Seguir o O MINHO

Cávado

“Sacaram” quase três mil euros de conta através de burla informática em Esposende

Quatro arguidos acusados pelo Ministério Público

em

Foto: Ilustrativa / DR

O Ministério Público (MP) de Esposende acusou quatro arguidos que “sacaram” 2.898 euros da conta de uma cliente do Montepio Geral, imputando-lhes os crimes de acesso ilegítimo e burla informática, anunciou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.


Em nota publicada na sua página, aquela procuradoria refere que o Ministério Público (MP) considerou indiciado que dois dos arguidos acederam, em janeiro de 2016, aos dados necessários para o acesso e movimentação, através de homebanking, das contas bancárias de uma cliente do Montepio Geral.

Os arguidos terão acedido, nomeadamente, ao número de utilizador, palavra-passe e dados do cartão matriz.

Segundo a acusação, a titular da conta foi induzida à inserção daqueles dados num falso site do Montepio Geral, criado pelos arguidos.

Na posse dos dados, aqueles dois arguidos, nos dias 08 e 09 de janeiro de 2016, acederam às contas da referida cliente e movimentaram-nas, transferindo as quantias nelas depositadas para outras contas tituladas pelos outros dois arguidos.

Apoderaram-se, assim, da quantia de 2.898 euros.

Posteriormente, os arguidos repartiram o dinheiro entre eles, “conforme combinado entre todos”.

Anúncio

Cávado

Tribunal lê esta sexta-feira acórdão à mulher que esfaqueou marido nas costas em Esposende

Justiça

em

Foto: Ilustrativa / DR

O Tribunal de Braga procede, esta sexta-feira, à leitura do acórdão do julgamento de uma mulher, de origem colombiana, mas já naturalizada portuguesa, que, em abril de 2018, nas Marinhas, Esposende, deu uma facada nas costas do marido, quando ele dormia, com a intenção de o matar.

A faca partiu-se pelo cabo, ficando a lâmina, de oito centímetros, enterrada no corpo da vítima. Nas alegações finais, a procuradora do Ministério Público pediu, por isso, ao Tribunal que seja condenada por homicídio qualificado na forma tentada.

A magistrada rejeitou a tese de que teria havido um acidente, com a vítima a cair em cima da faca, e lembrou que a arguida Eliana Yurlev Henão, de 37 anos, nem sequer pediu socorro apesar de o marido, António Maria Ganas, estar a sangrar abundantemente.
Valorou os depoimentos da vítima e da filha deste, Maria, que, ao ouvir os gritos do pai, correu para o quarto e estancou a perda de sangue, salvando-lhe a vida. E chamou o INEM.

Já a advogada de defesa Raquel Rodrigues Ribeiro pediu a absolvição da sua constituinte, argumentando que “não teve intenção de espetar a faca”, e defendeu insistindo que se tratou de um acidente, ocorrido num contexto de seis anos de violência doméstica: “houve confrontos físicos que culminaram com a faca espetada, por acaso”, disse.

Anteriormente, a arguida, que agora vive em Valença, pedira a palavra para voltar a dizer que não quis matar o marido e manifestar-se “arrependida”. Solicitou “uma segunda oportunidade para poder cuidar dos filhos e do neto”.

“Não fui eu!”

Na primeira sessão do julgamento, e conforme o MINHO noticiou, a mulher declarou: “Não sei. Não fui eu que o esfaqueei, nem tentei matá-lo”. E, posteriormente, veio a acrescentar que se «enrolou» com o marido numa briga e que este caiu em cima da cama, tendo sido espetado pela faca que ali estaria.

Foi esta a versão dada ao Tribunal de Braga pela imigrante colombiana, Eliana Yurlev Henão, de 37 anos, já naturalizada portuguesa, a qual contou que, na noite do crime, em abril de 2018, discutiu com o marido, o português António Maria Ganas, após ter ido à cozinha beber água e comer uma maçã.

Diz ter pegado numa faca para cortar a fruta e ter ido dormir para o quarto em que estava com dois adolescentes, um filho seu e uma jovem de 16 anos, filha dele. Afirmou que não sabe o que sucedeu depois, nem mesmo o destino da faca, só se lembrando de ter acordado os filhos e chamar o 112. Atribuiu as discussões do casal a ciúmes do marido.

Marido desmente

Esta versão é desmentida pela vítima que disse ao MINHO que ela o esfaqueou nas costas, enquanto dormia, deixando-lhe uma parte da lâmina, com nove centímetros, no corpo, o que lhe perfurou um pulmão e chegou ao coração. E ainda tentou impedi-lo de respirar. “Mente. Quando foi detida disse à PJ de Braga e ao juiz que me tinha dado uma facada para me matar. Está no processo”, acrescentou.

Continuar a ler

Cávado

49 infetados no lar da Misericórdia de Fão

Covid-19

em

Foto: Misericórdia de Fão

Um surto de covid-19 foi detetado na Estrutura Residencial para Idosos da Santa Casa da Misericórdia de Fão, confirmou hoje à Lusa o presidente da câmara municipal de Esposende.

Benjamim Pereira assegurou que “estão a ser tomadas todas as medidas necessárias”, entre as quais a deslocação de idosos daquele lar, que tem a capacidade para 95 utentes.

Em comunicado enviado às redações, a Câmara de Esposende informa que aquela instituição tem 49 casos ativos, 33 utentes e 16 colaboradores.

A Comissão Municipal de Proteção Civil ativou uma das cinco zonas de concentração de apoio à população disponíveis no concelho, onde foram acomodados sete utentes da instituição.

“Felizmente estamos muito bem preparados desde a primeira hora e estamos a abordar com serenidade a questão”, afirmou o autarca.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,4 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 4.209 em Portugal.

(notícia atualizada às 20h14 com informações da Câmara de Esposende)

Continuar a ler

Barcelos

Surtos em dois lares da Misericórdia de Barcelos com 74 infetados

Covid-19

em

Foto: DR

Há dois surtos em dois lares da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos com um total de 74 infetados – 54 utentes e 20 funcionários, revelou hoje a instituição.

Um surto é no Lar Rainha D. Leonor, onde se registam 38 utentes e 12 colaboradores com resultados positivos. E no Lar da Misericórdia o surto afeta 16 utentes e oito colaboradores.

“Nas restantes estruturas residenciais para pessoas idosas, Lar Nossa Sra. da Misericórdia, Lar Santo André e Lar Comendadora Maria Eva Nunes Corrêa, bem como na Unidade de Cuidados Continuados Integrados, têm vindo a ser realizados testes, não se registando neste momento qualquer caso positivo para SARS-CoV-2, nem em utentes nem em colaboradores”, salienta a Misericórdia em comunicado.

Numa das quatro unidades de Educação na Infância, Centro Social Comendadora Maria Eva Nunes Corrêa (Silveiros), duas crianças tiveram resultado positivo, tendo sido infetadas em contexto familiar.

As crianças já se encontravam em isolamento domiciliário, quando realizaram o teste, mas, por uma questão de precaução, as respetivas turmas foram enviadas para casa, acrescenta a instituição.

“Todas as famílias – quer nas referidas estruturas residenciais para Pessoas Idosas, quer na unidade de Educação na Infância – foram de imediato informadas”, refere o comunicado, concluindo que a Misericórdia está, “desde o primeiro momento, focada em proteger e assegurar os melhores cuidados possíveis aos cerca de 1700 utentes que serve diariamente e aos seus mais de 400 colaboradores”.

Recorde-se que a Misericórdia já tinha registado surtos no Lar de Santo André e no Centro Infantil de Barcelos.

Continuar a ler

Populares