Seguir o O MINHO

Futebol

Rúben Amorim com o pleno de triunfos no histórico com Carlos Carvalhal

Futebol

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Sporting, Rúben Amorim, tem o pleno de triunfos face a Carlos Carvalhal, líder do SC Braga, depois de ter vencido todos os três embates disputados na época futebolística 2020/21.

Na época passada, os ‘leões’ superaram os ‘arsenalistas’ nos dois jogos do campeonato, vencendo por 2-0 em Alvalade e por 1-0 na ‘pedreira’, e também na final da Taça da Liga, conquistada em Leiria também com um triunfo por 1-0.

O balanço do histórico dos confrontos entre os dois técnicos, que nunca se tinham defrontando antes dos embates de 2020/21, é, assim, claramente favorável a Amorim, com três triunfos em três jogos, quatro golos marcados e nenhum sofrido.

Apesar dos números mostrarem uma superioridade total, eles também ‘escondem’ as muitas dificuldades pelas quais o Sporting passou nos três jogos, todos realizados já no ano de 2021, para conseguir vencer.

O primeiro embate aconteceu em 02 de janeiro, em Alvalade, a contar para a 12.ª jornada da I Liga e numa altura em que os ‘leões’ comandavam a prova, com 29 pontos, contra 27 do Benfica, 25 do FC Porto e 24 dos ‘arsenalistas’.

A abrir a ronda, o SC Baga foi melhor na primeira parte, mas falhou duas enormes ocasiões, por Ricardo Horta, que, isolado perante Adán, falhou o ‘chapéu’, aos 32 minutos, e por Al Musrati, com um ‘tiro’ ao poste esquerdo, aos 40.

Os bracarenses não foram eficazes, ao contrário do Sporting, vencedor com tentos de Pedro Gonçalves, que viria a ser o melhor marcador do campeonato, aos 54 minutos, e do seu substituto, o brasileiro Matheus Nunes, que entrou aos 71 e marcou aos 78.

No final de janeiro, no dia 23, as duas equipas voltaram e encontrar-se, agora em território neutro, em Leiria, num relvado em muito más condições, devido ao mau tempo.

Um golo do espanhol Pedro Porro, aos 41 minutos, isolado por Gonçalo Inácio, na marcação de um livre ainda no meio-campo dos ‘leões’, deu o triunfo ao conjunto de Rúben Amorim, que, aos 71 ainda se assustou, com um remate ao ‘ferro’ de Paulinho.

O encontro ficou também marcado pela expulsão dos dois treinadores, que se envolveram numa acesa troca de palavras e viram os dois o vermelho direto, aos 33 minutos.

No derradeiro embate, em 25 de abril, para a jornada 29 da I Liga, o Sporting chegou a Braga pressionado, depois de somar três empates nas anteriores quatro rondas e ver a vantagem sobre o FC Porto cair de 10 para quatro pontos.

O encontro da ‘pedreira’ surgia como determinantes nas contas do título e complicou-se muito para o Sporting logo aos 18 minutos, quando Artur Soares Dias expulsou Gonçalo Inácio por acumulação de amarelos, num início muito nervoso dos ‘leões’.

Com menos um, o Sporting abdicou, praticamente, de atacar, apostando tudo em não sofrer golos e conseguiu-o, ainda com um ‘bónus’, um golo ‘caído do ‘céu’, aos 81 minutos, numa jogada parecida com a que decidiu a final da Taça da Liga.

Matheus Nunes, entrado ao intervalo em substituição de Paulinho, que, entretanto, já trocara Braga por Lisboa, recebeu na área, sobre a direita, um livre de Porro, com a defesa bracarense a ‘dormir’, e faturou de pé direito.

Com este triunfo, os ‘leões’ não só seguraram a vantagem sobre o FC Porto, como ainda a aumentaram, já que, no dia seguinte, os ‘dragões’ não passaram de uma igualdade (1-1) no reduto do Moreirense. O Campeonato decidiu-se aí.

Agora, três meses e seis dias depois, os dois técnicos voltam a medir forças e, pela segunda vez, em quatro embates, num jogo que vale a conquista de um título, neste caso a Supertaça Cândido de Oliveira 2020/21, marcada para sábado, em Aveiro.

Populares