Seguir o O MINHO

Futebol

Reformulação das competições europeias não retira vagas a Portugal

Portugal está no sexto lugar do ‘ranking’ da UEFA

em

Foto: Divulgação/FPF

A próxima reformulação das competições europeias de futebol, com a introdução da Europa Conference League, não irá alterar as vagas destinadas à participação portuguesa, caso Portugal consiga manter o atual sexto posto no ‘ranking’ da UEFA.

O organismo que rege o futebol europeu decidiu avançar para a criação de uma nova prova sob a sua égide, anunciada em 2018, numa tentativa de dar mais competição às federações-membro para o período entre 2021 e 2024.

Neste momento, Portugal discute com a Rússia o sexto lugar da hierarquia, uma vez que esse posto atribui diretamente duas vagas para a Liga dos Campeões, uma para a fase de acesso à prova mais importante de clubes da UEFA e outras três para a Liga Europa.

Em comunicado, a UEFA escreve que “espera mudanças que melhorem o equilíbrio competitivo, o apelo comercial da Liga Europa e garantam níveis mais altos de participação dos campeões nacionais”, assim como “uma representação mais ampla das associações nacionais no futebol europeu de clubes ao longo da temporada”.

A Liga Europa, que vai ter o vencedor da prova a entrar diretamente na Liga dos Campeões no ano seguinte, passa do atual formato de 48 equipas para 32, igualando o modelo da ‘Champions’, com oito grupos de quatro equipas, seguida das fases a eliminar (oitavos de final, ‘quartos’, ‘meias’ e final), sendo que a ronda dos 16 avos de final deixa de existir, passando a disputar-se um ‘play-off’ entre os terceiros classificados da fase de grupos da prova mais importante de clubes e os segundos classificados da Liga Europa para aceder aos ‘oitavos’.

O mesmo acontece para a nova competição da UEFA, com os terceiros classificados da Liga Europa e disputarem igualmente um ‘play-off’ com as equipas que terminarem em segundo lugar nas ‘poules’ da Europa Conference League, com o vencedor da competição a entrar também de forma direta para a fase de grupos da Liga Europa na edição seguinte.

Esta nova estrutura para as competições europeias garantirá que, pelo menos, 34 federações nacionais da UEFA estejam representadas na fase de grupos de uma ou mais competições, havendo um mínimo de 14 campeões nacionais na fase de grupos da Liga dos Campeões, entre oito e 11 campeões nacionais na fase de grupos da Liga Europa e entre nove e 12 campeões nacionais na fase de grupos da Europa Conference League.

Todas as associações-membro da UEFA terão acesso às três competições de clubes e as suas quotas permanecerão inalteradas.

Anúncio

Futebol

Três pontos ‘por um canudo’ após derrota do Braga na ‘pedreira’

14.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol

em

Foto: Divulgação / SC Braga

O SC Braga perdeu, esta noite de domingo, por 0-1, frente ao Paços de Ferreira, em jogo da 14.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Douglas Tanque fez o único golo da partida aos 38 minutos.

Com este resultado, os bracarenses, que ocupam agora o nono lugar da tabela, com 18 pontos, deixam escapar a hipótese de subir aos lugares europeus.

(em atualização)

Continuar a ler

Futebol

Dois golos em quatro minutos fizeram o ‘galo’ sonhar, mas Davidson ‘gelou’ Barcelos no final

14.ª jornada da Liga

em

Foto: DR

Gil Vicente e Vitória SC empataram hoje 2-2, num encontro em que os barcelenses venciam por 2-0 ao intervalo e os vimaranenses recuperaram na segunda parte, na 14.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Superiores em todos os aspetos durante a primeira parte, os ‘galos’ marcaram por Claude Gonçalves (28 minutos) e por Kraev (32), depois de terem falhado um penálti por Sandro Lima (nove), mas os vimaranenses melhoraram no segundo tempo e, mesmo algo desinspirados, empataram por Marcus Edwards (68) e Davidson (86).

O Gil Vicente apresentou-se com uma ‘novidade’ face ao ‘onze’ que alinhou na derrota com o Rio Ave (1-0), para a 13.ª jornada – Lourency rendeu o lesionado Arthur Henrique – e foi a melhor equipa ao longo de toda a primeira parte, com uma defesa compacta e um ataque que soube reunir velocidade e precisão no passe.

