Seguir o O MINHO

Região

Salvador Caetano admite integração de 300 pessoas para reforçar aposta nos autocarros

Grupo fornece os TUB – Transportes Urbanos de Braga

em

Foto: DR / Arquivo

O grupo Salvador Caetano admite a integração de 300 trabalhadores este ano para reforçar a aposta no segmento de autocarros, indicou hoje um dos administradores, José Ramos, que lamentou a escassez de mão de obra qualificada.

“No ano passado admitimos cerca de 300 pessoas e este ano vai pelo mesmo caminho. Já entraram cerca de 100 e até ao final do ano [devem chegar mais] 200”, disse José Ramos, presidente da Salvador Caetano Indústria, quando falava aos jornalistas à margem da inauguração das novas instalações do centro de formação.

A cerimónia que contou com a presença do ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, bem como do presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues.

O grupo Salvador Caetano apostou, recentemente, num novo projeto de fabrico de autocarros movidos a hidrogénio que se transforma em eletricidade.

E a par desta aposta, a empresa está também no mercado de autocarros para servir os aeroportos, bem como para transportadoras nacionais como os Transportes Urbanos de Braga (TUB), a Carris – Transportes Públicos de Lisboa ou a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) ou a Transportes do Barreiro.

De acordo com José Ramos, “o mercado nacional foi a linha de arranque”, mas, acrescentou, “na linha de produção de autocarros estão unidades que seguirão para Inglaterra e para outros países”, estando em causa “uma aposta internacional”.

“E é para esse segmento [os autocarros] que precisamos de mais colaboradores”, disse o administrador.

Hoje o grupo Salvador Caetano inaugurou em Gaia, no distrito do Porto, as instalações novas do seu centro de formação que existe desde 1983 e pelo qual passaram cerca de 4.000 alunos.

Neste momento, o centro acolhe 150 formandos em cinco cursos e no país existem sete polos.

José Ramos destacou que a taxa de empregabilidade dos alunos do centro de formação da Salvador Caetano é de 98%, sendo que 10% segue para a faculdade e cerca de metade fica no grupo.

Questionado sobre se sente carência de mão-de-obra, o responsável da empresa foi perentório: “Se há. Há muita, muita carência de trabalhadores”.

“Mesmo na área das vendas, na parte comercial, há carência. Damos formação também a vendedores, embora predominantemente o foco seja na indústria porque estamos a crescer e precisamos de pintores, chapeiros e mecânicos para a indústria dos autocarros. No mês de agosto vamos fazer um curso extraordinário para pintores”, contou.

Na cerimónia de hoje, o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, considerou que a Salvador Caetano “é pioneira em Portugal no campo da formação profissional” e defendeu que “as empresas nunca devem separar-se da formatação do sistema de ensino do país”.

“Sejam embaixadores desta experiência porque estão a valorizar a vossa vida, esta empresa e o país”, disse o governante quando se dirigiu aos alunos presentes.

Já Eduardo Vítor Rodrigues recordou que Gaia está a apostar num projeto de metrobus, tendo “convocado” a Salvador Caetano, “um grupo com tecnologia de ponta e cultura de empresa que valoriza e acredita nas pessoas”, a participar na discussão desta medida.

Anúncio

Braga

Lídia Dias, vereadora em Braga, na nova direção do CDS. Bessa e Mota na comissão política

Rui Barreira, de Guimarães, também integra lista nacional

em

Foto: Divulgação

Lídia Brás Dias, vereadora com os pelouros da Educação e Cultura na Câmara de Braga, foi eleita para a comissão executiva do CDS, encabeçada pelo novo presidente, Francisco Santos.

A bracarense é um dos 17 elementos integrantes da nova direção executiva do partido, anunciada este domingo, durante o 38.º congresso nacional.

Recorde-se que, publicamente, a vereadora nunca apoiou nenhum dos candidatos, ao contrário de Altino Bessa e Francisco Mota, também eles com cargos eleitos na nova vida do CDS.

Altino Bessa, vereador com os pelouros da Proteção Civil, do Turismo ou do Ambiente, em Braga, ocupará funções como vogal na Comissão Política Nacional (CPN) do CDS. Apoiante de Filipe Lobo d’Ávila, o celoricense radicado em Braga aproxima-se do partido, depois de uma zanga de quatro anos, por não concordar com as escolhas dos nomes de deputados a serem eleitos pelo distrito.

Outro dos eleitos para vogal na CPN é Francisco Mota, líder da Juventude Popular de Braga e fervoroso apoiante do novo líder do CDS, seu homólogo a nível nacional.

Recorde-se que Mota era assessor de Altino Bessa na Câmara de Braga, mas escolhas diferentes sobre quem apoiar levaram ao afastamento do jovem político.

Também Rui Barreira, de Guimarães, foi eleito para as mesmas funções de vogal na CPN.

