Seguir o O MINHO

Futebol

SC Braga perde (1-0) Supertaça de futebol feminino com o Benfica

Em Tondela

em

Foto: SL Benfica

O Benfica conquistou este domingo a sua primeira Supertaça de futebol feminino, ao vencer o Sporting Clube (SC) de Braga por 1-0, na final disputada em Tondela, num jogo intenso que a equipa bracarense terminou com 10 elementos.

O único golo da partida foi apontado pela médio espanhola Pauleta, aos 49 minutos, num excelente remate de fora de área, antes da expulsão, por acumulação de amarelos, da ‘arsenalista’ Rayanne, aos 63.

A equipa ‘encarnada’, detentora da Taça de Portugal, ainda falhou uma grande penalidade, aos 29 minutos, por Darlene, e atirou uma bola ao poste, aos 64.

Durante todo o jogo, a equipa do Benfica foi a mais organizada em campo, dispondo das melhores oportunidades de golo, perante um Sporting de Braga pouco coeso e a errar muitos passes.

No entanto, a primeira oportunidade do jogo pertenceu às arsenalistas, aos cinco minutos, numa má reposição de bola da guarda-redes Dani mal aproveitada por Shade Pratt, que, em boa posição, rematou fraco e em desequilíbrio.

A equipa ‘encarnada esteve perto de inaugurar o marcador aos 14 minutos, por Evy Pereira, que não conseguiu emendar à boca da baliza um cruzamento rasteiro de Cloe.

Dois minutos depois, uma defesa do Braga quase fazia autogolo, obrigando a guarda-redes Rute Costa a defender para canto, no seguimento de um cruzamento de Nycole.

Aos 22 minutos, o Benfica ainda introduziu a bola na baliza adversária, mas já a árbitra Sílvia Domingos tinha assinalado falta sobre a guarda-redes bracarense.

Cinco minutos depois, a equipa lisboeta beneficiou de uma grande penalidade, a castigar falta de Rayanne sobre Cloe, mas, na conversão, Darlene atirou ao lado, quando a guarda-redes Rute Costa se tinha atirado para o lado contrário.

O Sporting de Braga só conseguiu incomodar o último reduto do Benfica em dois remates, o primeiro aos 35 minutos, por Uchendu, que proporcionou uma grande defesa a Dani, e o segundo aos 90+5, num livre direto de Vanessa, que a guardião contrária desviou, também com defesa vistosa, pela linha final.

A partir dos 63 minutos, a equipa minhota ficou reduzida a 10 elementos por expulsão de Rayanne, que viu o segundo cartão amarelo, num lance em que derrubou Cloe, quando esta ia para a área.

O Benfica sucede ao Sporting de Braga na conquista da Supertaça de futebol feminino, tornando-se o quinto vencedor da prova em outras tantas edições.

Declarações dos treinadores

– Carlos Carvalhal (treinador do Rio Ave): “Era importante desmontar as linhas fortes do Vitória nos momentos defensivos e, na primeira parte, com passes e desmarcações, conseguimos.

Sabíamos que tinha de ser um jogo de paciência e que seria importante chegar primeiro ao golo. Conseguimos tudo isso, mas, para mim, o momento do jogo é o golo do empate, porque nos obrigou desgastar.

Com a expulsão [de Borevkovic, aos 57 minutos], o jogo inverteu-se. O Vitória assumiu o controlo, teve mais oportunidades, mas conseguimos responder às dificuldades, juntámos as linhas, e tentámos apostar nas transições.

Acabámos por conseguir um ponto, que não é bom nem é mau. Somamos agora sete no campeonato, mas o mais importante foi perceber o nível de coesão da equipa.

Pena foi não termos sido mais eficazes e, se não tivéssemos sofrido aquele golo, a história do jogo poderia ter sido outra.

(sobre a prestação no campeonato) Estamos satisfeitos, perdemos pontos em jogos que acabámos reduzidos a 10 elementos, e nos outros tivemos vitórias boas. Estamos bem posicionados, mas estamos apenas no início”.

– Ivo Vieira (treinador do Vitória de Guimarães): “Vínhamos com o intuito de somar três pontos, mas enfrentámos um Rio Ave a controlar o jogo na primeira parte e a condicionar a nossa saída e não conseguimos chegar tantas vezes à baliza.

Na segunda parte, crescemos, retificámos algumas situações e fomos mais fortes, criando suficientes oportunidades para sair com outro resultado.

Mas, é de louvar entrega e competência que estes atletas demonstraram ao longo do jogo. Deram uma resposta muito positiva, frente a um bom adversário.

