Seguir o O MINHO

Desporto

“São poucos, mas bons” no campeonato do Mundo de atletismo, diz presidente da FPA

Atletismo

em

Foto: COP

O presidente da Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), Jorge Vieira, afirmou hoje que “são poucos, mas bons”, os 15 atletas de “elite mundial” que vão representar a seleção nacional no campeonato do Mundo do Qatar.


Na apresentação da equipa, feita na tribuna de honra do Estádio Nacional, o dirigente desvalorizou o facto de se tratar de uma das menos numerosas delegações de sempre e de ser também menos de metade das expectativas da FPA no início do ano.

“É um número reduzido também pela forma atual de qualificação, muito mais difícil, e que ainda o será mais para os Jogos Olímpicos”, explicou.

Ainda assim, acalenta a esperança de ver bons resultados de atletas lusos em Doha, a começar pelo triplo, com Nelson Èvora e Pedro Pichardo.

“Seria um sonho concretizado ter os dois no pódio”, disse, acrescentando: “Pode ser agora, mas se não for, que seja nos Jogos Olímpicos [de Tóquio, em 2020]”.

Jorge Vieira reconheceu que há dois caminhos na fixação dos mínimos – ou “facilitar”, repetindo sempre os critérios internacionais, ou “exigir o mais possível na qualificação”.

É esta segunda via que tem sido seguida, porque isso “corresponde a melhores resultados finais”.

A propósito das condicionantes externas, reforçou que “são para todos” e “há que contar com elas”.

“Desde logo, a altura do ano dos campeonatos, que poucas vezes se realizaram nesta altura (setembro/outubro), já com tantos meses de competição e treinos. Serão campeonatos extremamente importantes para antecipar melhor o que se vai passar nos Jogos Olímpicos, também pela qualificação (que será pelo ranking IAAF), que levanta problemas graves para os países periféricos”, disse.

O presidente da FPA elogiou o que considera o “ano bom” do atletismo luso, com a subida à Superliga Europeia, “em condições dificílimas”, partindo daí para a motivação dos 15 para Doha.

“São atletas de verdadeira elite mundial, que acreditam. E é no ‘pequeno estádio’ que está ‘atrás dos olhos e entre as orelhas’ que começam as vitórias”, afirmou.

De acordo com Jorge Vieira, os atletas lusos “têm um corpo em tudo semelhante e prepararam-se tão bem como os outros”, pelo que “vão estar todos em igualdade”.

“Tenham cuidado com os vossos sonhos, podem às vezes realizar-se… Tenham bons sonhos e não olhem para as listas de partida – deixem isso para os vossos treinadores. Estão todos em igualdade de circunstâncias”, disse ainda.

Os campeonatos do Mundo de 2019 realizam-se em Doha, no Qatar, de 27 de setembro a 06 de outubro.

Anúncio

Futebol

Autocarro do Braga apedrejado em Guimarães

SC Braga

em

Foto: DR / Arquivo

O autocarro do SC Braga foi apedrejado por desconhecidos no na A7, em Guimarães, no início desta madrugada, avança a CMTV.  Uma das pedras, de grandes dimensões, atingiu um passageiro do carro que seguia na frente do autocarro, partindo um vidro. Embora as primeiras informações dessem conta de que o homem sofreu ferimentos, o clube diz não existirem vítimas.

O SC Braga já confirmou o ataque através de comunicado emitido durante a madrugada deste sábado por “dever de denúncia pública”, salientando a felicidade de não ocorrerem ferimentos “de enorme gravidade”.

O clube refere que a comitiva, que era escoltada por batedores da GNR, foi surpreendida na A7, já próximo do nó de saída para Guimarães Sul, quando “foi surpreendida com o arremesso de pedras de grande dimensão, atiradas a partir da berma e que por mera felicidade não resultaram em ferimentos que (…) poderiam revestir-se de enorme gravidade para os elementos que integravam a comitiva”.

“Se a cobardia daqueles que levam a cabo tais ataques não pode sequer ser adjetivada, importa porém alertar consciências e tomar medidas de escrupulosa severidade para que tais atentados à vida humana não se repitam”, sublinha o clube.

“O futebol não pode ser um veículo de ódios tão primários e de comportamentos criminosos, mas cabe às forças da autoridade a tomada de ações imediatas, evitando a todo o custo que chegue o dia em que lamentemos consequências mais dramáticas”, acrescenta.

“Quem repetidamente age na impunidade e coloca em risco vidas alheias não pode ter lugar na nossa sociedade e deve ser encarado como uma séria ameaça à mesma e à segurança que todos prezamos”, finaliza.

O SC Braga já apresentou queixa junto das autoridades e “acompanhará ativamente este processo, que se espera exemplar e dissuasor de episódios futuros”.

(notícia atualizada às 03h38)

Continuar a ler

Futebol

“O Paulinho é um ponta de lança de excelência”

Artur Jorge

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações após o jogo Paços de Ferreira–SC Braga, que terminou com a vitória dos bracarenses, por 5-1, da 31.ª jornada da I Liga de futebol:

Pepa (treinador do Paços de Ferreira): “A parte emocional não fica nada afetada pela personalidade e caráter dos jogadores. Podia ser mais grave se tivéssemos perdido a cabeça, mas ninguém perdeu a cabeça e isso foi a única coisa positiva.

Cinco amarelos nos primeiros 25 minutos, para uma equipa que gosta de pressionar alto, tornou-se mais difícil. O lance do segundo penálti é a imagem disso.

A equipa estava muito condicionada e sentiu-se de mãos atadas dentro de campo, mas também é verdade que devíamos ter criado mais profundidade e não conseguimos.

