Redes Sociais

Alto Minho

Rapariga de 16 anos em estado grave após atropelamento em Monção

Na Estrada Nacional (EN) 101.

 a

Foto: O Minho/Arquivo

Uma rapariga de 16 anos ficou hoje em estado grave depois de ter sido atropelada por um veículo ligeiro, na Estrada Nacional (EN) 101, na freguesia de Mazedo, Monção, disse hoje à Lusa a proteção civil.

De acordo com a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo foi acionado o helicóptero do INEM para transporte da vítima ao hospital.

O acidente ocorreu cerca das 18:03, no lugar de Eirado, estando ainda apurar as circunstâncias em que ocorreu o atropelamento.

Ao local compareceram ainda seis operacionais e três viaturas dos Bombeiros Voluntários de Monção, a ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV) DE Melgaço e a GNR.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Alto Minho

O Orçamento de Paredes de Coura para 2019

Publicado

 a

Foto: DR/Arquivo

A maioria socialista na Assembleia Municipal de Paredes de Coura aprovou o orçamento para 2019, no valor de 13,4 milhões de euros, que tem a educação e a cultura como prioridades, informou hoje a Câmara local.

Em comunicado, o município liderado em maioria absoluta pelo PS adiantou que o documento reserva dois milhões de euros de investimento para a educação e a cultura.

A autarquia liderada por Vítor Paulo Pereira acrescenta que o documento tem como “eixo” a construção do novo acesso rodoviário, reclamado há duas décadas, com cerca de 8,8 quilómetros de extensão, para ligar o parque empresarial de Formariz, em Paredes de Coura, à autoestrada A3, (nó de Sapardos – Vila Nova de Cerveira), no distrito de Viana do Castelo.

“Com a nova ligação os novos projetos turísticos ganharão uma nova racionalidade e será mais fácil a sua concretização. As zonas industriais obterão uma maior competitividade e será possível uma maior diversidade de investimentos”, garantiu o autarca socialista, citado naquela nota.

Vítor Paulo Pereira acrescentou que o orçamento para 2019, aprovado, na última sexta-feira à noite em reunião daquele órgão autárquico, reflete “o mesmo rigor orçamental que caracterizaram os últimos cinco anos”, garantindo o início de um “novo ciclo”.

“O desenvolvimento é muito mais do que crescimento. Desenvolvimento consiste num processo multidisciplinar de mudança e de melhoria das condições de vida das pessoas. Estamos perante um orçamento que criará um melhor futuro. Um futuro de prosperidade com oportunidades para todos os courenses”, frisou.

Segundo o autarca, a nova ligação de Paredes de Coura à A3 “terá uma grande presença no orçamento para 2019, bem como nos dos anos seguintes”, por considerar que “criará oportunidades para instalação de empresas diferentes e com outras tecnologias”.

Vítor Paulo Pereira destacou ainda a nova obra do mercado municipal, “que arrancará brevemente e potenciará a criação de novos negócios e empresas associadas à tecnologia e ao empreendedorismo”.

“Nesta área associada à criação de novos empregos e à implantação de novas indústrias vamos investir cerca de um milhão de euros”, explicou Vítor Paulo Pereira.

O PSD, principal partido da oposição na assembleia municipal, absteve-se e justificou o sentido de voto com “a falta de apoio e de investimento nas freguesias do concelho”.

Contactado hoje pela Lusa, o líder da bancada do PSD naquele órgão autárquico, João Cunha, disse ainda “não entender a forma como os recursos financeiros vão ser distribuídos pelas diferentes medidas previstas no plano e qual a fonte do financiamento estimado”.

O documento recebeu também o voto a favor da única deputada eleito pelo PCP/PEV.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Aluno do Politécnico de Viana vence “BIT Hackathon”, maratona criativa promovida pela SONAE

Competição que tem como objetivo transformar o futuro da Sonae MC através da tecnologia.

Publicado

 a

Foto: Divulgação / IPVC

Um aluno do curso de Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo venceu a maratona criativa BIT Hackathon 2018, promovida pela SONAE, tendo outro, dos três alunos da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG)  que participaram, arrecadado o terceiro lugar no pódio.

Edgar Simões, da equipa #23 (Sun Of a BIT), conseguiu o primeiro lugar na categoria da melhor aplicação da metodologia SCRUM e Pedro Silva, pela equipa #10 (HACK’STUDIO) alcançou o 3º Lugar – TOP 5 – SCRUM Teams. Além de Edgar Simões e Pedro Silva, alunos finalistas da licenciatura, participou ainda Miguel Vieito (aluno da licenciatura do 2º ano).

Segundo conta o Politécnico, em nota enviada a O MINHO, assim que viram o desafio do grupo SONAE, a maratona criativa BIT Hackathon 2018, uma competição que tem como objetivo transformar o futuro da Sonae MC através da tecnologia, não pensaram duas vezes e decidiram candidatar-se a um lugar numa das 33 equipas participantes.

