Seguir o O MINHO

Região

“Rui Rio é o líder que Portugal precisa para dar o salto”, afirma André Coelho Lima, candidato por Braga

PSD/Braga entrega listas esta segunda-feira

em

André Coelho Lima. Foto: DR

“Rui Rio é o líder de que o país precisa para dar o salto rumo ao desenvolvimento e à melhoria das condições de vida de todos os portugueses, é a única alternativa ao governo da geringonça que se limitou a gerir o dia-a-dia”. A afirmação é do cabeça de lista do PSD por Braga, André Coelho Lima, e foi feita a O MINHO a propósito da entrega das listas de candidatos pelo círculo eleitoral de Braga que ocorre esta segunda-feira de manhã no Tribunal de Braga.

Na opinião do candidato, o PSD apresenta-se “com a ambição de ser a escolha dos portugueses, e convicto de que tem propostas e projetos de progresso efetivo e de melhoria da sociedade e da economia portugueses”.

“Nas eleições todos os partidos partem do zero e são os portugueses que escolhem com base nos projectos e na seriedade com que são defendidos”, disse, sublinhando que o governo socialista “é fraco e apenas tem trazido estagnação”.

Questionado sobre as ideias que defende para o distrito de Braga, André Coelho Lima salienta que Braga, depois de Lisboa e do Porto, é a “nova zona” – o new comer – pois corresponde a uma área urbana dinâmica, quer em termos sócio-económicos quer culturais e de ensino e investigação, sendo a única que tem duas áreas – o centro histórico de Guimarães e o Bom Jesus de Braga – como património da humanidade.

“O nosso distrito é como que o próximo-futuro, porque tem dimensão e continua a crescer”, frisou, sublinhando que, na campanha, os social-democratas vão “puxar pelas características únicas de Braga, e exigir que lhe seja prestada outra atenção por parte do poder central”.

Depois de apresentada a lista, o PSD entra em pré-campanha estando programada uma visita ao distrito de Rui Rio, nesta quarta-feira, dia 28, com passagens por Guimarães, Braga e Famalicão.

Anúncio

Ponte de Lima

Divisões no CDS: Ex-vice da Câmara de Ponte de Lima faz campanha pelo PSD

Gaspar Martins, cuja indicação para cabeça de lista do CDS por Viana foi vetada em Lisboa, acompanhou os candidatos do PSD na feira quinzenal

em

Gaspar Martins, Jorge Mendes, Emília Cerqueira (n.º2) e Eduardo Teixeira (n.º3). Foto: Facebook de PSD Alto Minho Legislativas 2019

O ex-vice-presidente da Câmara de Ponte de Lima, Gaspar Martins, foi a surpresa na pré-campanha do PSD, esta segunda-feira, em terras limianas. Percorrendo a feira quinzenal, a caravana social democrata contou com a presença do histórico ligado ao CDS-PP, sempre ao lado do candidato laranja, Jorge Mendes.

Número dois da autarquia entre 2009 e 2017, lugar que passou, desde então, a ser ocupado por Mecia Martins, sua filha, Gaspar Martins foi indicado pela concelhia e pela distrital de Viana do Castelo para assumir o lugar de cabeça de lista do CDS no distrito, em maio, opção que foi vetada por Assunção Cristas, tendo a escolha do número um recaído em Filipe Anacoreta Correia.

Segundo O MINHO apurou junto de fontes internas do CDS/Ponte de Lima, a situação provocou grande desagrado a Martins, que, para além de ter sido rejeitado, sentiu que o autarca Víctor Mendes não defendeu convenientemente a proposta do seu nome, já que faltou à reunião da Conselho Nacional em que foram aprovados os cabeças de lista do partido e, dessa forma, não usou da sua influência, enquanto líder da histórica autarquia centrista, para marcar posição por si.

A situação, de acordo com as mesmas fontes, terá mesmo levado a que Gaspar Martins tenha confrontado Victor Mendes, em tom bastante crítico, na reunião da comissão política concelhia que se seguiu.

Divisões na Câmara

Este é mais um sinal, bastante ruidoso, da tensão que existe actualmente no executivo municipal, com duas fações a posicionarem-se pela sucessão no poder no pós-Victor Mendes. Num dos lados está a vice-presidente, Mecia Martins, no outro estão os outros três vereadores: Ana Machado, Vasco Ferraz e Paulo Sousa. Ferraz é considerado o líder desta fação.