Foi uma derrota pesada, mas é o que fica, vamos recuperar rápido para o próximo jogo.”

Artur Jorge (treinador do SC Braga): “O que facilitou foi o empenho e o compromisso que os jogadores tiveram. A forma como obtivemos os golos é secundário, o importante é termos consciência de que entrámos fortes no jogo, assumimos a partida e, dessa forma, chegámos cedo à vantagem e continuámos em cima dessa vantagem.

O Paulinho é um ponta de lança de excelência. É uma mais-valia acima da média. Está no topo dos melhores marcadores, sendo um objetivo secundário, e é o reflexo do que a equipa tem feito, potenciando o Paulinho.

Hoje foram mais três pontos e continuamos a olhar para o terceiro lugar, sabendo que não dependemos só de nós, mas podem esperar um Braga forte até ao final campeonato.”

Continuar a ler

Futebol

Goleada do Braga com ‘hat-trick’ de Paulinho

31.ª jornada

em

Foto: SC Braga

O SC Braga venceu, na sexta-feira, em casa do Paços de Ferreira 5-1 e continua firme na luta pelo terceiro lugar, após a 31.ª jornada da I Liga de futebol, num jogo marcado pela exibição de Paulinho.

O avançado bracarense marcou aos três, 34 e 38 minutos, nos dois primeiros casos na transformação de grandes penalidades, fez, depois, a assistência para o quarto golo, anotado por Ricardo Horta, aos 47. Uilton ainda reduziu para o Paços, aos 78, antes de Galeno fixar o resultado final, aos 89.

Na tabela, o Braga é quarto, com 56 pontos, a três do Sporting, que venceu na receção ao Santa Clara (1-0) e fecha o pódio, enquanto o Paços mantém por agora o 13.º lugar, com 34, mas sem beliscar o objetivo da permanência, mantendo sete pontos de vantagem para a primeira equipa em zona de descida (Portimonense).

O jogo foi menos equilibrado do que se esperava, com evidente supremacia do mais forte, o Braga, embalado por um golo marcado logo aos três minutos.

Desta forma, os minhotos descomplicaram um jogo que prometia dificuldades, tendo o técnico Artur Jorge devolvido ao ‘onze’ Ricardo Esgaio e Fransérgio, o elemento mais móvel da equipa, vagueando entre o meio-campo e um ataque que contou ainda com o talento de Trincão e Ricardo Horta, nos corredores laterais, no apoio a um inspirado Paulinho.

O avançado minhoto inaugurou o marcador e ‘bisou’, também de grande penalidade, aos 34 minutos, completando o ‘hat-trick’ aos 38, ao aproveitar um passe mal calculado por Pedrinho junto à área pacense.

O golo madrugador foi um duro golpe para os locais e atrasou a sua reação, espaçada nos intervalos do domínio bracarense, mas sem o acerto de outros jogos.

A equipa, com Bruno Santos a titular por castigo de Jorge Silva, estava mais moralizada do que nunca e, em caso de vitória, ‘carimbava’ de vez a permanência no principal escalão, mas nunca se recompôs face a um Braga sempre superior, a jogar no campo todo e que facilmente ganhava metros no terreno através de tabelas curtas, diagonais rápidas e combinações a um ou dois toques.

Face ao resultado desnivelado e aos cinco amarelos exibidos aos jogadores da casa no primeiro tempo, Pepa procurou controlar os danos e fez três alterações ao intervalo, mas a equipa voltou a entrar desconcentrada e permitiu o quarto golo bracarense, aos 47 minutos, por Ricardo Horta, após assistência de Paulinho.

O jogo estava decidido e perdeu alguma espetacularidade, ainda assim com o Braga sempre mais perto de marcar, mas seria o Paços a reduzir, pelo suplente Uilton, aos 78 minutos. O pacense Bruno Santos ainda enviou uma bola ao ‘ferro’, instantes antes de Galeno, a passe de André Horta, fechar o marcador e fixar o resultado final.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira.

Paços de Ferreira – SC Braga, 1-5.

Ao intervalo: 0-3.

Marcadores:

0-1, Paulinho, 03 minutos (grande penalidade).

0-2, Paulinho, 34 (grande penalidade).

0-3, Paulinho, 38.

0-4, Ricardo Horta, 47.

1-4, Uilton, 78.

1-5, Galeno, 89.

Equipas:

– Paços de Ferreira: Ricardo Ribeiro, Bruno Santos, Marcelo, Maracás (Marco Baixinho, 46), Oleg, Stephen Eustáquio, Luiz Carlos (Diaby, 46), João Amaral (Uilton, 65), Pedrinho (Hélder Ferreira, 46), Adriano Castanheira e Douglas Tanque (Denilson, 55).

(Suplentes: Marco Ribeiro, Marco Baixinho, Bruno Teles, Diaby, Vasco Rocha, Uilton, Hélder Ferreira, Denilson e Welthon).

Treinador: Pepa.

– SC Braga: Matheus, Ricardo Esgaio, Bruno Viana (Bruno Wilson, 74), David Carmo, Pedro Amador, Trincão (Galeno, 79), André Horta, João Palhinha (Abel Ruiz, 65), Ricardo Horta (Rui Fonte, 79), Fransérgio e Paulinho (João Novais, 79).

(Suplentes: Eduardo, Bruno Wilson, Raul Silva, João Novais, Sanca, Abel Ruiz, Leandro Sanca, Galeno e Rui Fonte).

Treinador: Artur Jorge.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Oleg (02), Luiz Carlos (12), Stephen Eustáquio (14), Maracás (28), Pedrinho (28), João Palhinha (30), Pedro Amador (71) e Bruno Wilson (82).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 00h30)

Continuar a ler

Populares