(sobre ainda não ter vencido no campeonato) Temos de separar as águas. Percebo a insatisfação pelos resultados no campeonato, mas tivemos um caminho na Liga Europa que permitiu um encaixe financeiro importante ao clube.

Até fomos mais fortes do que o Boavista e o Famalicão e, no jogo com o FC Porto, mesmo com 10, fizemos um bom jogo.

É verdade que não nos trouxe muito em pontos, mas a equipa teve um comportamento fantástico. Ficaria preocupado se não criássemos oportunidades, mas isso tem acontecido, e é nítido que a equipa tende a crescer”.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio João Cardoso, em Tondela.

Sporting de Braga – Benfica, 0-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadora:

0-1, Pauleta, 49 minutos.

Equipas:

– Sporting de Braga: Rute Costa, Rayanne, Diana Gomes, Inês Maia (Francisca, 78), Ágata Filipa (Regina, 78), Shade Pratt, Dolores, Denali Murnan, Vanessa, Uchendu (Machia, 67) e Keane (Laura Luís, 62).

(Suplentes: Maria Hourihan, Babi, Laura Luís, Francisca, Regina, Machia e Sofia Silva).

Treinador: Miguel Santos.

– Benfica: Dani, Daiane, Sílvia Rebelo, Raquel Infante (Ana Seiça, 75), Yasmin, Pauleta, Andreia Faria (Ana Vitória, 74), Darlene (Patrícia, 90+1), Evy Pereira (Lúcia Alves, 85), Cloe e Nycole.

(Suplentes: Dida, Ana Seiça, Lúcia Alves, Catarina Amado, Annaysa, Patrícia e Ana Vitória).

Treinador: Luís Andrade.

Árbitro: Sílvia Domingos (AF Setúbal).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Rayanne (28 e 63), Denali Murnan (68). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Rayanne (63).

Assistência: Cerca de 2.500 espetadores.

Anúncio

Futebol

Portugal empata em Famalicão com Finlândia a marcar em cima do 90

Quase 1.200 pessoas nas bancadas

em

Foto: FPF

A seleção portuguesa de futebol feminino empatou hoje na receção à Finlândia (1-1), após sofrer o golo da igualdade aos 90 minutos, em jogo do grupo E da fase de qualificação para o Euro2021.

As jogadoras lusas foram quase sempre superiores às adversárias no Estádio Municipal de Famalicão, num início de noite chuvoso, e adiantaram-se aos 32 minutos, num penálti convertido por Cláudia Neto, mas o ‘desperdício’ ofensivo no segundo tempo acabou castigado aos 90+1, com um tento de Linda Sällström, após canto.

Portugal, que defronta novamente o conjunto nórdico no próximo jogo da qualificação, em abril de 2020, passou a somar quatro pontos após dois jogos de qualificação e perdeu a oportunidade de se aproximar da Finlândia, líder do grupo, invicta, com 10 pontos em quatro desafios.

Apesar do relvado ‘empapado’, a condicionar o movimento da bola, Portugal começou o desafio ao ataque e ameaçou a baliza por duas vezes nos primeiros 10 minutos, por Jéssica Silva: a jogadora do Lyon (França) rematou para um corte de uma adversária junto à linha de baliza, aos cinco, e depois ao lado (10).

O conjunto nórdico, mais forte fisicamente, começou a aliviar a pressão com recurso aos lançamentos longos para a avançado Linda Sällström, autora de sete golos na fase de qualificação em curso, que foi, porém, incapaz de bater a guarda-redes portuguesa quando irrompeu pela área, aos 13.

O perigo voltou a rondar a baliza lusa quando Sanni Franssi obrigou Inês Pereira a defesa difícil, num remate de longe, aos 22 minutos, mas a equipa treinada por Francisco Neto e reagiu e chegou à vantagem antes do intervalo: Cláudia Neto foi derrubada por Emmi Alanen no interior da área contrária, aos 31, e bateu o penálti para o lado contrário da guarda-redes Tinja-Riikka Korpela.

Após ter marcado o 18.º golo na sua 125.ª internacionalização, a ala do Wolfsburgo (Alemanha) esteve em três lances que poderiam ter dado o 2-0 no início da segunda parte: falhou a emenda decisiva na pequena área, ao minuto 49, atirou por cima, de fora da área (51), e assistiu Diana Silva para um remate ao lado (56).

