Seguir o O MINHO

Futebol

SC Braga celebra esta terça-feira 100 anos (breve resumo de uma história singular)

Centenário

em

Foto: SC Braga / Arquivo

Nos últimos 100 anos e apenas no desporto rei, feminino e masculino, os ‘arsenalistas’ conquistaram 3 Taças de Portugal, 2 Taças da Liga, 1 Supertaça, 1 Campeonato Nacional, 1 Taça da Federação Portuguesa de Futebol, 1 Taça Intertoto e 2 campeonatos da Segunda Divisão. Além do futebol, o clube representa-se no futsal, no atletismo, no basquetebol, na natação, no desporto adaptado, no bilhar, no taekwondo, no futebol de praia e no voleibol.

O clube fundado a 19 de janeiro de 1921, pelas mãos de Celestino Lobo, Carlos José de Morais, os irmãos Carvalho, Eurico Sameiro, Costinha, João Gomes e Joaquim de Oliveira Costa disputou o seu primeiro jogo no campo do Antigo Colégio de Espírito Santo, frente à equipa do Algés e Dafundo.

Durante vários anos o clube lutou na Segunda Divisão Nacional, para ascender pela primeira vez à Primeira Divisão Nacional, a 29 de junho de 1947, sagrando-se campeão nacional da Segunda Divisão com uma vitória por 2-0 sobre o “Onze Unidos”, no Montijo.

Em 1950, o clube inaugura o clássico estádio “1.º de Maio”, aumentando a audiência dos jogos para uma capacidade de 40.000 espectadores. Na década de 50 o SCB bateu-se na primeira divisão, com mais resistência do que êxito, para, em 1961, voltar a cair à Segunda Divisão Nacional.

Estamos em 1964, quando o Braga volta a primeira divisão e vence, passado dois anos, a Taça de Portugal, apurando-se para a Taça das Taças, a sua primeira competição internacional.

Os loucos “60´s” terminam, para o Braga, com a despromoção à Segunda Divisão, no final da década, arrastando-se até 1975. Em 76 a recuperação e o Braga assumiu o seu papel permanente na Primeira Divisão Nacional.

Até ao final do século o SCB bateu-se na Primeira Divisão, com mais ou menos sucesso, mas alcançou um estatuto notável, que se viria a reforçar nos próximos anos. Em 1998 deu-se uma importante mudança na organização do Braga, com a transformação do clube em Sociedade Anónima Desportiva (SAD).

O ‘reinado’ de António Salvador

No presente século, o clube altera-se radicalmente com o modelo de gestão de António Salvador e inicia uma era de resultados que o projetam em termos nacionais e internacionais. A massa adepta cresce e o Braga “dá que falar”.

O clube passa a utilizar o Estádio Municipal de Braga, construído para o Euro 2004, e sobre o qual existe uma polémica instaurada há anos, resultante do preço da fatura para o município e consequentemente, para os munícipes. O jornalista Miguel Sousa Tavares chegou a afirmar, inclusive, que “o Braga joga praticamente de borla, por um preço simbólico, num estádio que é todo sustentado pela Câmara”.

O Estádio Municipal de Braga foi alvo de diversos prémios de arquitetura e o projeto foi assinado pelo arquiteto Souto Moura.

Desde a época 2003-2004 até ao ano presente, falhou apenas um ano a ida às competições europeias (13-14), tendo conquistado a Taça Intertoto na época 2008-2009 e atingido os oitavos-de-final da Taça UEFA nas épocas 2006-2007 e 2008-2009 e sendo finalista da Liga Europa 2009-2010. Em 2010, depois de sagrar-se vice-campeão nacional, participa pela primeira vez na fase de grupos da Liga dos Campeões. Em 2012, depois de acabar o campeonato em 3º lugar na época anterior, apurou-se pela segunda vez para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

O SCB já conquistou troféus em todas as modalidades associadas ao clube e a equipa feminina de futebol tem sido visada pela qualidade regularmente. A mais recente conquista foi a Taça de Portugal, já depois de ganhar a Supertaça e o campeonato nacional.

Populares