Seguir o O MINHO

Desporto

SC Braga vence o Feirense e mantém o quarto lugar

em

Foto: Divulgação

O SC Braga manteve esta segunda-feira o quarto lugar da I Liga portuguesa de futebol, depois de vencer em casa o Feirense, por 3-1, em jogo da 12.ª jornada.


O brasileiro Bruno Viana (10 minutos) e o português Paulinho (36 e 38) marcaram os golos dos bracarenses, com o nigeriano Etebo (45+2) a reduzir para o Feirense, que sofreu a terceira derrota consecutiva no campeonato e a sétima nos últimos oito encontros na prova.

O SC Braga, que somou o sétimo jogo consecutivo sem perder na I Liga, manteve o quarto posto, com 23 pontos, a sete do líder FC Porto, enquanto o Feirense está 14.º lugar, com 11, quatro acima da zona de despromoção.

Anúncio

Desporto

Miguel Oliveira consegue melhor classificação de sempre em MotoGP

Motociclismo

em

Foto: DR

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) conseguiu hoje o melhor resultado na sua carreira em MotoGP, ao terminar o Grande Prémio da República Checa na sexta posição, num dia histórico para a KTM, que conseguiu a primeira vitória.

Oliveira, que partiu da 13.ª posição, terminou as 21 voltas ao traçado de Brno a 7,969 segundos do sul-africano Brad Binder (KTM) – primeiro ‘rookie’ a vencer uma prova desde o espanhol Marc Márquez em 2013 -, que bateu o italiano Franco Morbidelli (Yamaha), segundo, e o francês Johann Zarco (Ducati), terceiro.

Com estes resultados, e após três provas, o piloto português soma agora 18 pontos, tendo subido ao 12.º lugar da classificação, liderada pelo francês Fabio Quartararo (Yamaha), que soma 59, depois de ter sido apenas sétimo em Brno.

Continuar a ler

Futebol

Jorge Jesus quer Cavani no Benfica e Cebolinha “ainda não está completamente certo”

Futebol

em

Foto: DR

O treinador Jorge Jesus assumiu hoje a forte vontade em poder contar com o futebolista uruguaio Edinson Cavani no Benfica e admitiu que a contratação do brasileiro Everton Cebolinha “ainda não está completamente certa”.

“Todos sabemos que financeiramente não é fácil. Tem de haver uma engenharia financeira, na qual o presidente é muito forte. O Cavani já estava a ser falado e conversado antes de eu chegar ao Benfica. O presidente está a fazer tudo para que isso aconteça”, garantiu Jorge Jesus, em entrevista ao canal televisivo do clube.

O internacional uruguaio, de 32 anos, que joga no Paris Saint-Germain desde 2013, seria um efetivo reforço para o ataque dos ‘encarnados’, que contam com Vinicius, Seferovic e Dyego Souza como as principais referências no eixo ofensivo.

“Quando chegámos, não o pedi. Se me perguntarem se quero? Quem não quer? Não só para o Benfica, como para o futebol português. Nós, em Portugal, temos dificuldade em competir com outras equipas de outros países. Se pudéssemos competir com os outros, já tínhamos vencido uma ‘Champions’”, observou.

Quanto ao internacional brasileiro, Jesus confia que Cebolinha “vai ser valorizado”: “Vai valorizar-se mais no campeonato português, porque está no centro da Europa, onde todos estão a observar. Vai valorizar-se muito”, reforçou.

Jorge Jesus assumiu que pretende cerca de uma dezena de reforços, neste caso a contar já com os oficializados, o extremo Pedrinho, o guarda-redes Helton Leite e o lateral direito Gilberto.

“Não contando com o Helton e o Pedrinho, que estavam contratados. Só contratámos dois. A nossa ideia é podermos contratar mais um jogador por posição. Se formos cobrar um por posição são 11, mas não é nada disso. Serão seis, sete, no máximo, contando com os que foram contratados”, esclareceu.

Sobre Gilberto, o primeiro reforço confirmado daqueles que pediu, diz que “é um jogador tecnicamente evoluído, mas não é um que possa, à primeira ideia, ser um futebolista com uma qualidade técnica muito superior”.

“Mas é muito competitivo, joga 90 minutos sempre muito forte. O melhor dele é ofensivamente, faz golos. Tem alguns defeitos, mas por isso é que aqui estou. Ele e o André Almeida vão disputar a titularidade, mas há espaço para todos e todos vão ser titulares”, acrescentou.

O treinador entende que o Benfica “precisa de ter jogadores com algum peso e poder, não só desportivo, mas também poder técnico para poder também ajudar os mais jovens, como o Tavares, Rúben, Ferro”.

Jorge Jesus diz que se valorizou “muito” como treinador, entende que “não vale tudo para ganhar” e garante que no Flamengo se tornou “não só mais compreensivo, como melhor treinador”.

