Seguir o O MINHO

Futebol

Ricardo Soares procura replicar no Gil Vicente projeção de jovens do Famalicão

I Liga

em

O treinador Ricardo Soares admitiu hoje que pretende replicar no Gil Vicente a declarada estratégia de promoção de jovens futebolistas adotada pelo Famalicão, que vai defrontar no domingo, em jogo da 13.ª jornada da I Liga.

“Faz uma aposta em jovens para potenciar e, acredito eu, rentabilizar. Isso é o que eu quero no Gil Vicente também. A minha preocupação enquanto treinador, seja em que clube for, é alcançar os objetivos coletivos e, depois, tentar criar mais-valias para que o clube possa lucrar. Quanto melhor estiver financeiramente, mais qualidade vai agregar a nível de jogadores e infraestruturas”, observou o técnico, em conferência de imprensa.

Depois de dois empates consecutivos no campeonato, intercalados pela eliminação da Taça de Portugal, frente ao Leça, do Campeonato de Portugal, os barcelenses tentarão superar um rival minhoto com “atletas de enormíssima qualidade e muita experiência”.

“Mesmo sendo jovens, alguns já passaram pelos melhores clubes europeus e não são propriamente desconhecidos. Será um encontro difícil contra um excelente opositor, que tem qualidade, está organizado e tem valores individuais capazes. Espero uma partida competitiva, entre equipas que gostam de jogar e privilegiam futebol de ataque”, notou.

Ricardo Soares viu o Gil Vicente perder dois pontos em tempo de compensação na visita ao Moreirense (2-2), com um golo de livre direto marcado por Steven Vitória, aos 90+6 minutos, mas registou uma evolução “cada vez melhor nos diversos momentos do jogo”.

“Tendo muito para crescer, vamos lutar única e exclusivamente pela manutenção. Nós é que somos ambiciosos, queremos sempre mais e melhor e desejamos que o Gil Vicente seja cada vez mais uma equipa segura e sustentada na I Liga. Vamos em busca dessa perfeição, mas há que ter perfeita noção da realidade e dos nossos objetivos”, lembrou.

Com 15 golos concretizados e outros tantos sofridos, vários dos quais na conversão de penáltis e livres, o treinador mostra-se satisfeito com a forma de um conjunto “estável e seguro”, que “defende com qualidade, devia ter mais pontos e terá de ser mais eficaz”.

“Temos dado passos seguros para ser melhores no futuro. O caminho é difícil e sabemos que vamos ter de sofrer muito, mas, no final, vamos fazer uma época condizente com os objetivos do clube e os adeptos vão sentir orgulho da sua equipa, que será forte e vai somar os mesmos pontos fora e em casa. E sabem porquê? O Gil Vicente tem um processo de jogo e uma identidade para jogar sempre com o objetivo de pontuar”, frisou.

Se o brasileiro João Afonso permanece lesionado, os compatriotas Lucas Cunha e Vitor Carvalho vão cumprir um jogo de suspensão, contexto que não gera “dores de cabeça” para Ricardo Soares, mesmo sabendo que a dupla mais utilizada esta época “faz falta”.

“Têm feito um trabalho extraordinário. São jovens, com muito potencial e estão a crescer imenso. O Vítor Carvalho é diferenciado: um médio defensivo de grande abrangência de espaço, muita qualidade de jogo e forte na leitura de jogo. Certamente, será um jogador para outra dimensão, tal como o Lucas Cunha. Os dois trabalham imenso e querem sempre ser melhores. Isso é gratificante para mim e importante para o clube”, concluiu.

O Gil Vicente, oitavo colocado, com 14 pontos, recebe o Famalicão, 13.º, com 10, no domingo, às 18:00, no Estádio Cidade de Barcelos, em Barcelos, num jogo entre rivais minhotos da 13.ª ronda da I Liga, com arbitragem de Rui Costa, da associação do Porto.

Populares