Seguir o O MINHO

Futebol

SC Braga, por duas vezes a vencer, perde frente ao Santa Clara

25.ª jornada

em

O SC Braga perdeu, por 3-2, este sexta-feira em Lisboa, frente ao Santa Clara, em jogo a contar para a 25.ª jornada da I Liga.


A derrota dos arsenalistas na capital impede a equipa minhota de ganhar vantagem no terceiro lugar do campeonato, depois de o Sporting ter empatado frente ao Vitória SC, e confirma que nenhuma das equipas da frente conseguiu vencer no reatamento do campeonato, depois de quase três meses de paragem devido à pandemia de covid-19.

O Sporting de Braga entrou em campo determinado em chegar cedo à vantagem e nos primeiros minutos esteve bastante perto de o conseguir. Aproveitando o espaço entrelinhas na defesa açoriana, a equipa orientada por Custódio chegou por um par de vezes com perigo à baliza de Marco, mas nem Ricardo Horta nem Paulinho conseguiram inaugurar o marcador.

Mas aos 19 minutos o Braga chegou mesmo à vantagem depois de Artur Soares Dias ter sido alertado pelo VAR para uma falta dentro da área do Santa Clara. O árbitro portuense analisou as imagens e assinalou a infração que Fransérgio converteu com sucesso, enganando por completo o guarda redes Marco.

Talvez ‘espicaçado’ pelo golo, o Santa Clara tentou nos minutos seguintes aproximar-se da baliza de Matheus e em dois livres conseguiu pôr em sentido a defesa minhota.

Apesar de controlar territorialmente, o Braga baixou o ritmo e num lance de contra-ataque os insulares chegaram ao empate. O cruzamento do flanco esquerdo apanhou Raul Silva em contrapé e Thiago Santana foi implacável: dominou de pé esquerdo e fuzilou Matheus, com a bola ainda a embater com estrondo na trave, mas a aninhar-se na baliza bracarense.

O golo do Santa Clara claramente destabilizou o Braga e nos minutos seguintes a equipa de João Henriques podia ter-se colocado em vantagem em três ocasiões, com a falta de pontaria a atraiçoar os avançados dos insulares ou a defesa dos minhotos a cortar no limite.

A segunda parte começou com as duas equipas a procurarem impor-se e muita luta a meio a campo. Aos 56 minutos, num lance de entendimento pela esquerda, Sequeira arrancou um cruzamento milimétrico para a entrada da área, onde apareceu Trincão a finalizar. De pé esquerdo, o avançado bracarense atirou rente ao poste e recolocou o Sporting de Braga na frente.

Aos 64 minutos o jogo voltou a mudar e novamente complicando-se para o SC Braga: Raul Silva voltou a ser batido pela rapidez Thiago Santana e empurrou-o na grande área. Artur Soares Dias não hesitou em expulsar o central arsenalista e assinalou a grande penalidade, que o avançado do Santa Clara aproveitou para ‘bisar’ no encontro.

Com o avançar do cronómetro os treinadores começaram a fazer as primeiras substituições e o ritmo de jogo ressentiu-se. As duas formações perderam discernimento na construção e, de um lado e de outro, era maior a facilidade em chegar à baliza adversária com a pressão frouxa de ambas as zonas intermediárias.

À beira do minuto 90 o Braga esteve perto de consumar a vitória, numa jogada em que a defesa do Santa Clara facilitou e foi Marco a resolver a aflição, primeiro a sair aos pés de Paulinho e depois de Wilson Eduardo.

Do outro lado, já em tempo de desconto, o Santa Clara não foi tão meigo e consumou a reviravolta, e o 3-2 final, por Carlos Júnior. Zaidu Sanussi recuperou uma bola na primeira fase de construção do Braga e, apanhando a defesa arsenalista em contrapé, assistiu o avançado no coração da área, que sem dificuldade encostou para o fundo da baliza.

