I Liga marcada para as 15:30.

Continuar a ler

Futebol

Tondela quer vencer Vitória “pelo cansaço”

Treinador do Tondela fala em cansaço da Liga Europa

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador Natxo González afirmou este sábado que o Tondela vai tentar incomodar, para vencer pelo cansaço, o Vitória, que jogou quinta-feira para a Liga Europa, em jogo da sexta jornada da I Liga de futebol.

“Eles compensam e podem trocar os jogadores, porque têm muitos, e bons jogadores. Nós temos de tratar que não seja uma partida fácil para eles e, provocando o adversário, ele pode acusar algum cansaço”, adiantou.

Ainda assim, Natxo González admitiu que o Vitória “tem uma equipa muito compensada, com muitos jogadores de nível e competência” e, por isso, acredita que “pode vir uma equipa diferente, com muitos jogadores diferentes”.

“O objetivo é fazer jogo intenso, para provocar cansaço no adversário”, frisou o técnico, em conferência de imprensa, classificando o adversário como um “rival poderoso”.

Na quinta-feira, o Vitória de Guimarães perdeu por 2-0 o reduto dos belgas do Standard Liège, em encontro da primeira jornada do Grupo F da Liga Europa, mas o Natxo González sabe que vai enfrentar um oponente de grande qualidade.

“É uma equipa muito importante, com muita história, um rival poderoso nesta I Liga. Isso motiva-nos mais e é um desafio para nós, pela capacidade que podemos ter para poder ganhar”, admitiu.

Natxo González sabe que o Tondela “tem feito melhores resultados fora do que em casa”, mas afirmou que ambiciona “poder ganhar sempre e, em especial, depois de uma vitória fora”.

“Vamos ampliar todas as nossas forças, para poder acompanhar o futebol e ter possibilidade de ganhar e dar uma vitória aos nossos adeptos, que estão ansiosos por nos ver ganhar em casa”, prometeu.

Após cinco jornadas, o Tondela segue na melhor posição de sempre na tabela desde que chegou à I Liga, o sexto lugar, mas isso não é motivo para “grandes emoções”, apesar de reconhecer que “é mais fácil somando pontos”, até porque pode “fortalecer e dar confiança”, de forma a que a equipa seja “mais valente e atrevida para fazer mais do que já está a fazer”.

“Estamos a fazer coisas muito boas, mas temos muito para melhorar. Estamos numa fase boa, mas temos de tentar prolongar esta fase. É a sexta jornada, há um caminho longo pela frente, e teremos muita margem para continuar a melhorar”, disse.

O Tondela, sexto colocado, com oito pontos, e o Vitória, em 10.º, com seis, defrontam-se no domingo, a partir das 18:00, no Estádio João Cardoso, em Tondela.

Continuar a ler

Futebol

Ivo Vieira quer Vitória a “controlar e vencer” o Tondela

6.ª jornada da I Liga

em

Foto: Twitter

O treinador Ivo Vieira afirmou este sábado que o Vitória Sport Clube (SC) quer “controlar e vencer” o jogo com o Tondela, formação que espera “competitiva” e “bem organizada”, para a sexta jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Após a derrota europeia com os belgas do Standard Liège (2-0), na quinta-feira, a turma de Guimarães, 10.ª classificada da I Liga, com seis pontos, quer alcançar o segundo triunfo no campeonato em Tondela, domingo, mas o técnico avisou que o opositor, sexto, com oito pontos, sete deles amealhados fora de casa, está “motivado”.

“O grande objetivo é amealhar os três pontos, fundamentais. Do outro lado, temos uma equipa competitiva, bem organizada, que, nos jogos fora, tem dado uma resposta muito positiva em termos de resultados e de golos obtidos. Em casa, não tem sido tão forte. Queremos controlar o jogo a todo o custo e marcar mais golos do que o Tondela”, realçou, na antevisão à partida.

A equipa beirã, acrescentou Ivo Vieira, tem potencial para “criar imensos problemas” à sua equipa, tanto “na organização ofensiva, como nas transições”, por ter “jogadores rápidos e muito técnicos”, mas prometeu uma equipa disposta a “combater” esses atributos, para “tirar vantagem do jogo”.

Com dois dias para preparar o jogo, o ‘timoneiro’ dos vimaranenses admitiu que o ‘onze’ apresentado na Bélgica vai ser alterado, já que o plantel conta com jogadores sempre a trabalhar “à procura de espaço”, um esforço que merece “ser recompensado de forma justa”, desde que isso “não crie desequilíbrios na equipa”.

Ivo Vieira afirmou que os treinos de sexta-feira e da manhã de hoje visaram, sobretudo, a recuperação física de vários dos elementos do plantel, mas recusou desculpar um eventual resultado negativo em Tondela com a “falta de tempo para preparar os jogos”.

“É fácil proteger-me em relação ao ‘timing’, mas não vou entrar nessa linha, porque quero ser mais competente, crescer como treinador e ser melhor a cada dia. Se nós, treinadores, pedimos para jogar mais, então temos de ter a capacidade para nos adaptarmos e dar respostas positivas”, defendeu.

Questionado sobre a necessidade de maior concentração na equipa, face aos golos sofridos por erros individuais nos últimos dois jogos – Desportivo das Aves (triunfo por 5-1) e Liège -, o técnico reiterou que, por vezes, “os melhores cometem erros”, tendo assumido a responsabilidade por esses golos.

“Para haver um golo, tem de haver sempre um comportamento menos adequado de quem defende e mérito de quem ataca. Só há aqui um responsável: sou eu. Eu é que passo aos jogadores o jogo que pretendo e que acredito em que eles vão ser mais competitivos”, salientou.

O Vitória SC, 10.º classificado, com seis pontos, defronta o Tondela, sexto, com oito, em partida agendada para as 18:00 de domingo, no Estádio João Cardoso, em Tondela.

Continuar a ler

Populares