Rui Pedro Silva é a segunda ‘chicotada’ na I Liga em 2022/23

Deixou hoje comando técnico do Famalicão

O treinador Rui Pedro Silva foi hoje o segundo a ser demitido de um clube da I Liga portuguesa de futebol em 2022/23, deixando o Famalicão após sete jornadas e juntando-se a Vasco Seabra nas ‘vítimas’ de ‘chicotada’.

“A SAD do Futebol Clube de Famalicão e o treinador Rui Pedro Silva cessaram, por mútuo acordo, o vínculo que os ligava. Ao treinador, a SAD do Futebol Clube de Famalicão agradece o empenho e profissionalismo que sempre empregou ao serviço desta instituição, desejando os maiores sucessos pessoais e profissionais”, pode ler-se numa breve nota do clube.

Depois de Vasco Seabra, que deixou o Marítimo ao cabo de cinco jornadas para entrar João Henriques, o Famalicão decidiu cessar “por mútuo acordo” o contrato com Silva, que somou uma vitória em sete jogos no campeonato esta temporada.

Até aqui, não foi anunciado o sucessor do técnico, que não resistiu a mais uma derrota no fim de semana, na visita ao Casa Pia (1-0).

O técnico tinha chegado ao clube em 2021/22 e vivia nos famalicenses a primeira experiência como líder de uma equipa técnica, mas depois de assegurar a permanência na época transata, e de ascender ao oitavo lugar na tabela final, não sobreviveu, nesta, ao mau arranque de temporada.

Aos 45 anos, deixa os minhotos no 16.º posto da I Liga, em posição de ‘play-off’, com mau registo ofensivo (um golo marcado) e não muito melhor defensivo, tendo concedido oito golos em sete jornadas.

No dia 05 de setembro, Vasco Seabra foi o primeiro treinador despedido esta época, sentindo o ‘chicote’ estalar ao cabo de cinco derrotas em outras tantas rondas.

Natural de Paços de Ferreira, o treinador de 38 anos sucedeu no cargo a Julio Velázquez à 12.ª jornada da temporada transata, tendo encontrado então os madeirenses na 17.ª e penúltima posição da tabela classificativa, com sete pontos somados, conseguindo garantir a manutenção e o 10.º lugar final.

A entrada de João Henriques para o cargo nos insulares não surtiu efeitos para já, tendo averbado mais dois desaires, com uma derrota caseira com o Gil Vicente (2-1) e na Luz com o Benfica (5-0).

Ao todo, o Marítimo tem 22 golos sofridos e apenas quatro marcados.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Está há mais de um ano com salário penhorado para pagar portagens na A3 onde não passou

Próximo Artigo

Vitória SC promove jogos particulares com equipas do distrito de Braga

Artigos Relacionados
x