Com este resultado, o Santa Clara soma agora 33 pontos, enquanto o SC Braga não consegue distanciar-se do Sporting no terceiro lugar e, com 46 pontos, tem três de vantagem sobre os ‘leões’.

Ficha de Jogo

Jogo realizado na Cidade do Futebol, em Lisboa.

Santa Clara – SC Braga, 3-2.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

0-1, Fransérgio (grande penalidade), 20 minutos.

1-1, Thiago Santana, 34.

1-2, Trincão, 56.

2-2, Thiago Santana (grande penalidade), 66.

3-2, Carlos Júnior, 90 +2.

Equipas:

– Santa Clara: Marco, Pierre Sagna, João Afonso, Fábio Cardoso, Zaidu Sanussi (Salomão, 84), Francisco Ramos, Anderson Carvalho (Osama Rashid, 78), Mamadu Candé, Lincoln, Carlos Júnior e Thiago Santana (Cryzan, 75).

(Suplentes: André Ferreira, Osama Rashid, César Martins, Costinha, Cryzan, Salomão e Zé Manuel).

Treinador: João Henriques.

– SC Braga: Matheus, Ricardo Esgaio, Bruno Viana, Raul Silva, Sequeira, David Carmo, Palhinha (Rui Fonte, 83), Fransérgio, Trincão (Galeno, 72), Ricardo Horta (Wilson Eduardo, 84) e Paulinho.

(Suplentes: Eduardo, Rolando, Wilson Eduardo, André Horta, João Novais, Rui Fonte e Galeno).

Treinador: Custódio Castro.

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Fábio Cardoso (27), Raul Silva (45+1 e 64), Mamadu Candé (73) e João Afonso (87). Vermelho por acumulação de cartões amarelos para Raul Silva (64).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 21h29)

Anúncio

Futebol

Vitória vence em Portimão e sobe ao sexto lugar da Liga

I Liga

em

Foto: Arquivo / Liga Portugal

O Vitória SC venceu este sábado o Portimonense por 0-1, em jogo a contar para a 30.ª jornada da Liga portuguesa.

Bruno Duarte, de cabeça, fez o único golo da partida aos 67 minutos.

Com este resultado, os conquistadores sobem provisoriamente ao sexto lugar da tabela, com 46 pontos, mais um do que o Famalicão, que tem ainda um jogo a menos para disputar.

(em atualização)

Continuar a ler

Futebol

Treinador do Porto afirma que luta pelo título “vai ser até ao fim”

I Liga

em

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, desvalorizou hoje os seis pontos de vantagem sobre o Benfica, afirmando que a luta pelo título da I Liga de futebol será “até ao fim”.

O técnico portista defendeu que quem der o troféu já como certo para os portistas “tem o objetivo de distrair atenções”.

“Se calhar, o objetivo de quem diz isso é distrair. Nós temos de focar no trabalho e nas tarefas, para que o coletivo seja forte. Coletivamente, vamos ser mais fortes, é o objetivo. Obviamente há as estratégias que temos, mas no futebol, o que funciona para um grupo pode não funcionar para outro. Há estratégias para mexer com esse lado emocional, motivá-los ao máximo, dar tranquilidade para que possam exprimir-se ao mais alto nível”, referiu, na conferência de imprensa de antevisão da partida com o Belenenses SAD.

Sérgio Conceição salientou ainda o realismo que tem enquanto treinador por não se deixar deslumbrar pela vantagem de pontos para o segundo classificado e defendeu que a luta será feita até ao fim do campeonato.

“Há pontos a conquistar e vai ser uma luta até ao fim. Essa consciência e esse realismo da minha parte está presente diariamente na minha postura, no meu trabalho, no que o balneário pensa e sente, da mesma forma que eu”, afirmou.

Sérgio Conceição falou ainda da evolução de Mbemba destacando a paciência do central para “esperar pelo seu momento e agarrar a oportunidade”.