“O Pedro viu o desafio disse logo que nós estávamos aptos a competir”, começa por revelar Edgar Simões. O desafio ia ser duro porque “trata-se de uma maratona criativa com duração de 24h com imensas equipas compostas por alunos de várias instituições de ensino superior assim como pessoas do próprio grupo Sonae”, explica o aluno do curso de Gestão que frequenta na ESTG do IPVC.

Neste caso específico, Edgar Simões, revela que a “inscrição dos alunos é feita a título individual” e por norma nenhum aluno da mesma universidade fica na mesma equipa, sublinhando que “é a organização do evento que faz o match entre os alunos e colegas da Sonae MC”.

Distribuídos por equipas Edgar Simões acabou por ter um desafio de “gamification”, ou seja, desenvolver uma estratégia de interação entre pessoas e as empresas e produtos do grupo SONAE que estimule e alicie o público com as marcas de maneira lúdica. Um projeto que levou a sua equipa #23 (Sun Of a BIT) a arrecadar o primeiro lugar primeiro lugar na categoria da melhor aplicação da metodologia SCRUM. Já Pedro Silva teve como desafio desenvolver algo que algo criativo que permitisse aos recém-chegados ao grupo SONAE se orientar e ficar a conhecer toda a estrutura. “De certa forma trata-se de uma ferramenta que vai auxiliar numa maior e melhor integração”. Um projeto da equipa #10 (HACK’STUDIO) que acabou por alcançar o 3º Lugar – TOP 5 – SCRUM Teams.

Para além da competição de 24 horas os participantes tiveram ainda a oportunidade de frequentar, durante dois dias, formações nos temas “Scrum & Agile” e “UX & Design Thinking”.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Alto Minho

Emparcelamento agrícola reclamado há décadas incluído no “maior” orçamento de sempre em Monção

Publicado

 a

Foto: DR/Arquivo

O emparcelamento de Monção, reclamado há décadas pelos agricultores locais, é um dos projetos incluídos no “maior” orçamento de sempre do concelho, no valor de 23,3 milhões de euros, destacou hoje à Lusa pelo presidente da Câmara.

“O emparcelamento agrícola nas freguesias de Moreira, Barroças e Taias, reclamado há muitos anos, vai finalmente avançar. O dinheiro está aprovado e o projeto a ser ultimado. O concurso público poderá ser lançado antes do final do ano para que os trabalhos, no terreno, possam começar em 2019”, afirmou o social-democrata António Barbosa.

Reunião de Câmara. Foto: Facebook de Município de Monção

Segundo o autarca social-democrata, o investimento naquele projeto, aprovado em Conselho de Ministros em novembro de 2016, é superior a 4,3 milhões de euros.

“Os principais objetivos a concretizar com este emparcelamento são a introdução de fatores de racionalização, valorização e competitividade agrícola, tendo como objetivo a promoção do ordenamento do espaço rural, com o intuito de melhor aproveitar as potencialidades e recursos, com vista à valorização da agricultura no espaço rural”, referiu, na altura, o Conselho de Ministros.

Em causa está um projeto para a reestruturação e modernização, nomeadamente da produção de vinho Alvarinho, atividade que envolve 2.000 produtores, com 67 empresas e 112 marcas diferentes.

O projeto de ordenamento fundiário “envolve terrenos nas freguesias de Moreira e Barroças e Taias, abrange 529 hectares, dos quais 127 de reconversão de vinha, 616 proprietários e 892 lotes”, sendo considerado “estruturante” para a reconversão agrícola e vinícola daquele concelho.

António Barbosa destacou ainda o investimento superior a três milhões de euros na reabilitação urbana do casco histórico de Monção e os mais de cinco milhões de euros previstos para cinco projetos de saneamento básico e um de abastecimento de água a várias freguesias do concelho.

O autarca referiu que o orçamento para 2019, no valor global de 23.336 milhões de euros, “é o maior de sempre no concelho”.

“É um documento realista, rigoroso e estruturante, focado no desenvolvimento económico, criação de riqueza e bem-estar de todos os monçanenses”, reforçou António Barbosa, adiantando que o orçamento para o próximo ano, apresentado “em Powerpoint, algo inédito no concelho”, e aprovado em reunião camarária realizada na última semana, prevê um “investimento total próximo de dez milhões de euros”.

O documento, que será submetido à apreciação e votação da Assembleia Municipal na sexta-feira, pelas 21:00, foi rejeitado pelos vereadores do PS na autarquia, Augusto Domingues, Paulo Esteves e Nídia Além.

Em comunicado enviado à imprensa, a bancada socialista justificou o sentido de voto com “o imposto da derrama municipal e os valores transferidos para freguesias”.

“O voto contra explica-se por diferentes fatores. Antes de mais, é preciso sublinhar o aumento das despesas com pessoal, fruto do crescimento exponencial das assessorias. Este voto contra prende-se ainda com a continuidade da derrama municipal e com o congelamento do valor das transferências de capital para as Freguesias de Monção e Troviscoso e Mazedo e Côrtes”, sustentam os três vereadores socialistas.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares