Seguir o O MINHO

Desporto

SAD do Vitória obtém lucro pela quinta época seguida

Terminou a época 2018/19 com lucro de 1,2 milhões de euros

em

Foto: DR / Arquivo

A SAD do Vitória Sport Club (SC), responsável pela equipa que compete na I Liga portuguesa de futebol, terminou a época 2018/19 com lucro de 1,2 milhões de euros (ME), mantendo-se com resultados positivos há cinco anos seguidos.

Criada em 2013, a SAD vimaranense obteve o primeiro resultado líquido positivo em 2014/15 (1,25 ME) e manteve-se no ‘verde’ em 2015/16 (364.000 euros), 2016/17 (2,8 ME), 2017/18 (810.000 euros) e na última temporada, cujo relatório e contas, exposto hoje no site oficial, vai ser discutido e votado em assembleia geral de acionistas, em 24 de setembro.

Na última época sob a administração de Júlio Mendes – o ex-presidente do clube e da SAD demitiu-se em 27 de maio -, o Vitória obteve 1,2 ME de lucro final, com uma diferença positiva entre rendimentos e gastos de 7,2 ME (subida de 38,5% face a 2017/18), reduzida pela desvalorização de passes de jogadores e de material (amortizações e depreciações), juros e impostos.

Os rendimentos totais da SAD cresceram 29% face à época 2017/18, para 26,93 ME, face à subida das vendas associadas à atividade corrente da sociedade, de 9,8 para 12,6 ME, e do “valor mais alto de sempre”, 14,2 ME, obtido na venda de passes de jogadores, como Raphinha (Sporting), Hurtado (Konyaspor, da Turquia), Konan (Reims, França) e Sturgeon (Feirense).

O documento refere mesmo que as vendas de jogadores são decisivas para o resultado positivo, já que o “valor dos resultados operacionais” da atividade corrente da SAD foi negativo, em cerca de 7,2 ME, também fruto do aumento dos gastos totais, de 15,8 ME (2017/18) para 19,8 ME.

Essa subida verificou-se, sobretudo, nos gastos com pessoal, que cresceram de 8,8 para 11,6 ME, numa época em que o número de jogadores subiu de 69 para 81, após a criação da equipa sub-23, e os seus salários cresceram 28%, de 5,7 para 7,3 ME.

O ativo total da SAD manteve-se praticamente inalterado (26,2 ME), embora com uma subida dos ativos intangíveis (passes de jogadores), de 12,2 para 14 ME.

O passivo baixou de 23,1 para 22,1 ME, face ao pagamento de créditos do clube na SAD (716.000 euros), enquanto o capital próprio subiu de 3,1 para 4,2 ME, valor que corresponde a 93% do capital social da SAD (4,5 ME).

Anúncio

Futebol

Ricardo Horta renova com SC Braga até 2024

Anunciou o clube

em

Foto: SC Braga

O extremo Ricardo Horta renovou contrato com o Sporting Clube (SC) de Braga até 2024, revelou esta segunda-feira o clube da I Liga de futebol.

A cumprir a quarta época nos guerreiros, Ricardo Horta, de 25 anos, já fez 138 jogos e 35 golos, quatro dos quais esta época, pelo SC Braga.

“Esta aposta do clube significa a recompensa do trabalho que tenho vindo a fazer. Foram três grandes anos, agora está a iniciar-se o quarto e espero que corra tão bem como até aqui. É um sentimento de orgulho porque é um prazer enorme jogar aqui e representar este clube”, afirmou à televisão do clube.

O jogador disse ainda que o que o motivou a prolongar a ligação “é continuar a ajudar o clube a crescer”.

“Eu e o presidente temos a mesma ambição e os mesmos objetivos. Sinto que temos muito caminho a percorrer em conjunto e, por essa razão, entendo que faz todo o sentido prolongar a minha ligação ao Braga”, disse.

Para Ricardo Horta, poder estar em Portugal “é bastante confortável” e, no SC Braga, sente-se “completamente em casa”.

“Posso dizer que, aqui, estou na minha zona de conforto, a fazer aquilo de que mais gosto, que é jogar futebol”, disse.

Continuar a ler

Campeonato de Portugal

Rúben Amorim vai treinar o Braga B

Campeonato de Portugal

em

Foto: DR / Arquivo

O antigo futebolista português Rúben Amorim vai assumir o comando técnico da equipa B do SC Braga, avança o Mais Futebol.