O vimaranense Marcus Edwards até criou a primeira situação de perigo num remate ao lado, aos sete minutos, mas a equipa treinada por Vítor Oliveira dispôs, de seguida, de um penálti cometido por Mikel sobre Sandro Lima, que o avançado brasileiro dos ‘galos’ falhou, ao permitir a defesa a Douglas (nove minutos).

Após Henrique Gomes ter obrigado Douglas a evitar o golo com uma palmada num cruzamento comprido, aos 11, a equipa vimaranense, que apareceu em Barcelos com Dénis Poha no lugar de Pepê face ao duelo da ronda anterior, com o Portimonense (triunfo por 2-0), começou a subir no terreno e esteve perto de marcar num remate de Léo Bonatini, aos 17, travado por Denis.

Rúben Ribeiro, reforço do Gil Vicente, assistiu ao jogo na bancada. Foto: O MINHO

O Gil Vicente, porém, continuou dinâmico no ataque, sobretudo graças às ações de Kraev pela ala direita, e chegou à vantagem num desses lances: na sequência de um cruzamento do internacional búlgaro aliviado por Tapsoba, Claude Gonçalves surgiu à entrada da área a rematar cruzado e certeiro, sem hipótese de defesa para Douglas.

Perante uma defesa vitoriana insegura e passiva, a formação de Barcelos precisou apenas de mais cinco minutos para voltar a marcar num lance muito bem ‘desenhado’: após um passe de Sandro Lima, Lourency tocou para Kraev e este contornou Douglas antes de atirar para o fundo da baliza.

Incapazes de reagir na primeira parte, apesar das entradas de Pepê e de Bruno Duarte para os lugares de Mikel Agu e de Ola John, os pupilos de Ivo Vieira instalaram-se no meio-campo contrário durante a segunda parte, mas só quebraram a defesa gilista aos 68 minutos, ainda por cima com um golo de Marcus Edwards, a concluir uma tabela com Léo Bonatini.

A partir daí, a pressão vimaranense sobre a retaguarda gilista intensificou-se e quase deu empate aos 80 minutos, quando Léo Bonatini acertou no poste, após remate de Bruno Duarte.

O empate acabou por surgir aos 86 minutos, quando Davidson concluiu, num disparo colocado à meia-volta, após lance de Sacko e Edwards, e poderia ter conseguido a reviravolta num remate de Pepê, aos 90+4, que Denis travou, para manter a invencibilidade caseira dos barcelenses, atualmente no 12.º lugar, com 17 pontos. Os vitorianos mantêm o quinto posto, com 21.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Cidade de Barcelos.

Gil Vicente – Vitória SC, 2-2.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, Claude Gonçalves, 28 minutos.

2-0, Kraev, 32.

2-1, Marcus Edwards, 68.

2-2, Davidson, 86.

Equipas:

– Gil Vicente: Denis, Fernando Fonseca, Ygor Nogueira, Rúben Fernandes, Henrique Gomes, Soares, Claude Gonçalves (Romário Baldé, 65), Kraev (João Afonso, 90), Baraye, Lourency (Erick, 72) e Sandro Lima.

(Suplentes: Wellington, Edwin Banguera, João Afonso, Ahmed, Romário Baldé, Erick e Naidji).

Treinador: Vítor Oliveira.

– Vitória SC: Douglas, Sacko, Tapsoba, Pedro Henrique, Rafa Soares, Mikel Agu (Pepê, 41), Dénis Poha, João Carlos Teixeira (Davidson, 62), Marcus Edwards, Ola John (Bruno Duarte, 42) e Léo Bonatini.

(Suplentes: Miguel Silva, Frederico Venâncio, Al Musrati, Pepê, Rochinha, Davidson e Bruno Duarte).

Treinador: Ivo Vieira.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Léo Bonatini (39), Soares (55), Kraev (74), Sandro Lima (90+1) e Fernando Fonseca (90+1).

Assistência: 4.654 espetadores.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga perde em casa com o Benfica

Campeonato feminino

em

Foto: SC Braga

O SC Braga perdeu, este domingo, por 2-0, frente ao Benfica, na 11.ª jornada do campeonato nacional feminino.

Geyse, aos 66 minutos, e Darlene, de grande penalidade aos 78, deram os três pontos para as encarnadas.

As comandadas de Luís Andrade lideram com 33 pontos, alargando para oito a diferença para as bracarenses, que seguem em terceiro.

Continuar a ler

Populares