Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Redução das portagens na A28 formalizada no próximo mês

SCUT

em

Foto: DR / Arquivo

O secretário de Estado das Infraestruturas disse hoje que a proposta para redução das portagens das ex-SCUT do Interior vai ser apreciada em conselho de ministros, em junho, e que a autoestrada A28 está incluída nos descontos.


“A proposta vai ser apresentada, em junho, a conselho de ministros para ser tomada a decisão em sede própria”, afirmou hoje, à agência Lusa, Jorge Delgado.

O governante, que falava em Viana do Castelo, à margem da assinatura de protocolo de acordo com a câmara local para a elaboração do projeto de uma nova ligação naquele concelho, referiu que aquela proposta traduz “um trabalho de avaliação da possibilidade de se atribuírem alguns descontos, em algumas autoestradas, nomeadamente, em zonas de mais baixa densidade, estando a A28 incluída nesse pacote de análise”.

Jorge Delgado acrescentou que a proposta elaborada pelo Ministério da Ministério Coesão Territorial prevê “reduções importantes e significativas” para os utilizadores frequentes.

“São reduções importantes e significativas que têm como alvo, essencialmente, os maiores utilizadores das autoestradas, ou seja, os que usam a autoestrada com mais intensidade, normalmente, por causa da atividade profissional que desenvolvem nessas regiões um pouco mais desprotegidas”, referiu.

Na terça-feira, no parlamento, a ministra da Coesão Territorial afirmou que o dossiê para redução das portagens das ex-SCUT do Interior será enviado esta semana para o Ministério das Finanças, assegurando que os descontos entrarão em vigor no terceiro trimestre deste ano.

“Nas portagens, temos o dossiê pronto para enviar para as Finanças e digo-lhe, senhor deputado, esta ministra vai conseguir aquilo que prometeu. Se não, deixo de ser ministra”, assegurou Ana Abrunhosa, durante uma audição no parlamento, ao deputado social-democrata Carlos Peixoto, que acusou o Governo de perder poder negocial porque “parece ter anunciado descontos e só depois vai negociar com as concessionárias”.

De acordo com Ana Abrunhosa, o dossiê que será enviado ao Ministério das Finanças contém todo o trabalho técnico “para continuar a implementar uma metodologia que foi aprovada em Conselho de Ministros de redução de portagens com incidência nos territórios do interior”, relativas às antigas vias sem custos para o utilizador (ex-SCUT).

Hoje, questionado sobre a remoção do pórtico de Neiva da Autoestrada 28 (A28), reclamada há anos por autarquias e empresários, Jorge Delgado disse que, “neste momento, não há nenhuma decisão tomada sobre eliminação de pórticos”.

“Trata-se de uma questão de âmbito nacional, um problema que existe, por razões diversas, em muitos pontos da rede de autoestradas. É um assunto que, neste momento, não tem nenhuma solução apontada para nenhum sítio em concreto. É um assunto, recorrentemente, revisitado por interpelação dos diferentes autarcas que identificam na sua região um pórtico mais indesejado, mas neste momento não nenhuma decisão tomada sobre eliminação de pórticos”, referiu.

O pórtico de Neiva da A28, antiga SCUT (Sem Custos para o Utilizador) que liga Viana do Castelo ao Porto, está situado à entrada de uma zona industrial da capital do Alto Minho e que é considerado “entrave” à atividade empresarial da região.

Sobre a modernização, eletrificação e sinalização da Linha do Minho, entre Nine, no distrito de Braga, e Valença, no distrito de Viana do Castelo, Jorge Delgado afirmou que o calendário previsto para a sua conclusão o aponta para o final deste ano, num investimento de 86 milhões de euros.

O presidente da Câmara de Viana do Castelo anunciou que a nova ligação do Vale do Neiva, à autoestrada A28, vai estar concluída no final de 2023, num investimento de oito milhões de euros.

Com o acordo hoje assinado a autarquia da capital do Alto Minho vai abrir, em junho, o concurso público para a elaboração do projeto deverá estar pronto em maio de 2021.

Dos oito milhões de euros de investimento global, 5,5 milhões de euros destinam-se à execução da obra e, 2,5 milhões de euros a expropriações.

A obra, prevista no Plano Diretor Municipal (PDM) desde 2008, vai ser financiada por fundos comunitários, orçamento municipal e do Estado”.

A nova via, com uma extensão de 5,2 quilómetros, “vai melhorar a mobilidade do transporte de mercadorias e aumentar a competitividade do tecido empresarial de cinco freguesias do Vale do Neiva “responsável por um terço da riqueza gerada no concelho”.

Anúncio

Viana do Castelo

El Mundo destaca Viana como local seguro para passar férias

Imprensa internacional

em

Foto: El Mundo

O jornal espanhol El Mundo destacou Viana do Castelo como um dos dez locais em Portugal onde os espanhóis podem dar uma escapadinha nas férias.


A explorar locais favoráveis, Portugal beneficiará de um corredor e de abertura de fronteiras com nuestros hermanos a partir do próximo dia 01 de julho, e o El Mundo recomenda a princesa do Lima.

Depois de recomendar outras nove cidades portuguesas, maioritariamente no Sul e zona Oeste do país, o El Mundo termina a viagem no estuário do Lima, onde encontram a “renomeada” Viana do Castelo.

