Redes Sociais

Braga

Secretária de Estado do Ensino Superior abre congresso na UMinho

 a

Junta 300 docentes dos mais diversos domínios científicos para “partilhar e discutir inovações e práticas de ensino-aprendizagem nas universidades e nos politécnicos do país”. A secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo, abre o Congresso Nacional de Práticas Pedagógicas no Ensino Superior (CNAPPES), que decorre esta quinta e sexta-feira, dias 12 e 13 na Universidade do Minho, em Braga.

A Reitoria adiantou que o Congresso inclui 200 comunicações orais e por póster “dedicadas ao desenvolvimento curricular e inovação institucional, ao uso de tecnologias na sala de aula, a experiências de ensino-aprendizagem em disciplinas específicas e outros projetos, ao aperfeiçoamento de competências transversais, modelos pedagógicos e de avaliação, formação de professores e investigação em práticas  pedagógicas, entre outros temas.

Estão também previstos workshops sobre como ensinar turmas grandes”, envolve, ainda, assuntos como os da adoção de metodologias de coaching na orientação de dissertações de 2º e 3º ciclos, a gestão de trabalhos de grupo, o projeto “Tutorias por pares e mentorias UMinho”, o programa Ludus e a implementação de processos de aprendizagem baseada em projetos. O CNAPPES conta com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento.

A sessão de abertura é na quinta-feira, às 14:00, no auditório A1 do campus de Gualtar, com a presença do reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, do vereador da Câmara Municipal de Braga, Miguel Bandeira, além de Maria Fernanda Rollo. Segue-se a palestra “Pedagogia universitária: E agora?”, a cargo de António Nóvoa, professor  catedrático do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, da qual foi reitor entre 2006 e 2013.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

As imagens de uma bonita homenagem à professora Alice Torres, bracarense de “mérito e excelência”

Filme com imagens de algumas memórias de uma vida dedicada ao Desporto exibido antes de Maria Alice Torres ter recebido o Prémio Mérito Excelência, na V Gala do Desporto, no Altice Forum Braga. Imagens: Município de Braga

Publicado

 a

Maria Alice Torres foi esta segunda-feira, 22 de outubro, distinguida com o Prémio Mérito e Excelência, atribuído pelo Município de Braga, durante a V Gala do Desporto.

Na cerimónia, que decorreu no novo Altice Forum Braga, antes da Vereadora do Desporto, Sameiro Araújo, ter entregado a distinção a esta personalidade da história do desporto bracarense, foi exibido um filme com imagens de algumas memórias de uma vida dedicada ao Desporto.

Prémio Mérito e Excelência: Maria Alice Torres, uma vida dedicada ao Desporto

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Braga

“Braga avança enquanto o país parou”

Hugo Soares elogia trabalho do município e critica “sobrevivência” de António Costa.

Publicado

 a

Hugo Soares. Foto: DR

O líder da concelhia de Braga do Partido Social Democrata (PSD), Hugo Soares, elogiou esta sexta-feira o trabalho da autarquia da capital do Minho, “uma cidade aberta ao futuro com um executivo municipal a cumprir os seus compromissos eleitorais”, em contraponto com o que se passa no país, que, para o também deputado, “parou no tempo” à espera que António Costa se “aguentasse como primeiro-ministro”.

O ex-líder da bancada do PSD na Assembleia da República falava no plenário dos militantes da secção de Braga, que se realizou, como é habitual, no Hotel Mercure, na cidade minhota, durante a análise da situação política local e nacional, que tem lugar no início da reunião.

Plenário da passada sexta-feira. Foto: DR

Sobre o panorama da política local, Hugo Soares explicou que o PSD Braga tem “acompanhado com satisfação” o trabalho da Câmara Municipal, liderada por Ricardo Rio.

“Aquilo que nos propusemos nas eleições de 2013 e que reconduzimos no programa eleitoral de 2017 tem sido amplamente cumprido pelo nosso presidente da Câmara e pelo executivo que apoiamos. É justo dizer que a Câmara Municipal conseguiu concretizar um conjunto de intervenções que Braga há muito almejava e que foram de resto lançadas no mandato anterior”, disse, referindo-se à recuperação do antigo Parque de Exposições de Braga (PEB), que deu lugar ao renovado Altice FORUM Braga, como uma obra “capaz de captar investimento e um conjunto de grandes eventos”, à recuperação do Parque Desportivo da Rodovia, ao lançamento das obras no mercado municipal, bem como a outras concretizações ao nível social, cultural, ambiental e desportivo.