CPN eleita com 65,7%

A CPN do CDS, de Francisco Rodrigues dos Santos, foi hoje eleita com 65,7% dos votos dos delegados ao 28.º congresso nacional do partido em Aveiro.

Os resultados foram anunciados pelo presidente cessante da mesa do congresso, Luís Queiró, na abertura da sessão de encerramento.

A lista do novo líder recebeu 865 votos, o que corresponde a 65,7%, e 451 votos em branco.

A lista ao conselho nacional, órgão mais importante entre congressos, liderada por Francisco Rodrigues dos Santos, obteve 51,9% (678 votos) e a de João Almeida, o candidato derrotado, obteve 581 (44,5%) e 45 brancos.

O conselho de jurisdição, a que concorreram duas listas, a lista A, a do líder, recolheu 699 votos (53,9%) e a B, de João Almeida, 508 (39,2) e 89 brancos.

Para o conselho de fiscalização também concorreram dias listas, tendo a A recebido 714 votos (54,3%) e a B 490 votos (37,2%) e 111 brancos.

A mesa do congresso, presidida por Martim Borges de Freitas, foi eleita com 879 votos (66,8%) e 435 brancos.

A mesa do conselho nacional, que será presidida por Filipe Anacoreta Correia, obteve 880 votos (67%) e 432 brancos.

Francisco Rodrigues dos Santos entrou na sala do Congresso cerca das 15:16, sendo aplaudido por apoiantes, que gritaram “Portugal/Portugal”.

Acompanhado pelos que serão dois dos seus vice-presidentes, António Carlos Monteiro e Filipe Lobo d`Ávila, Francisco Rodrigues dos Santos cumprimentou pelo caminho os delegados e, no final, os convidados, representantes dos partidos, de confederações sindicais e do governo, entre outros.

Depois, aguardou a proclamação dos resultados das eleições para os órgãos dirigentes antes de subir, com a nova direção, ao palco do congresso para o discurso de encerramento.

Quando foi chamado ao palco, o vice-presidente António Carlos Monteiro, envolvido hoje numa polémica em torno do seu convite para a direção nacional, foi recebido com algumas assobios e poucas palmas, em comparação com outros membros da comissão política.

Lista completa dos órgãos nacionais eleitos no 28.º Congresso do CDS-PP, que decorreu no Parque de Exposições de Aveiro:

COMISSÃO EXECUTIVA

Presidente: Francisco Rodrigues dos Santos

Vice-presidentes: Filipe Lobo d’Ávila, Miguel Barbosa, Artur Lima, António Carlos Monteiro, Francisco Laplaine Guimarães, Paulo Jorge Duarte e Sílvio Cervan.

Secretário-geral: Francisco Carvalhão Tavares

Coordenador autárquico: Fernando Barbosa

Vogais: Abel Matos Santos, Maria Campos, Lídia Brás Dias, Raul Almeida, José Miguel Garcez, Artur Lima (inerente por ser presidente do CDS-PP Açores) e Rui Barreto (inerente por ser presidente do CDS-PP Madeira)

COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL (além dos membros da Comissão Executiva)

Vogais: Ana Silva, Alonso Teixeira Miguel, Diogo Vasconcelos, Gonçalo Moita, Miguel Matos Chaves, Rosa Guerra, Nuno Baeta Correia, Hugo Nunes, Maria Tavares, João Forsado Gonçalves, Luís Marinho, Vítor Pimentel, Pedro Marques Pereira, Tiago Telo de Abreu, Tiago Carvalho de Sousa, Fernando Camelo Almeida, Francisco Pires Mota, Pedro Rebelo Tavares, João Leal de Moura, Hélder Rodrigues, Sara Gomes, José Caçorino, José Montenegro, Pedro Melo, João Medeiros, José Anacoreta Correia, José Dinis Carmo, Paulo Cunha de Almeida, Tiago Loureiro, João Castanheira, Maurício Rodrigues, João Freire de Andrade, Gabriel Fernandes, Francisco Kreye, Luís Miguel Graça, Altino Bessa, Rui Barreira, José Sampaio, Pedro Parada Monteiro, Nuno Correia da Silva, Ricardo Rossi e Pedro Pestana Bastos

MESA DO CONGRESSO

Presidente: Martim Borges de Freitas

Vice-presidentes: Sérgio Casado, Paulo Silva e Silva e André Levi.