De acordo com o jornal digital, o antigo jogador do clube, que também passou pelo Benfica, encontra-se, nesta segunda-feira à tarde, na cidade dos arcebispos, para acertar os últimos pormenores com vista a substituir Rui Santos.

O SC Braga B, que na época passada foi despromovido ao Campeonato de Portugal, soma duas vitórias e duas derrotas na competição, a última das quais na passada sexta-feira, em Guimarães (2-0).

Esta é a segunda experiência de Rúben Amorim à frente de uma equipa, depois de uma curta experiência no Casa Pia.

4.ª Jornada do Campeonato de Portugal

Na próxima jornada, no sábado, os arsenalistas recebem o Cerveira, naquele que deverá ser o jogo de estreia do novo treinador.

Continuar a ler

Futebol

Portugal com maioria de quatro clubes na fase de grupos da Liga Europa

Ranking

em

Foto: DR

Portugal tem pela primeira vez quatro equipas na fase de grupos da Liga Europa em futebol e é o país mais representado entre os 26 com clubes na segunda competição da UEFA.

O recorde luso era de três equipas, por quatro vezes, na edição inaugural, em 2009/10, com Benfica, Nacional e Sporting, em 2012/13, com Académica, Marítimo e os leões, em 2013/14, com Estoril Praia, Paços de Ferreira e Vitória Sport Club (SC), e ainda em 2015/16, com Belenenses, Sporting  e Sporting Clube (SC) de Braga.

Em 2019/20, o futebol luso conta com quatro formações e só uma teve entrada direta, o Sporting, na qualidade de vencedor da edição 2018/19 da Taça de Portugal – superou na final o FC Porto por 5-4, nos penáltis, depois de 2-2 nos 120 minutos.

Por seu lado, os dragões estão na fase de grupos da Liga Europa nove anos depois da última presença, que acabou por resultar na vitória na competição, porque tombaram, de forma inesperada, na terceira pré-eliminatória da Champions.

Ao contrário dos portistas – eliminados com surpresa pelo Krasnodar (1-0 fora e 2-3), depois esmagado pelo Olympiacos -, SC Braga e Vitória ultrapassaram duas e três pré-eliminatórias, respetivamente.

Os arsenalistas eliminaram Brondby (4-2 fora e 3-1 em casa) e Spartak Moscovo (1-0 em casa e 2-1 fora), enquanto o Vitória despachou Jeunesse Esch (1-0 fora e 4-0 em casa), Ventspils (3-0 fora e 6-0 em casa) e FCSB (0-0 fora e 1-1 em casa).

Face ao desastre portista e ao sucesso dos minhotos, Portugal é o único país com quatro equipas na fase de grupos, secundado por seis, todos com três representantes: Alemanha, Espanha, Holanda, Inglaterra, Suíça e Turquia.

Por seu lado, Áustria, Bélgica, Escócia, França, Itália, Rússia e Ucrânia têm todos duas equipas e Azerbaijão, Bulgária, Cazaquistão, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Hungria, Luxemburgo, Noruega, Roménia, Sérvia e Suécia apenas uma.

Ranking de presenças na fase de grupos por país:

1. Portugal 4 equipas

2. Alemanha 3

. Espanha 3

. Holanda 3

. Inglaterra 3

. Suíça 3

. Turquia 3

8. Áustria 2

. Bélgica 2

. Escócia 2

. França 2

. Itália 2

. Rússia 2

. Ucrânia 2

15. Azerbaijão 1

. Bulgária 1

. Cazaquistão 1

. Chipre 1

. Dinamarca 1

. Eslováquia 1

. Hungria 1

. Luxemburgo 1

. Noruega 1

. Roménia 1

. Sérvia 1

. Suécia 1

– Presenças de equipas portuguesas na fase de grupos:

2019/20 4 (FC Porto, Sporting, Sporting de Braga e Vitória de Guimarães)

2018/19 1 (Sporting)

2017/18 2 (Sporting de Braga e Vitória de Guimarães)

2016/17 1 (Sporting de Braga)

2015/16 3 (Belenenses, Sporting e Sporting de Braga)

2014/15 2 (Estoril Praia e Rio Ave)

2013/14 3 (Estoril Praia, Paços de Ferreira e Vitória de Guimarães)

2012/13 3 (Académica, Marítimo e Sporting)

2011/12 2 (Sporting e Sporting de Braga)

2010/11 2 (FC Porto e Sporting)

2009/10 3 (Benfica, Nacional e Sporting)

Continuar a ler

Populares