Sobre o caso da antiga fábrica Confiança, o líder concelhio pôs-se ao lado daquilo que tem sido a posição da autarquia, que aprovou a venda em hasta pública do imóvel por cerca de quatro milhões de euros.

“A posição que o município assumiu é uma posição legitimada do ponto de vista eleitoral. Quando nos propusemos a ir a eleições dissemos que íamos estudar a possibilidade de alienar o edifício da fábrica Confiança assim não houvesse possibilidade de a recuperar socorrendo-nos a fundos estruturais europeus. A verdade é que se veio a verificar que esses fundos não existiam, que não vêm a existir num futuro próximo, e a Câmara Municipal decidiu alienar, salvaguardando aquilo que é o património histórico e cultural daquele espaço”, referiu, explicando que está previsto, para quem comprar, um caderno de encargos exigente.

Recorde-se que em cima da mesa estão um conjunto de restrições sobre intervenção que ali será concretizada. O espaço não pode ser utilizado para fim comercial e deverá ter pelo menos 500 m2 de espaço aberto ao público, com o objetivo de preservar a memória da fábrica Confiança.

Sobre a situação política nacional, Hugo Soares considera que o país “parou no tempo” à espera que António Costa se aguentasse como primeiro-ministro para poder chegar ao fim da legislatura e voltar a ser candidato.

“Se entendermos a que consolidação das contas públicas que o governo se orgulha é feita à custa da míngua dos serviços públicos, do sistema de educação, da justiça, da proteção civil, e sobretudo do Serviço Nacional de Saúde, facilmente percebemos que – ironia das ironias – é mesmo um governo das esquerdas, do PCP, do BE e do PS, que está a destruir o SNS, o que nos leva a dizer que Portugal parou no tempo”, defendeu.

Um Ano após as Autárquicas/ Balanço: Forum Braga apontado como “o momento marcante” para a cidade

Durante a reunião de militantes, foi ainda aprovado, por unanimidade, um Voto de Louvor ao executivo municipal liderado por Ricardo Rio, que foi apresentado pelo militante Rui Pereira, pelo trabalho levado a cabo pelo autarca, passado que está o primeiro ano do seu segundo mandato.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Braga

Nos 26 anos da SIC ouviu-se um “eu ‘bim’ de Braga”

O artista João Seabra, natural da Sé, freguesia do Porto, veio estudar para a Universidade do Minho, em Braga, e ficou. Mora na cidade desde 1990.

Publicado

 a

Francisco Menezes, João Seabra, Nilton, Aldo Lima, Marco Horácio e Fernando Rocha. Foto: Divulgação / SIC

Em fim de semana de aniversário, a SIC organizou e transmitiu uma edição especial do “Levanta-te e Ri”, um dos programas mais populares da história dos 26 anos da estação televisiva, que foi emitido entre 2003, há 15 anos, e 2006, num total de mais de 125 episódios.

Entre os quatro artistas de stand-up comedy convidados, não faltou João Seabra, o humorista que popularizou a expressão “Eu ‘bim’ de Braga”, com a qual começava as suas participações naquele programa, transmitido, habitualmente em direto, todas as segundas-feiras à noite, no qual participou 44 vezes, um número recorde entre os humoristas convidados – Marco Horácio, apresentador, e Fernando Rocha, que fechava os espetáculos, tinham lugar cativo.


“João Seabra dá a conhecer o ‘abre nádegas’ o sucesso do próximo verão”. Vídeo: SIC

No domingo, 07 de outubro, João Seabra foi o penúltimo a subir ao palco, imediatamente antes de Fernando Rocha, que tem posição fixa no alinhamento. Antes, o popular humorista Nilton, de Lisboa, Francisco Menezes, do Porto, e Aldo Lima, de Ílhavo, já tinham animado o público com bons momentos de stand-up.


“Vocês sabem o que é que as mulheres querem?! João Seabra explica”. Vídeo: SIC

Neste espetáculo especial, transmitido a partir do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, estiveram presentes várias caras conhecidas dos ecrãs da SIC, SIC Notícias, SIC Mulher e SIC Radical, numa noite de saudosismo, onde não faltaram, também, os momentos cómicos do apresentador Marco Horácio e dos Agente Simões e Rouxionol Faduncho, personagens que ali popularizou ao longo dos anos.

Artistas que habitualmente participavam no programa, como Jorge Mourato, Quim Roscas e Zeca Estacionâncio, Hugo Sousa e Jorge Serafim, deixaram mensagens gravadas que foram transmitidas ao longo da emissão, cujos vários momentos estão reunidos no site da SIC.

 

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares