Seguir o O MINHO

Futebol

SC Braga perde em Alvalade em jogo intenso

2.ª jornada da I Liga

em

O SC Braga perdeu contra o Sporting, este domingo à noite, em Alvalade, por 2-1, em jogo da segunda jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Os arsenalistas, que tinham ganho na primeira jornada, estiveram a perder 2-0, depois de Wendel (16′) e Bruno Fernandes (44′) terem marcado para os da casa, ainda na primeira parte.

Num segundo tempo em que dispôs de várias oportunidades, o SC Braga reduziu aos 73 minutos, por Wilson Eduardo.

Num embate entre duas equipas em absoluto contraste – leões sem ganhar e bracarenses só com vitórias -, o Sporting acabou por ter mais eficácia perante um adversário que complicou bastante a missão da equipa de Marcel Keizer e que chegou a justificar um outro resultado em Lisboa que não a derrota.

As deceções da Supertaça (5-0 com o Benfica) e da jornada inaugural (empate 1-1 com o Marítimo) pareciam ter ficado para trás, com a boa entrada na partida: desinibida, dinâmica e confiante, a formação ‘leonina’ queria afugentar o momento menos bom e conseguiu-o logo aos 16 minutos. Depois dos primeiros avisos de Bruno Fernandes (05) e Coates (15), Wendel inaugurou o marcador após uma boa combinação com Luiz Phellype na área bracarense.

Durante os primeiros 20 minutos, o Sporting mostrou a sua melhor face, mas a vantagem acabou por inverter o rumo dos acontecimentos. O Braga de Ricardo Sá Pinto despertou, acertou as marcações e começou a assumir o domínio, criando várias oportunidades, mas a falta de eficácia e a atenção do guarda-redes Renan evitaram várias vezes o golo do empate.

E foi em contraciclo que o ‘inevitável’ Bruno Fernandes assinou o 2-0 para o Sporting aos 44 minutos. Um erro individual de Claudemir ditou o golo do médio ‘leonino’, ao perder a bola já perto da área, com o internacional português a contornar bem a oposição de Bruno Viana e a fuzilar de pé esquerdo a baliza minhota já em cima do intervalo.

No segundo tempo, os bracarenses não abdicaram de lutar e intensificaram o seu domínio territorial, com o Sporting a adotar sem pruridos uma postura mais expectante e pragmática, procurando transições rápidas. Todavia, a desinspiração de Diaby e Raphinha proporcionavam pouco suporte a Luiz Phellype ou mesmo Bruno Fernandes.

Já o Braga, depois de dez golos em três encontros, nunca foi capaz de mostrar a concentração e a capacidade de finalização que exibiu com o Brondby e Moreirense e só por isso não deu uma réplica maior aos anfitriões.

Ainda assim, o angolano Wilson Eduardo voltou a comprovar a sua veia goleadora contra o clube no qual fez a sua formação, apontando o 2-1 aos 74 minutos numa recarga a um remate ao poste de Ricardo Horta. Foi o sexto golo do extremo em jogos contra o Sporting e teve o condão de relançar a discussão do resultado.

Nos derradeiros minutos, já com Paulinho e Galeno em campo, o Braga tentou carregar em busca da igualdade, enquanto Marcel Keizer, que já havia colocado Neto para reforçar a defesa, procurou arrefecer o ritmo de jogo com as entradas de Vietto e Eduardo. Muitas mudanças, mas o resultado não mais mudou: 2-1 final para o Sporting, que soma agora quatro pontos e ultrapassa o Braga, com três, na classificação da I Liga.

Com este resultado, o Braga, que tinha iniciado o campeonato com um triunfo sobre o Moreirense (3-1), é oitavo classificado, com três pontos. Com quatro pontos, os ‘leões’ instalaram-se no terceiro lugar, em igualdade com o Boavista e a dois pontos de Benfica e Famalicão.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Sporting – SC Braga: 2-1.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, Wendel, 16 minutos.

2-0, Bruno Fernandes, 44.

2-1, Wilson Eduardo, 73.

Equipas:

– Sporting: Renan, Thierry, Mathieu, Coates, Acuña, Wendel (Eduardo, 87), Doumbia, Bruno Fernandes, Diaby (Neto, 77), Raphinha e Luiz Phellype (Vietto, 85).

(Suplentes: Maximiano, Ilori, Eduardo, Rafael Camacho, Vietto, Neto e Borja).

Treinador: Marcel Keizer.

– SC Braga: Matheus, Esgaio, Bruno Viana, Pablo, Sequeira, Wilson Eduardo (Galeno, 79), Claudemir, Fransérgio (Murilo, 72), Ricardo Horta, André Horta e Hassan (Paulinho, 73).

(Suplentes: Eduardo, Tormena, Diogo Viana, João Novais, Murilo, Paulinho e Galeno).

Treinador: Ricardo Sá Pinto.

Árbitro: Luís Godinho (AF Évora).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Pablo (38), Thierry (43), Diaby (62), Hassan (66), Bruno Fernandes (75), Esgaio (82), André Horta (90+1) e Claudemir (90+4).

Assistência: 35.692 espetadores.