Gaspar Martins tem, ultimamente, desafiado o poder instituído com uma série de acções como que demonstrando o poder que ainda tem nos bastidores. O aparecer em público com presidentes de Junta, a colocação de iluminação no prédio do centro histórico aproveitando uma alegada brecha no regulamento municipal ou, agora, ao lado do PSD em campanha, são gestos de quem quer ser um player nas próximas eleições.

Por seu lado, Mecia Martins tem, última e publicamente, assumido uma postura crítica em relação a alguns temas mais quentes dando sinais de que a qualquer momento pode romper com o resto do executivo. O último episódio aconteceu antes das Feiras Novas, quando a Mecia sugeriu que a Polícia Judiciária deveria investigar as contas da Associação Concelhia das Feiras Novas, presidida por Ana Machado, sua colega na vereação do CDS.

A O MINHO, fonte ligada à política limiana refere que Mecia Martins “não irá sair do executivo nem abdicar dos pelouros mas irá fazer alguma política de ‘terra queimada’, sobretudo, em relação aos pelouros dos outros três vereadores”.

Ministério Público

Recorde-se que tanto Vasco Ferraz como Gaspar Martins foram acusados pelo Ministério Público de um crime de prevaricação de titular de cargo político, outro de violação de regras urbanísticas e abuso de poder.

De acordo com o despacho, datado de 22 de outubro do ano passado, o Ministério Público da comarca de Viana do Castelo “considerou indiciado que um dos arguidos, aquele que foi vereador de 2009 a 2013, no dia 02 de setembro de 2013 deferiu o processo de licenciamento de um muro, desconsiderando as normas legais, a circunstância de a obra estar desconforme com o projeto apresentado, os sucessivos pareceres técnicos dos serviços da autarquia que o informaram disso e de que a obra não era legalizável e mesmo anteriores despachos que proferira relativamente à mesma obra indeferindo a sua legalização”.

Este caso pode ainda extremar mais a posição das duas facções e trazer novos dados para esta luta de poder.

Vitor Mendes

Tentando acabar o mandato com dignidade mas atento a tudo isto está o actual presidente da Câmara. Vitor Mendes tenta apagar os fogos políticos que vão surgindo e publicamente dá sempre a imagem de estar equidistante das duas fações.

No entanto, a mesma fonte não fica “nada admirada, se nos bastidores, Vitor Mendes estiveram a fazer caminho para a fação de Vasco Ferraz. São conhecidos os problemas com Gaspar Martins e que não estão de todo sanados”.

O MINHO tentou ouvir os visados mas, para já, sem sucesso.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães evoca “garra vimaranense” para atrair mais turistas

Autarquia prepara 12 projetos e 48 subprojetos envolvendo a comunidade

em

Centro Histórico de Guimarães. Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães vai desenvolver uma estratégia de promoção e turismo centrada no tema “Garra Vimaranense” para “reforçar o papel da atividade turística”, levando a cabo 12 projetos, 48 subprojetos e envolvendo a comunidade.

Apresentada nesta terça-feira, a estratégia para promoção e captação de turismo, que quer envolver os 158.124 vimaranenses e surge depois de uma estudo sobre o posicionamento da marca Guimarães, assenta em três eixos: Programa Identitário, Valorização Territorial e Conhecer Guimarães.

O estudo serviu ainda para identificar obstáculos ao desenvolvimento da cidade como ponto de turismo, apresentando também soluções, sendo que os obstáculos mais apontados foram “a curta estadia no território vimaranense, a concentração no centro da cidade, alguma perda de notoriedade junto dos mais jovens, bem como algum desconhecimento fora de Portugal”, lê-se no documento.

“São estes obstáculos que nos propomos derrubar com esta estratégia, atraindo mais pessoas para o território municipal de Guimarães e contagiando-as com esta ‘Garra Vimaranense'”, afirmou na sessão o presidente da autarquia, Domingos Bragança.

O autarca salientou o “orgulho” dos vimaranenses na sua história, a “forma única como se recebe quem visita” a cidade.

“Mas também o espírito de união que nos leva a defender o que é nosso, que é o território que desde pequenos nos ensinaram a amar e do qual nos orgulhamos”, apontou.

