Seguir o O MINHO

Futebol

SC Braga desconhece investigação de fraude fiscal

Revelada na revista Sábado

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O SC Braga, através de um comunicado emitido na última quinta-feira, negou conhecimento da alegada investigação relativa a fraude fiscal denunciada pela revista Sábado.


O clube sublinha não ter sido contactado pelas autoridades e estar “convicto da legalidade de todos os seus atos”, mostrando “disponibilidade total para cooperar com a justiça”.

A direção bracarense lamenta ainda os danos que tais notícias possam causar “na boa imagem” do clube.

Comunicado:

“A revista Sábado noticia, na sua edição desta quinta-feira, que decorre um inquérito que visa diversos clubes e agentes desportivos, entre os quais o FC Porto, o SL Benfica, o SC Braga, o Vitória SC, o Estoril Praia, o CS Marítimo e o Portimonense SC.

A SC Braga, SAD informa que desconhece qualquer investigação em curso e que não recebeu nenhum contacto das autoridades no sentido de prestar qualquer informação adicional àquela que é de acesso público e que está devidamente verificada e validada pelos auditores e pelos reguladores, bem como pelas regulares fiscalizações da Autoridade Tributária.

Como sempre tem vincado, a SC Braga, SAD e os seus responsáveis estão seguros da lisura dos atos de gestão praticados e estarão sempre disponíveis para ceder toda a documentação e informação necessária, cientes de que a mesma é taxativa quanto ao detalhe de cada operação realizada por esta Sociedade e pelos seus responsáveis.

Não obstante, a SC Braga, SAD lamenta e repudia a publicação de informação que é lesiva do seu bom nome, reservando-se o direito de reclamar, nas sedes próprias, as devidas responsabilidades por tais notícias”.

Anúncio

Futebol

UEFA destina 775,5 milhões de euros para o desenvolvimento do futebol

Ajuda para lidar com os efeitos da pandemia de covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A UEFA anunciou hoje que destinará 775,5 milhões de euros para o recém-lançado novo ciclo do programa para o desenvolvimento do futebol europeu, denominado de ‘HatTrick’, com os lucros do Euro2020.

Apesar do adiamento para 2021 do Euro2020, que deveria ocorrer este verão, a ação da UEFA visa garantir que as federações completem o ciclo do programa correspondente a 2020-2024 e ajuda a lidar com os efeitos da pandemia de covid-19.

Uma das primeiras decisões da UEFA, após a suspensão das suas competições, foi anunciar um uso mais flexível dos 236,5 milhões de euros do programa ‘HatTrick’, para ajudar as suas 55 federações-membro a combater o impacto da paralisação dos respetivos campeonatos.

O presidente da UEFA, o esloveno Aleksander Ceferin, disse que “o programa ‘HatTrick’ é um componente vital do futebol europeu e a sua importância nunca foi tão clara como durante a crise de covid-19”.

O dirigente referiu que “ao levantar as condições para libertar os fundos para as federações foi possível limitar o impacto económico da pandemia e olhar para a retoma das competições”.

“No entanto, não devemos ficar parados quando a competição voltar. Precisamos usar o ‘HatTrick’ para continuar a levar o futebol adiante, oferecendo mais oportunidades, melhor infraestrutura e maior qualidade para garantir que o futebol europeu continue o mais forte possível”, afirmou.

A UEFA lembrou que este quinto ciclo de quatro anos, lançado oficialmente na quarta-feira, permitirá um investimento total de 775,5 milhões de euros, o que representa um aumento de 27 por cento em relação ao ciclo anterior.

“Até 2024, o programa terá contribuído com 2,6 milhões de euros em benefício do futebol, tornando-o uma das maiores iniciativas de solidariedade e desenvolvimento desportivo do mundo”, considerou Ceferin.

O presidente da UEFA lembrou que esta iniciativa apoia o crescimento e o desenvolvimento do futebol continental desde 2004, nas seguintes vertentes: aumentar o financiamento de investimentos, melhorar a educação e uma maior troca de conhecimentos.

Continuar a ler

Futebol

Equipa feminina do SC Braga regressou hoje aos trabalhos

Futebol

em

Foto: DR / Arquivo

A equipa de futebol feminino do SC Braga apresentou-se hoje para preparar a temporada 2020/21, na qual haverá uma maior aposta na formação, mas com a mesma ambição de ganhar todos os jogos.

Último campeão nacional (2018/19), já que a última temporada não terminou devido à pandemia de covid-19, o SC Braga apresentou-se na Cidade Desportiva do clube esta quinta-feira e vai dedicar os primeiros dias a exames médicos e testes físicos.

O trabalho no relvado inicia-se na próxima segunda-feira.

Apresentaram-se 17 jogadoras: Marie Hourihan, Luísa Pinheiro, Babi Marques, Barbosinha, Maria Gaspar, Eduarda Silva, Ágata Filipa, Regina, Andreia Norton, Dolores Silva, Sofia Silva, Inês Maia, Hannah Keane, Diana Gomes, Ana Teles, Laura Luís e Daniuska.

Nos próximos dias, a lateral direita brasileira Rayanne integrará os trabalhos, informou o clube.

“É um sentimento fantástico estar de regresso e poder ver as jogadoras e a minha equipa técnica. Voltamos com vontade de iniciar bem a época”, disse o técnico Miguel Santos, ao sítio oficial do clube.

Miguel Santos frisou a aposta na formação e que o plantel lhe dá “total confiança”.

“Os adeptos do SC Braga podem esperar uma equipa competitiva e que vai entrar em todos os jogos para vencer. Vamos continuar a apostar na formação. No plantel desta época contamos com sete jogadoras que passaram pela formação do SC Braga. É um plantel que me dá total confiança”, disse.

Uma das mais experientes do plantel, a internacional portuguesa Dolores mostrou satisfação pelo regresso e prometeu lutar por títulos.

“Estávamos ansiosas por nos voltar a ver depois da paragem que tivemos. Estamos muito felizes por regressarmos ao trabalho. Podem esperar o mesmo que nos últimos anos. Vamos trabalhar para conquistar títulos para o clube e para dar alegrias aos adeptos”, disse.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga pede despenalização de Rolando

I Liga

em

Foto: SC Braga / DR

O SC Braga pediu a despenalização do defesa central Rolando, expulso diante do Rio Ave, na terça-feira, na 29.ª jornada, revelou hoje o clube minhoto, quarto classificado da I Liga de futebol.

O internacional português viu o cartão vermelho já no período de descontos da partida, num lance muito contestado pelos bracarenses, que consideram não ter havido mão na bola e, por isso, a grande penalidade que deu a vitória aos vila-condenses, por 4-3, não devia ter sido assinalada.

Segundo fonte do clube, os responsáveis ‘arsenalistas’ pediram a despenalização de Rolando por considerarem que não é legítima uma penalização que decorre de uma falta mal marcada.

Sob orientação do treinador interino Artur Jorge, que substituiu no cargo Custódio Castro na sequência desse resultado, o SC Braga prepara a receção ao Desportivo das Aves, no sábado, a partir das 21:30, na 30.ª jornada do campeonato.

Continuar a ler

Populares