Secretários: Conceição Pinto, Manuel Marques, Ana Paula Artur e Maria Céu Moleiro

MESA DO CONSELHO NACIONAL

Presidente: Filipe Anacoreta Correia

Vice-presidentes: João Diogo Moura e Silvino Malho Rodrigues

Secretários: Nelson Plácido, Joana Bento Rodrigues, Amélia Mestre, Vítor Pereira

CONSELHO NACIONAL DE FISCALIZAÇÃO

Presidente: Marco Rodrigues Dias

Vice-presidente: Artur Jorge Basto

Vogais: José Pires dos Reis, Linda Oliveira, Francisco Aguiar, Nuno Moreira e Frutuoso Tomé

CONSELHO NACIONAL DE JURISDIÇÃO

Presidente: Alberto Rodrigues Coelho

Vice-presidente: Miguel Alvim

Vogais: Marta Carvalho Esteves, Filipe Matias Santos, Diogo Feio, Otília Gomes e João Monge Gouveia

CONSELHO NACIONAL

Vogais: Ana Correia Pinto, Artur Viana, Margarida Penedo, Gonçalo Alves, Rui Martins, Isilda Guerreiro, Tiago Vasconcelos, Maria Freitas, Fernando Peres, João Pedro Dias, José Mendes Pinto, Ana Sanches, António Barbosa, Agostinho Guedes, Manuel Carvalho, Hugo Filipe, Maria Anacoreta Correia, João Oliveira, António da Silva Santos, Fábio Joaquim, Inês Palma Teixeira, Jorge Pereira, Eduarda Ferreira, Francisco Peixoto da Silva, Rui Mateus, Duarte Sardinha, Liliana Silva, Nuno Pereira de Magalhães, Lucinda Carpinteiro, António Pinto Moreira, Aires Patrício, Nuno Lobo, Raquel Carreira, Sara Sepúlveda da Fonseca, Rui Espírito Santo, José Marcelo Pinto, António Moreira, Luís Pedro Mateus, João Almeida, Rui Barreto, Catarina Araújo, Nuno Magalhães, José Pinheiro, Adolfo Mesquita Nunes, Maria Luísa Aldim, Hélder Amaral, Álvaro Castelo-Branco, Duarte Novo, Durval Ferreira, Nuno Gusmão, Ricardo Tavares da Silva, Paulo Sousa, Maria Roque, Pedro Moutinho, João Pedro Gomes, António José Batista, João Condeixa, Alexandre Teixeira, Ângelo Santos, Ricardo Mendes, Gonçalo Camacho, Beatriz Proença João, John Baker, Patrícia Fonseca, Manuel Gonçalves, Patrícia Ribeiro, Maria Inês Mineiro, Isabel Coelho, José Souto Pereira e Ana Maria Machado

Continuar a ler

Braga

Ferido grave após despiste contra muro em Braga

Em Palmeira

em

Foto: Francisco Martins no grupo de Facebook "Moina na Estrada"

Duas pessoas sofreram ferimentos na sequência de um despiste contra um muro, em Palmeira, Braga, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Por circunstâncias ainda por apurar, a viatura onde seguiam os dois passageiros embateu contra um muro, junto às oficinas da Transdev, na Avenida do Cávado, que liga Braga a Vila Verde/Amares.

No local, estiveram os Bombeiros Sapadores de Braga com duas ambulâncias e uma viatura de desencarceramento, no total de dez operacionais.

Houve necessidade de desencarcerar o ferido grave de dentro da viatura, disse a O MINHO fonte do CDOS de Braga.

A equipa médica da VMER de Barcelos efetuou o acompanhamento da vítima que inspirava maiores cuidados até ao Hospital de Braga, assim como do ferido ligeiro.

A GNR registou a ocorrência que condicionou o trânsito durante cerca de uma hora.

O alerta foi dado às 15:24.

Continuar a ler

Alto Minho

“Conseguimos, car****!”: Bilheteira do Rocha em Caminha paga mão mioelétrica ao Diogo

em

Foto: Facebook de Fernando Rocha

O espetáculo solidário do comediante Fernando Rocha, em Caminha, arrecadou cerca de 13 mil euros para ajudar a comprar uma mão mioelétrica para o jovem Diogo Farinhoto. A empresa que construiu a prótese disponibilizou-se para cobrir o valor restante.

Natural de Gondar, Caminha, o jovem Diogo nasceu com uma deficiência grave. Há cerca de oito anos, através de uma campanha para que conseguisse uma prótese de braço, foi notícia em Portugal e Espanha.

Atualmente, necessitava de nova ajuda, para uma mão mioelétrica, e Fernando Rocha, conhecido comediante, decidiu ajudar com este espetáculo, que decorreu este sábado, no Pavilhão Desportivo Municipal de Caminha.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Inicialmente previsto para o Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora, houve necessidade de encontrar o maior local do concelho para este tipo de eventos, dada a grande procura por bilhetes.

O comediante anunciou nas redes sociais que foram angariados 13 mil euros e que o objetivo para ajudar o Diogo “foi cumprido”.

“Apesar de não chegar para cobrir as despesas da prótese, o doutor Marco Baggini da Ortoadapta, empresa que construiu a prótese, assumiu o restante”, anunciou Fernando Rocha.

Foto: Divulgação

 

De acordo com o Âncora Praia Futebol Clube, parceiro na organização do evento, foram ainda angariados 795 euros, fruto da receita da bilheteira do jogo entre os caminhenses e o Courense, para a 1.ª divisão da AF Viana.

Continuar a ler

Populares