“Já o conhecia dos tempos da Bélgica. É muito consistente em todas as posições, e acho que não foi por acaso que o meti a central do lado direito e o Pepe do lado esquerdo. Foi por características que ele tem. É uma pessoa tranquila, não podemos dissociar o profissional do jogador, eu sei que alguns se transformam no campo, mas está lá a sua essência. Soube esperar com paciência, teve a oportunidade dele e agarrou-a. É um jogador importante para a equipa”, frisou.

Questionado sobre o regresso do médio japonês Nakajima aos treinos e a possibilidade de vir a dar o seu contributo nos próximos jogos, o treinador já não se mostrou tão recetivo e disponível para esclarecer a questão.

“Não quero que interpretem mal. Não tenho o costume de falar de jogadores que não estão disponíveis e é esse o caso. O Nakajima não é opção para o jogo de amanhã (domingo). Já falámos variadíssimas vezes dele. Já sei que vão pegar em alguma coisa que eu vou dizer para sair em título. Preocupo-me mais com o Licá, o Marco Matias, com a linha de três do Belenenses, com o Cafú, o Tiago Esgaio, o Nilton Varela…isso é que é importante”, salientou.

Precisamente sobre o próximo adversário, o Belenenses SAD, Sérgio Conceição admitiu estar à espera de uma equipa com uma dinâmica diferente do último jogo.

“O Belenenses que tem jogado ultimamente é o que esperamos. Com uma dinâmica diferente do outro jogo que fizemos com eles no Jamor. Mas, temos de pensar em nós, e no que temos de fazer para conquistar os três pontos”, referiu ainda.

O FC Porto, líder do campeonato com 70 pontos, recebe no domingo o Belenenses SAD, na 14.ª posição, com 31 pontos, numa partida relativa à 30.ª jornada da I Liga de futebol.

Continuar a ler

Futebol

Benfica formalizou à CMVM a rescisão com treinador Bruno Lage

Mercado

em

Foto: DR

O Benfica comunicou hoje à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a formalização da rescisão com o treinador de futebol Bruno Lage, que apresentou a demissão após o desaire de segunda-feira com o Marítimo.

“A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD informa, nos termos e para o efeito do disposto no artigo 248.º-A do Código dos Valores Mobiliários, que formalizou hoje a rescisão do contrato de trabalho desportivo com o treinador Bruno Miguel Silva do Nascimento (Bruno Lage)”, avança o curto comunicado.

O treinador natural de Setúbal assumiu o cargo, então “provisoriamente”, em 03 de janeiro de 2019, substituindo Rui Vitória, numa altura em que o Benfica era quarto na I Liga, a sete pontos da liderança.

Lage, de 44 anos, entrou com quatro triunfos, renovou contrato até 30 de junho de 2023 e levou mesmo os ‘encarnados’ à conquista do título nacional em 2018/19, ao somar vitórias em 18 das últimas 19 jornadas, sendo exceção um 2-2 com o Belenenses SAD.

Em 2019/20, começou da melhor forma, ao conquistar a Supertaça com uma goleada ao Sporting (5-0), e parecia destinado a chegar ao ‘bis’ no campeonato, após nova série de 18 triunfos em 19 jogos, agora com uma derrota pelo meio (0-2 com o FC Porto).

Um segundo desaire na época com os portistas, em 08 de fevereiro, no Dragão, iniciou, porém, um ciclo muito negativo, com apenas dois triunfos em 13 jogos, em todas as competições, que conduziram à sua saída do comando técnico do Benfica.

No total, somou 51 vitórias, 12 empates e 13 derrotas (181-76 em golos), em 76 jogos.

O Benfica volta a jogar hoje, recebendo o Boavista, para a 30.ª jornada da I Liga, num embate em que vai ser orientado por Nélson Veríssimo, que era um dos adjuntos de Bruno Lage.

Continuar a ler

Populares