Segundo a promotora do estudo, “a estratégia apresentada conta com o envolvimento da população que foi auscultada durante os últimos meses e que, desta forma, pode também contribuir, desde o primeiro minuto, para a missão de posicionar Guimarães no mapa enquanto destino turístico, não só a nível nacional, mas também internacional”.

Quanto aos eixos orientadores, o primeiro é o Programa Identitário: “Programa responsável por desenvolver, ampliar e disseminar a ‘Garra Vimaranense’. Alberga todos os projetos que asseguram o futuro desta Ideia Central, nomeadamente os que se relacionam com as Bases, a Representação e a Projeção desta Identidade única”.

Este programa “envolve os mais jovens, mas também todos os agentes que contactam com o turismo e até mesmo quem chega agora ao território. Este ativo imaterial que representa a identidade de Guimarães é parte indissociável da visão do município e da projeção do mesmo”.

Com o eixo de Valorização Territorial, o objetivo é “tornar todo o território vimaranense num reflexo da visão do município de Guimarães”, assentando o programa “no princípio de continuar a aperfeiçoar Guimarães, sem dissociar a identidade do território”.

Para isso, estão a ser desenvolvidos projetos no âmbito do Território Unificado, Guimarães Verde e Garra no Território: “Esta linha orientadora mostra o seu máximo expoente na defesa, preservação e vivência do território. As distinções e honras de que é alvo constante não são um acaso, mas sim uma consequência de um trabalho meritório constante”, explica o programa.

Na terceira vertente, Conhecer Guimarães, pretende-se “desenvolver e dar a conhecer um leque de experiências que vão espelhar não só a monumentalidade do território, mas também dos vimaranenses”.

O programa destaca que “a humanização da experiência turística é uma batalha perdida” por muitos destinos modernos.

“Em Guimarães, no entanto, há uma vontade assumida da população em ser parte do destino, em mostrar, ajudar e participar”, conclui o estudo.

Continuar a ler

Barcelos

Estudante de Barcelos medalha de bronze nas Olimpíadas de Biologia na Bolívia

em

Fotos: DR

Márcio Campos, estudante de Barcelos, foi um dos três estudantes portugueses a conquistar uma medalha de bronze na 13.ª edição das Olimpíadas Ibero-americanas de Biologia, que decorreram entre 09 e 13 de setembro, em Cochabamba, Bolívia. Também uma estudante bracarense conquistou um diploma de mérito na competição.

Aluno no colégio La Salle, em Barcelos, até final do ano letivo passado, Márcio Campos é um apaixonado pela Biologia, como contou a O MINHO fonte do departamento de ciência daquela instituição.

“O Márcio é alguém que é muito apaixonado pela Biologia, sempre mostrou interesse nesta área e acabou o ensino secundário com nota máxima porque, para além do interesse, aplicava-se e participava nestes concursos”, explica um antigo professor, revelando que o aluno “agora na universidade irá seguir medicina veterinária”.

Fotos: DR

Fonte do colégio salienta a O MINHO que “é sempre incentivado aos alunos para que participem nestes concursos, até por uma questão de valorização pessoal, mesmo quando não chegam às finais”, como no caso de Márcio, que já havia participado nas Olimpíadas Internacionais de Biologia, que decorreram em 2018, obtendo igualmente bons resultados.

“Estamos a falar de umas olimpíadas que já têm um número elevado de países a participar, entre eles países como Argentina, Brasil e Costa Rica, ou até Espanha, onde se faz investigação na área da Biologia e se trabalha muito bem neste campo”, refere.

Para além de Márcio Campos, também uma aluna bracarense, Maria João Oliveira, estudante do colégio D. Diogo de Sousa, em Braga, venceu um diploma de mérito na competição.

Foto: DR

Nestas olimpíadas participaram 50 alunos vindos de 13 países com a delegação portuguesa a arrecadar três medalhas de bronze e um diploma de mérito.

Em julho deste ano, também dois alunos minhotos, Marco Ribeiro, de Guimarães, e Diogo Nogueira, de Barcelos, conquistaram medalhas de bronze nas Olimpíadas Internacionais de Biologia em Szeged, Hungria.

Continuar a ler

Populares