“Aqui convém subir à basílica de Santa Luzia, que coroa a cidade, para desfrutar das vistas do litoral português”, começa por destacar a publicação.

Aconselha ainda a passear “sem rumo” no centro da cidade, onde as ruas levam até à Praça da República. Recomendam ainda as praias, que, dizem, “não faltam” na zona. Destacam ainda o Forte do Paço e a praia de Afife.

Continuar a ler

Alto Minho

Exército vigia serra de Santa Luzia em Viana do Castelo

Incêndios

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Desde segunda-feira que a serra de Santa Luzia, em Viana do Castelo, está a ser vigiada por militares do Exército.


Em nota de imprensa, a câmara informa que antecipou a vigilância florestal na serra, tendo a Escola de Serviços do Exército iniciado o patrulhamento que decorrerá até final de setembro.

A autarquia explica que o protocolo com o Exército já se realiza desde 2011 e tem sido “fundamental” para a prevenção dos incêndios florestais ao longo destes últimos dez anos.

Os militares promovem operações de vigilância mantendo permanentemente informadas as entidades responsáveis (CODIS – Comandante Distrital de Operações de Socorro e Bombeiros Municipais de Viana do Castelo) e comunicando, de imediato, qualquer ocorrência digna de registo.

O município de Viana do Castelo sublinha que “a vigilância das áreas florestais é fundamental para a prevenção de incêndios, permitindo dissuadir eventuais atos de negligência ou mesmo criminosos e detetar eventuais ocorrências”.

O alerta para incêndios florestais deve ser dado para o número 117.

Continuar a ler

Alto Minho

PSD de Viana do Castelo garante nunca ter denegrido funcionários municipais

Política

em

Foto: Facebook

O PSD de Viana do Castelo garantiu hoje que, “em nenhum momento, denegriu ou teve a intenção de atingir o bom nome de funcionários municipais”, reagindo a um voto de protesto aprovado pela maioria PS na Câmara.


Em comunicado hoje enviado às redações, a concelhia social-democrata liderada por Eduardo Teixeira, repudiou o voto de protesto aprovado, na quinta-feira, em reunião camarária, referindo que “o único propósito” da maioria é o de criar “inexplicáveis subterfúgios” para “tentar desviar as atenções da auditoria financeira exigida pelo PSD nas últimas semanas, em virtude dos sucessivos erros na contratação pública que têm vindo a ser detetados”.

Para o também deputado do PSD na Assembleia da República, “os motivos invocados” naquele documento “mostram-se totalmente esvaziados de qualquer espécie de projetos para a cidade”.

Na quinta-feira, em reunião ordinária do executivo municipal a maioria socialista na Câmara de Viana do Castelo aprovou um voto de repúdio, proposto pelo presidente José Maria Costa, pelas afirmações que Eduardo Teixeira publicou nas redes sociais, a propósito de erros de digitação detetados em contratos da autarquia que os socialistas consideram que “atingem o bom nome” de funcionários, dirigentes e serviços municipais.

Em causa estão alegados comentários que o deputado e líder da concelhia do PSD publicou, no dia 26 de maio, nas redes sociais com “insinuações, atos intimidatórios aos funcionários Municipais, serviços municipais e Câmara Municipal”.

“Para dissipar quaisquer dúvidas que estas manobras de diversão possam provocar aos menos atentos, em nenhum momento o PSD denegriu ou teve a intenção de atingir o bom nome de funcionários, dirigentes ou empresários de Viana do Castelo, que nem sequer foram concretamente, por nós, identificados”, esclarece a concelhia do PSD.

Câmara de Viana aprova voto de repúdio contra comentário de deputado no Facebook

A estrutura local do PSD destaca que “sempre valorizou e, sem qualquer espécie de falso pudor, o profissionalismo, a dedicação e o excelente desempenho dos funcionários municipais bem como igualmente saúda todos os empresários que prestam ou tiveram a oportunidade de prestar serviços à autarquia”.

“Tal e qual toiro picado, mais uma vez, o presidente da Câmara dá murros na mesa, centrando toda a sua raiva e histeria num único alvo e em contínuos ataques pessoais. Saliente-se que as sucessivas investidas do senhor presidente e do PS de Viana do Castelo são medalhas para o PSD, qual forcado que agarra o rábico pelos cornos. Significa que o PSD está no bom caminho”, sustenta a nota.

O voto de repúdio e protesto da maioria socialista na autarquia mereceu a abstenção da vereadora da CDU, Cláudia Marinho, e a rejeição dos dois vereadores do PSD. Hermenegildo Costa disse que iria remeter o documento para a presidência da concelhia do partido. Já Cristina Veiga referiu “não concordar com o teor do voto de protesto e repúdio”, e sublinhou que “em momento algum os vereadores do partido na autarquia aturam na linha de denegrir e difamar funcionários públicos”.

“Nunca assumimos essa linha”, reforçou. A posição de Cristina Veiga levou o autarca socialista a pedir que a sua afirmação fosse incluída em ata.

O voto aprovado na quinta-feira “vai ser enviado aos funcionários municipais, Assembleia Municipal, sindicatos, Assembleia da República e comissão ética do parlamento e aos grupos parlamentares”.

Continuar a ler

Populares