A seleção das ‘quinas’ controlou o jogo na totalidade até aos 75 minutos, altura em que as finlandesas reapareceram ofensivamente, com Ria Öling a obrigar Inês Pereira a defesa para canto (minuto 81), antes de Linda Sällström apontar o seu oitavo golo no grupo E, com um desvio com o pé na pequena área, após canto da direita.

Ficha de Jogo 

Jogo disputado no Estádio Municipal de Famalicão.

Portugal – Finlândia, 1-1.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Cláudia Neto, 32 minutos (grande penalidade).

1-1, Linda Sällström, 90+1.

Equipas:

– Portugal: Inês Pereira, Mónica Mendes, Carole Costa, Sílvia Rebelo, Ana Borges, Dolores Silva, Vanessa Marques (Carolina Mendes, 90+2), Tatiana Pinto (Fátima Pinto, 80), Cláudia Neto (Andreia Norton, 85), Jéssica Silva e Diana Silva.

(Suplentes: Patrícia Morais, Rute Costa, Raquel Infante, Matilde Fidalgo, Andreia Norton, Mélissa Ferreira Gomes, Fátima Pinto, Carolina Mendes, Diana Gomes, Andreia Faria, Maria Inês e Telma Encarnação).

Treinador: Francisco Neto.

– Finlândia: Tinja-Riikka Korpela, Tuija Hyyrynen, Anna Westerlund, Natalia Kuikka, Emma Koivisto, Eveliina Summanen (Heidi Kollanen, 59), Sanni Franssi, Emmi Alanen, Juliette Kemppi (Jenny-Julia Danielsson, 77), Ria Oling e Linda Sällström.

(Suplentes: Paula Myllyoja, Anna Tamminen, Elli Pikkujamsa, Anna Auvinen, Ilna Salmi, Olga Ahtinen, Nora Heroum, Jenny-Julia Danielsson, Linda Nyman, Kaisa Collin, Katarina Naumanen e Heidi Kollanen).

Treinador: Anna Signeul.

Árbitro: Cheryl Foster (País de Gales)

Ação disciplinar: Nada a assinalar.

Assistência: 1.184 espetadores.

Continuar a ler

Futebol

Portugal-Lituânia com lotação esgotada

Apuramento para o EURO 2020

em

Foto: DR / Arquivo

O Portugal-Lituânia, jogo do Grupo B de apuramento para o Euro2020, que vai decorrer no Estádio Algarve, terá lotação esgotada, depois de todos os ingressos terem sido vendidos, anunciou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

“Os bilhetes para o jogo Portugal-Lituânia colocados à venda (19.889) encontram-se esgotados, pelo que a seleção nacional terá casa cheia numa partida determinante na caminhada com destino ao Campeonato da Europa 2020”, lê-se numa nota publicada no site oficial do organismo.

O encontro está agendado para as 19:45 e terá arbitragem do francês Ruddy Buquet. Três dias depois, os campeões europeus jogam no Luxemburgo, na despedida do Grupo B.

O agrupamento é liderado pela Ucrânia (19 pontos, em sete jogos), seguido por Portugal (11, em seis), Sérvia (10, em seis), Luxemburgo (quatro, em seis) e Lituânia (um, em sete).

Em caso de vitória nos dois últimos jogos, Portugal assegura o segundo lugar do grupo e o apuramento direto para a fase final do próximo Europeu, independentemente dos resultados obtidos pela Sérvia.

Continuar a ler

Futebol

“Braga vai lutar com o Sporting pelo 3.º lugar”

José Marafona

em

Foto: DR / Arquivo

“O Braga vai lutar com o Sporting pelo terceiro lugar”. Quem o diz é o antigo guarda-redes do SC Braga, José Marafona, herói da Taça de Portugal de 2016, em declarações à Rádio Renascença.

“É preciso que continuem a manter o nível elevado. Se assim for, é possível que o Braga aproveite a época instável do Sporting e lutem, ambos, pelo terceiro lugar”, justifica.

O guardião que, no início da época, saiu do clube da capital do Minho para jogar no Alanyaspor, da Turquia, sublinha que, na sua opinião, em Portugal apenas Benfica e FC Porto irão lutar pelo título de campeão.

“A I Liga está renhida, competitiva e com muito equílibrio entre as equipas. Candidatos ao título apenas dois, FC Porto e Benfica”, defende.

Foto: Divulgação / Arquivo

Com 12 golos sofridos nos onze jogos disputados, Marafona é totalista na baliza do seu novo clube, atual quarto classificado do campeonato turco, com 19 pontos, a dois do líder.

O guarda-redes de 32 anos, em declarações à mesma rádio, diz ter o “sonho” de jogar o EURO 2020 por Portugal.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares