Seguir o O MINHO

Braga

Rio Este ‘pintado’ de branco. Câmara está a cadastrar rede de águas pluviais

Poluição

em

Foto: Paulo Costa / Facebook

Novas descargas provenientes da rede de águas pluviais estão a tingir, na tarde desta sexta-feira, o rio Este de cor branca. A denúncia foi feita através das redes sociais e é algo que se tem repetido inúmeras vezes ao longo das últimas semanas.

De acordo com o partido PAN, a Câmara de Braga está a realizar “o cadastramento das águas pluviais”, para ser mais fácil descobrir a proveniência destas descargas poluentes.

Ainda segundo o mesmo partido, que reuniu com Ricardo Rio, presidente da Câmara, não se “compreende a demora cronológica para a realização [do cadastro]”. Os ambientalistas querem que a procura pelos prevaricadores ambientais seja “um foco claro” para descobrir a “génese da poluição do rio”.

Refere ainda o mesmo partido que a criação de uma equipa de piquetes, já anunciada pelo vereador com o pelouro do Ambiente, Altino Bessa, será acompanhada de forma a que se garanta o desenvolver desses mesmos trabalhos.

“O PAN Braga teve ainda a oportunidade de rever algumas ações já realizadas pela autarquia que, segundo esta, não obteve os resultados esperados, como por exemplo a instalação de sensores no rio Este”, refere o partido em comunicado enviado à imprensa.

Anúncio

Braga

Concelho de Braga com 162 novos casos nas últimas 24 horas

Dados locais

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

O concelho de Braga registou 162 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia soma 13.515 infeções.

Casos ativos são atualmente 1.476, menos 351 do que ontem.

Estes números foram apurados por O MINHO junto de fonte local da saúde e atualizados às 18:00 desta terça-feira.

O número de óbitos mantém-se nos 168.

Há ainda um total de 11.871recuperados, mais 513 desde ontem.

Há 1.723 pessoas em vigilância ativa.

Continuar a ler

Braga

“Ala covid” da Misericórdia de Vila Verde “totalmente preenchida”

Vinte camas ocupadas

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A “ala covid” do Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde está “totalmente preenchida”, estando a prestar assistência a 20 pessoas, disse hoje à Lusa o provedor daquela instituição.

Em declarações à Lusa, Bento Morais explicou que a unidade criada em Vila Verde “tem doentes locais, de Barcelos e de vários pontos do distrito”, salientando o “bom funcionamento em articulação com a delegação de saúde local”.

Segundo o responsável, “este trabalho conjunto” entre a Santa Casa de Vila Verde e a delegação local de Saúde “mostra que o setor social não se demitiu” do seu papel.

“Muito se tem falado da falta de apoio do setor social no combate à pandemia e aqui está um exemplo que ele está a dar respostas e está empenhado em cooperar”, disse.

Bento Morais afirmou que “está a ser feito o que é possível”, salientando que “não está também a ser fácil contratar pessoal especializado e formar equipas para socorrer a estes doentes”.

A “ala covid” da Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde “tem as 20 camas ocupadas entre pessoas em tratamento e em isolamento”.

O provedor salientou ainda o “grande esforço” daquela valência hospitalar no atendimento a doentes não-covid 19.

“Estamos a trabalhar em pleno nas outras áreas, nas cirurgias, exames e consultas. Temos dado uma ótima retaguarda aos hospitais centrais que estão a sentir uma maior pressão por causa da pandemia”, afirmou.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.041.289 mortos resultantes de mais de 95,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.028 pessoas dos 556.503 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Braga

Incêndio com frente ativa de dois quilómetros em Braga

Sobreposta

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Um incêndio que deflagrou ao início da noite desta terça-feira em Sobreposta, no concelho de Braga, tem uma frente ativa de dois quilómetros.

Ao que O MINHO apurou, apesar de o incêndio ainda estar longe de habitações, devido ao muito vento que se faz sentir, a primeira preocupação dos bombeiros está a ser proteger as casas.

O local do incêndio é de bastante difícil acesso, o que está a complicar o combate às chamas.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

As chamas poderão ter tido origem numa queima que se descontrolou com o vento.

O alerta foi dado às 19:15.

No local estão os Bombeiros Sapadores de Braga e os Bombeiros Voluntários de Braga com 28 operacionais apoiados por oito viaturas.

Continuar a ler

Populares