Seguir o O MINHO

País

Santuário de Fátima prevê despedir até 50 trabalhadores

Covid-19

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O Santuário de Fátima tem em curso um plano de reestruturação que prevê o despedimento de até 50 trabalhadores devido à queda abrupta nas receitas causadas pela epidemia de covid-19, disse a porta-voz do espaço.


Em declarações à Lusa, Carmo Rodeia adiantou que o Santuário de Fátima iniciou um plano de restruturação interna que visa a redução de postos fixos devido à queda abrupta do número de peregrinos, sobretudo estrangeiros, devido à covid-19.

“Informou-se os trabalhadores da situação e deu-se a possibilidade de refletirem sobre a sua situação contratual de forma voluntária. Por isso é prematuro estarmos a falar em números concretos para a redução de postos, mas no final do processo estamos em crer que não chegará à meia centena”, disse, adiantando que o Santuário tem atualmente 308 colaboradores.

Carmo Rodeia explicou que a pandemia causou inúmeros constrangimentos na vida das pessoas e uma crise económica em todos os setores e o turismo não foi exceção, especialmente o turismo religioso, com um impacto muito significativo no fluxo de trabalho e na gestão económico-financeira do Santuário.

“Desde o início da pandemia que verificámos no Santuário uma diminuição muito expressiva do número de peregrinos, sobretudo estrangeiros. Entre os dias 13 de março e 30 de maio, o Santuário não teve peregrinos e desde que desconfinámos, retomando as celebrações com a presença de peregrinos, a verdade é que tivemos quebras em junho, julho e agosto nos grupos organizados, sobretudo grupos estrangeiros, superiores a 95%”, disse a porta-voz.

Carmo Rodeia explicou que o plano começou logo no início da pandemia quando se percebeu que iria impor restrições ao acolhimento de peregrinos e com a redução da atividade, nomeadamente ao nível formativo, catequético e cultural com a suspensão ou cancelamento de atividades diversas como por exemplo o Simpósio que costuma ocorrer em junho, encontros formativos e retiros.

Por isso, “de forma responsável e em nome da sustentabilidade do Santuário e para que em nenhum momento possam ficar comprometidas as condições necessárias para o cumprimento da sua missão, que é acolher os peregrinos, o Santuário decidiu implementar este plano de restruturação para garantir a paz social dentro da instituição”, sublinhou.

A porta-voz da instituição enalteceu também o “trabalho inexcedível” de todos os colaboradores do Santuário de Fátima.

“Foi-lhes [trabalhadores] apresentada a situação do Santuário que eles conhecem bem. Aliás, os trabalhadores têm sido inexcedíveis neste período de pandemia na colaboração em serviços que nem são da sua área de trabalho para corresponder às necessidades do Santuário”, contou.

Carmo Rodeia disse ainda que a instituição “garante que a redução dos postos de trabalho será a menor possível para que nunca comprometa aquela que é a missão do Santuário: acolher bem os peregrinos que vão a Fátima”.

Anúncio

País

Presidente do Parlamento Europeu em isolamento após funcionário testar positivo para covid-19

David Sassoli é o terceiro alto responsável das instituições europeias a isolar-se

em

O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, entrou hoje em isolamento após um membro da sua equipa ter testado positivo para a covid-19, anunciou o líder da assembleia europeia, garantindo sentir-se bem e sem sintomas.

“Estive recentemente em contacto com um membro da minha equipa que hoje acusou positivo no teste para a covid-19. Estou bem e não tenho sintomas”, informou David Sassoli através de uma mensagem na rede social Twitter.

Porém, como ditam as regras belgas, Sassoli ficará “isolado durante o período adequado para efetuar os testes necessários”, adiantou o responsável italiano.

O anúncio foi feito no dia em que termina em Bruxelas uma mini-sessão plenária do Parlamento Europeu, presidida desde segunda-feira por David Sassoli, ainda que grande parte dos trabalhos tenham sido realizados à distância (por videoconferência).

David Sassoli é o terceiro alto responsável das instituições europeias a isolar-se após ter estado em contacto com casos positivos de covid-19.

O primeiro foi o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, há duas semanas, após um dos seus seguranças ter testado positivo, o que obrigou desde logo à alteração da data de uma cimeira europeia extraordinária.

Já no início desta semana, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ficou em isolamento após ter participado na reunião do Conselho de Estado, em Portugal, isto depois de, no passado domingo à noite, a Presidência da República ter sido informada de que o conselheiro de Estado António Lobo Xavier estava infetado com covid-19.

Continuar a ler

País

Covid-19: 10 mil empresas já pediram apoio à retoma progressiva

Economia

em

Ana Mendes Godinho. Foto: DR / Arquivo

O apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial já foi pedido por 10 mil empresas, anunciou hoje a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho.

A governante, que falava após a reunião de hoje do Conselho de Ministros, na qual foi aprovada uma alteração ao regime de apoio extraordinário relativo à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial, acrescentou que daquelas 10 mil empresas, “48% tem uma quebra de atividade superior a 75%”, devido à pandemia da covid-19.

Com a aprovação destas alterações, aquele apoio vai permitir às empresas com quebras de faturação acima dos 75% reduzir os horários de trabalho até 100%, garantindo ao trabalhador um mínimo de 88% da retribuição, assegurando a Segurança Social a compensação retributiva.

O objetivo, disse a governante, é “reforçar os apoios aos empregadores em maior dificuldade” e “alargar o acesso a mais empregadores”, tendo em vista “melhorar” a cobertura do apoio e os incentivos à formação.

“Introduzem-se agora alterações aos limites máximos a observar na redução do período normal de trabalho, às regras aplicáveis à determinação da compensação retributiva devida aos trabalhadores e ao regime de apoios concedidos pela segurança social, ao conceito de situação de crise empresarial considerado no âmbito da medida e, ainda, aos apoios complementares a conceder no âmbito do plano de formação complementar”, lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.

Com esta alteração, são também reforçados os apoios complementares a conceder no âmbito do plano de formação complementar, com um aumento do valor da bolsa para o plano de formação, que era de 66 euros, para 132 euros para o empregador, e de 66 euros para 176 euros para o trabalhador.

Ana Mendes Godinho referiu ainda que a alteração hoje aprovada contempla ainda a criação de um novo escalão para as empresas com quebras de faturação entre os 25% e os 40%, as quais vão poder reduzir até 33% o período normal de trabalho, como já havia sido anunciado pelo ministro da Economia da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira, na semana passada.

O regime do apoio à retoma progressiva de atividade foi o instrumento que, em agosto, substituiu o ‘lay-off’ simplificado.

A ministra do Trabalho destacou ainda outros instrumentos de apoio, como os que existem no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), como o programa Ativar.pt que conta já com duas mil candidaturas.

Continuar a ler

País

Covid-19: Mais 10 mortos, 1.278 infetados e 480 recuperados no país

Boletim diário da DGS

em

Foto: DR / Arquivo

Portugal regista hoje mais 10 mortos e 1.278 novos casos de infeção por covid-19, em relação a quarta-feira, segundo o boletim epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Esta é a terceira vez em que Portugal ultrapassa os mil casos por covid-19 desde o início da pandemia, sendo a primeira a 31 de março (com 1035 casos) e a segunda a 10 de abril (com 1516 casos).

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registam-se 82.534 casos de infeção confirmados e 2.050 mortes.

Há ainda 51.517 recuperados, mais 480 do que ontem.

Continuar a ler

Populares