Anúncio

Futebol

SC Braga felicita comando da PSP pela operação de segurança em Guimarães

Dérbi do Minho

em

Foto: Twitter

A direção do SC Braga veio hoje a público, através de comunicado, felicitar o comando distrital de Braga da PSP, pelo “inexcedível” trabalho no “acompanhamento do transporte” dos adeptos, “no seu encaminhamento em caixa de segurança e na sua entrada atempada no Estádio D. Afonso Henriques, bem como no eficaz regresso a Braga”.

“A organização da PSP provou a sua competência, o mesmo se aplicando relativamente à proteção da equipa, cuja deslocação decorreu sem incidentes e em claro contraponto com os lamentáveis acontecimentos da época passada, quando a entrada no recinto se fez sob forte chuva de pedras”, refere o mesmo comunicado.

O SC Braga recorda que este tipo de operações valorizam o futebol português e fidelizam os adeptos que, refere o clube, “são o bem mais precioso” do futebol.

“Espera-se e exige-se que tal eficácia se continue a verificar, cabendo ao SC Braga o mesmo papel na ação vigilante que continuará a efetuar sobre todas as operações de segurança respeitantes a jogos das suas equipas”, refere o mesmo comunicado.

Continuar a ler

Futebol

Portugal, em Famalicão, quer bater Finlândia rumo ao Euro2021

Na terça-feira

em

Selecionador Francisco Neto. Foto: Divulgação / FPF

A seleção portuguesa de futebol feminino quer vencer um “desafio muito difícil” com a Finlândia, na terça-feira, na segunda jornada da qualificação para o Euro2021, em encontro marcado para Famalicão.

“Será um desafio muito difícil para nós, mas queremos conquistar os três pontos neste primeiro jogo de qualificação em casa”, disse o selecionador, Francisco Neto, na antevisão da partida frente às finlandesas.

Sobre o adversário, o técnico vê um futebol “mais físico, direto e aéreo”, mas que não abdica de tentar, “em alguns momentos, ter bola e dominar os jogos”, num país onde o futebol feminino tem crescido, avisou.

O jogo, marcado para as 18:30 no Estádio Municipal de Famalicão, será o segundo para Portugal, mas o quarto para a Finlândia, que já venceu a Albânia, por duas vezes, e Chipre.

“Nós fizemos um e também ganhámos [1-0 na Albânia]. Estamos tranquilos em relação a isso [o calendário]. Em setembro do próximo ano é que as contas irão fazer a diferença”, acrescentou.

A capitã da equipa lusa, Cláudia Neto, marcou três golos na última vitória portuguesa frente às finlandesas, em 2016, depois de terem estado a perder por 2-0, e é um traço de “atitude e solidariedade” que pede para repetir a façanha.

A jogadora do Wolfsburgo destacou “uma excelente semana de treinos” da concentração da equipa das ‘quinas’, preparando um jogo com a 30.ª classificada do ‘ranking’ FIFA, que teve, também, a presença de uma equipa de futebol composta por jogadoras entre os 10 e os 18 anos.

O grupo, de etnia cigana e proveniente do bairro social de Santa Tecla, em Braga, participa no projeto Geração Tecla E7G, da Cruz Vermelha de Braga, um programa de inclusão social, com Dayana Rodrigues a apelidar o momento de “uma felicidade enorme” que dá “vontade de continuar a jogar”.

Continuar a ler

Futebol

“Fizemos dois golos, mas poderíamos ter feito mais”

Dérbi do Minho

em

Foto: Youtube

Declarações do treinador do Sporting Clube de Braga, após o jogo da 11.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol disputado em Guimarães e que terminou com a vitória dos bracarenses, por 2-0:

– Ricardo Sá Pinto (Treinador do SC Braga): “O Braga tem estado sempre bem. Se falarmos dos resultados da I Liga, não têm sido coincidentes que com a nossa supremacia e com a nossa qualidade de jogo. A nível de domínio, das chegadas, temos sido sempre muito fortes. Há muito tempo que merecíamos uma vitória como esta.

Considero o resultado justo. É demasiado evidente. Na posse da bola, não fomos superiores, mas [essa posse] foi controlada e provocada. Fomos superiores nas oportunidades, na chegada. Controlámos o jogo do princípio ao gim. O adversário não teve sequer uma oportunidade de golo. Não é fácil jogar na casa do [Vitória de] Guimarães. Era um jogo especial por ser um dérbi minhoto, com grande emotividade dos jogadores e dos adeptos. Fizemos um jogo muito completo. Os jogadores estão de parabéns. Agradeço o apoio dos nossos adeptos, que acreditam na nossa equipa.

Estrategicamente, explorámos aquilo que tínhamos de explorar. Tivemos bloco médio. Soubemos tapar os espaços, aquilo que provoca nos corredores. [O Vitória] é uma equipa que tem de jogadores de qualidade. Soubemos sair da pressão e impor a nossa variabilidade na fase de construção. Às vezes, isso acontece. Noutras vezes, não é possível. Nestes jogos, é fundamental a concentração. Ao mínimo deslize, acontecem golos. Fizemos dois golos, mas poderíamos ter feito mais. Não queríamos o empate. Queríamos os três pontos e conseguimo-los.

O jogo é feito de estratégia e de momentos. Fomos fortes em transição. Soubemos chegar com gente a zonas de finalização. O plano estratégico foi aplicado de uma forma exemplar, sem tirar o prazer aos jogadores. Não admito que os jogadores não se divirtam e não tenham criatividade ofensiva. Agora, o adversário tem valor e não nos podemos desequilibrar”.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares