Redes Sociais

Rui Costa sagra-se campeão nacional em Braga

Desporto

Rui Costa sagra-se campeão nacional em Braga

Rui Costa, da Lampre-Merida, é o novo campeão nacional de fundo de ciclismo após ganhar, em Braga, a corrida dos campeonatos nacionais de estrada 2015.

O corredor da Póvoa de Varzim impôs-se num ‘sprint’ restrito, num final de prova muito renhido, sagrando-se pela primeira vez na sua carreira campeão nacional de fundo, depois de, em 2013, ter ganhado o título nacional de contrarrelógio.

O mais consagrado ciclista português da atualidade cumpriu as 11 voltas (177,1 quilómetros) ao circuito bracarense, que incluía uma dura subida ao Sameiro, em 4:44:57 horas, logo seguido de Joni Brandão (Efapel), com o mesmo tempo, e Tiago Machado (Katusha), a dois segundos.

Rui Costa, que disse ter encarado os Nacionais mais como uma preparação para a Volta a França, que começa no sábado, tinha ficado num apagado oitavo lugar no contrarrelógio, na sexta-feira, mas, o campeão mundial de 2013 puxou dos galões e superou a concorrência mesmo sobre a meta.

A corrida começou a ‘mexer’ logo na primeira volta com a fuga de Frederico Figueiredo (Rádio Popular-Boavista), Joaquim Silva (W52-Quinta da Lixa), Bruno Silva (LA Alumínios-Antarte) e Edgar Pinto (Skydive Dubai), que chegaram a ter uma vantagem de quase quatro minutos, na terceira passagem pela meta.

A liderança a quarteto durou até à sétima volta, resistindo a partir daí apenas Frederico Figueiredo e Edgar Pinto, mas ao quilómetro 141 foram absorvidos pelo resto do pelotão comandado pela dupla da Lampre-Merida, Rui Costa e Nelson Oliveira, o campeão cessante, que na sexta-feira revalidou o título de contrarrelógio.

À entrada para a última volta, ia na frente um trio formado por Hernâni Broco, Amaro Antunes (ambos da LA Alumínios-Antarte) e Sandro Pinto, da Louletano-Ray Just, mas logo seguidos por Joni Brandão, Rui Costa e Tiago Machado, entre outros, que assumiriam o protagonismo sobre a linha da meta.

As repetidas passagens no Sameiro fizeram mossa no pelotão, que começou com 60 unidades e terminou bastante fragmentado, com apenas 22 elementos. Por exemplo, André Cardoso (Cannondale-Garmin) concluiu em sétimo, a 37 segundos, José Mendes (Bora-Argon 18) chegou a 1.55 minutos, no 11.º lugar, Nelson Oliveira, 14.º, gastou mais nove minutos e José Gonçalves (Caja Rural) foi o último a cortar a meta, a mais de 10 minutos.

Na sexta-feira, José Fernandes, nos sub-23, e Nélson Oliveira, na categoria elite, sagraram-se campeões nacionais de contrarrelógio, e no sábado coube a Nuno Bico vencer a corrida em linha dos sub-23.

Nas provas femininas de fundo, disputadas em Alcabideche, Lisboa, Daniela Reis (DN17 Poitou Charentes) sagrou-se campeã de elite, juntando este título ao do ‘crono’, conquistado na sexta-feira.

Classificação:

1. Rui Costa (Lampre-Merida), 4:44:57 horas.

2. Joni Brandão (Efapel), m.t.

3. Tiago Machado (Katusha), a 02 segundos.

4. Amaro Antunes (LA Alumínios-Antarte), a 05.

5. Ricardo Vilela (Caja Rural-Seguros RGA), a 11.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais Desporto