A luta pelo título será a habitual, com o campeão FC Porto e o Sporting, pois entende que o Sporting de Braga, apesar de estar “cada vez mais a dar passos para estar perto dos três grandes”, não considera que esteja “já igual aos três grandes”.

“Não tem a matéria humana que tem o Benfica, o FC Porto e o Sporting e isso faz a diferença. Agora, em termos de estrutura e de ter um patamar de jogadores cada vez com mais valor, está a acontecer. O Braga vai tentar juntar-se mais aos três grandes”, vaticinou.

Aos 66 anos e com contrato por duas épocas com o Benfica, Jesus assume que “dificilmente” vai terminar a carreira nos lisboetas.

“Não sei o dia de amanhã. Posso acabar a carreira no Benfica, mas não sei. O presidente ofereceu-me quatro anos e foram dois. Eu só queria um. Desejava voltar ao Benfica, queria voltar a Portugal”, admitiu.

Continuar a ler

Desporto

Campeonatos de Atletismo com muitas ausências e uma grande marca de Tiago Pereira

Atletismo

em

Foto: Ilustrativa / DR

O atleta Tiago Pereira, do Sporting, aproveitou hoje da melhor forma a ausência dos favoritos Pedro Pichardo e Nelson Évora para se sagrar campeão de Portugal do triplo salto, com a excelente marca de 16,94 metros.

Várias ausências de atletas de topo acabaram por marcar uma jornada de atletismo ‘atípica’, motivada pela pandemia de covid-19, com os resultados obtidos em cinco pistas a serem cruzados para se obter uma classificação nacional global.

A maior parte dos atletas competiu em Lisboa, mas também houve provas em Braga, Madeira, Angra do Heroísmo e Ponta Delgada – aqui, por vezes, só com um atleta em ação. A grande maioria esteve mesmo em Lisboa e Braga, já que só dois estavam inscritos em Ponta Delgada, seis em Angra do Heroísmo e 23 em Ribeira Brava

Para a federação, foi a ‘opção possível’, em tempos de pandemia de covid-19, para evitar deslocações e mudanças consideráveis na rotina de atletas e outros intervenientes nos campeonatos. Uma inovação que, no entanto, não foi acompanhada por outros países, onde se manteve o figurino de dois dias e uma pista.

Sem Évora e Pichardo, que estavam inscritos para o Estádio Universitário de Lisboa, brilhou Tiago Pereira, atleta de 26 anos, que só há duas épocas se dedica mais empenhadamente ao triplo. Com a marca de hoje – uma progressão pessoal de 34 centímetros – sobe a quarto luso de sempre, atrás dos dois atletas de elite ainda no ativo e do já retirado Carlos Calado.

Além de Évora e Pichardo, a jornada também se ressentiu das ausências do lançador Francisco Belo e de Marta Pen, especialista de 1.500 metros, e da maioria dos melhores fundistas.

Destaque ainda, pela longevidade, para novo título de Vânia Silva (Sporting), de 40 anos – o primeiro que conseguiu foi em 2000 e desde então regista 19 conquistas.

Ainda pela longevidade, sobressai João Vieira, do Sporting, o campeão ‘crónico’ das provas de marcha. Com o triunfo de hoje, passa a ter 36 títulos, repartidos por pista e estrada e em distâncias que vão dos 3.000 metros até aos 50 quilómetros.

A competir sozinho na Madeira, Pedro Buaró, do Estreito ganhou o salto com vara, com 5,05 metros.

Também houve vitória ‘descentralizada’ nos 3.000 metros femininos, mas em Braga, com a jovem bracarense Mariana Machado a impor-se, como se esperava, à veterana Sara Moreira, do Sporting.

No triplo salto feminino as três melhores marcaram presença e ganhou Patrícia Mamona, do Sporting, com uma marca de boa valia: 14,26 metros. Atrás dela ficaram Evelise Veiga e Susana Costa.

Liliana Cá (N Luz) ganhou no disco, com 61,20, surpreendendo a campeã e favorita, Irina Rodrigues.

Pela sétima vez consecutiva, Anabela Neto (Sporting) foi a melhor no salto em altura feminino, enquanto que em masculinos triunfou o jovem Gerson Baldé, do Benfica.

Sem a presença de Francisco Belo no peso, o benfiquista Tsanko Arnaudov regressou aos triunfos, com ótimos 20,77 metros, enquanto no setor feminino se estreou como campeã Auriol Dongmo, do Sporting e uma das melhores do ano, a fazer 19,53 metros.

Pela qualidade da marca, merece ainda destaque a vitória de Cláudia Ferreira (Sporting), no dardo, já que os 53,27 metros a colocam como segunda portuguesa de sempre.

Continuar a ler

Populares