Seguir o O MINHO

Alto Minho

Secretária de Estado percorreu 9 quilómetros da Ecopista do Rio Minho em bicicleta

De Monção a Valença

em

Foto: CM Monção

A secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, esteve esta manhã pelo Alto Minho, onde efetuou um percurso de nove quilómetros em bicicleta elétrica através da Ecopista do Rio Minho.

Esta visita ocorreu a propósito da apresentação e lançamento de dez concursos para atribuição de direitos de subconcessão de 12 imóveis do domínio publico ferroviário, ao abrigo do Fundo Revive Natureza, realizada na Estação de Ganfei, em Valença. Anteriormente, a governante visitou, esta manhã, o Apeadeiro da Senhora da Cabeça, em Cortes, Monção.

Citado em comunicado, António Barbosa, presidente da Câmara de Monção, abordou com Rita Marques os projetos turísticos do município, tendo sublinhado um “papel dinamizador no plano ambiental e económico”.

Foto: CM Monção

Já para o presidente da Câmara de Valença, José Manuel Carpinteira, a requalificação dos apeadeiros “é uma excelente notícia para a recuperação de património ferroviário emblemático devoluto há três décadas e para a potencialização da Ecopista do Rio Minho, uma das melhores vias verdes da Europa”.

Após brinde de Alvarinho, acompanhado pela Rosca de Monção, os presentes fizeram o percurso até à Estação de Ganfei, em Valença, a cerca de 9 quilómetros.

Foto: CM Valença

Requalificação de imóveis públicos devolutos

O Fundo Revive Natureza, criado através do Decreto-Lei nº161/2019, de 25 de outubro, visa a requalificação e valorização de imóveis públicos devolutos, com o objetivo de incutir-lhes uma nova atribuição que, por um lado, beneficiem as comunidades locais e, por outro, atraiam novos visitantes.

O fundo é participado pelo Estado Português, representado pela Direção Geral de Tesouro e Finanças, pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, I.P. e pelo Turismo de Portugal, I.P. Tem como objetivo geral a sustentabilidade dos territórios nas vertentes ambiental, social e económica.

Os concursos, apresentados esta terça-feira e com um prazo de conclusão de 120 dias, colocam à exploração, com fins turísticos e atividades conexas, as antigas estações de comboios de Freixo de Espada à Cinta, Mogadouro, Variz, Bruçó, Vilar de Rei, Urrós, Moncorvo, Fonte do Prado, Ganfei, Senhora da Cabeça, Carvalhal e Felgar.

EM FOCO

Populares