Seguir o O MINHO

Ponte de Lima

Rali de Portugal “não tem retorno económico suficiente” para Ponte de Lima

Município não aceitou montantes pedidos pela organização

em

Rali de Portugal em Ponte de Lima. Foto: Rally de Portugal / Divulgação (2018)

O município de Ponte de Lima não aceitou as condições pedidas pelo Automóvel Club de Portugal (ACP) para que o Rali de Portugal de 2019 atravessasse o concelho, por entender que “não tem retorno económico suficiente”.


O seu presidente Victor Mendes disse a O MINHO que apresentou uma contra-proposta à organização, com verbas menos avultadas, mas a mesma não foi aceite.

“É simples. Gostaríamos de voltar a ter o rali, mas cabe-nos gerir bem os recursos à nossa disposição”, disse.

A proposta da autarquia limiana previa passagens pelas estradas concelhias e também pelo centro histórico da vila.

Conforme foi hoje revelado, o rali regressa à zona Centro do país, com a partida em Coimbra e passagens por Lousã, Góis e Arganil, mas deixa de fora passagens por Viana do Castelo, Ponte de Lima e Caminha.

O presidente do ACP, Carlos Barbosa, vincou a expectativa da organização de este ano “aumentar o retorno” económico de 138 milhões de euros gerados na anterior edição, apesar de considerar “excecional” a magnitude dos números do ano passado.

“Este ano o Rali vai ser excecional, pois vamos, finalmente, à zona Centro, que era uma grande ambição do Rali de Portugal há já uma série de anos. Com a saída de três câmaras do Norte – Caminha, Viana do Castelo e Ponte de Lima –, pudemos fazer o troço de Góis, Lousã e Arganil. Estamos muito contentes por poder voltar ao Centro e nos aproximarmos do velho figurino do Rali de Portugal”, afirmou.

O programa do Rali conta com um percurso de 1.463,55 quilómetros, dos quais 311,59 cronometrados ao longo de 20 especiais de classificação.

O ‘shakedown’ tem lugar a 30 de maio no circuito de Baltar, em Paredes, seguindo-se a partida da porta férrea da Universidade de Coimbra.

Anúncio

Alto Minho

Fotografia: Carro abandonado na EN 202 já é parte da paisagem em Ponte de Lima

Uma viatura automóvel abandonada à face da EN 202, em Ponte de Lima, já é parte integrante da paisagem verde da freguesia de Brandara. Imperceptível a quem passa na estrada, é possível ver ainda parte do carro descoberta para quem entra na Rua das Barrosas. Segundo a lei, é competência da autarquia a remoção da viatura seguindo o artigo 165 do código da estrada (presunção de abandono). Fotografia: Armando Carriça / O MINHO

em

Uma viatura automóvel abandonada à face da EN 202, em Ponte de Lima, já é parte integrante da paisagem verde da freguesia de Brandara. Imperceptível a quem passa na estrada, é possível ver ainda parte do carro descoberta para quem entra na Rua das Barrosas. Segundo a lei, é competência da autarquia a remoção da viatura seguindo o artigo 165 do código da estrada (presunção de abandono). Fotografia: Armando Carriça / O MINHO

Continuar a ler

Alto Minho

Mulher ferida após capotamento na A27, em Ponte de Lima

Acidente

em

Foto: Arquivo / O MINHO

Uma mulher, cuja idade não foi possível apurar, sofreu ferimentos na sequência de um despiste, seguido de capotamento, na A27, em Ponte de Lima, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

A vítima, condutora da viatura ligeira, seguia no sentido Refoios de Lima-Viana do Castelo quando, por motivos ainda por apurar, entrou em despiste perto do nó de Arcozelo, acabando por capotar a viatura.

Para o local foram mobilizados os Bombeiros de Ponte de Lima com uma viatura de desencarceramento e uma ambulância.

“À nossa chegada, a vítima já tinha saído da viatura pelos próprios meios, não havendo necessidade de desencarcerar”, disse a mesma fonte.

A mulher foi transportada para o Hospital de Viana do Castelo com ferimentos considerados “ligeiros”.

O alerta foi dado cerca das 10:35 horas.

O destacamento de trânsito da GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Alto Minho

Fotografia: Fernando Pimenta, a maior esperança olímpica, andou a apanhar batatas

Fernando Pimenta, a maior esperança nacional para os próximos Jogos Olímpicos, regressou aos tempos de infância e dedicou-se à apanha da batata em Ponte de Lima. “De volta onde fui muito feliz, onde tirei e aprendi muitas lições de vida com os meus avós. Cada vez mais dou valor a esses momentos”, escreveu o campeão mundial nas redes sociais: Foto: Instagram

em

Foto: Instagram de Fernando Pimenta

Fernando Pimenta, a maior esperança nacional para os próximos Jogos Olímpicos, regressou aos tempos de infância e dedicou-se à apanha da batata em Ponte de Lima. “De volta onde fui muito feliz, onde tirei e aprendi muitas lições de vida com os meus avós. Cada vez mais dou valor a esses momentos”, escreveu o campeão mundial nas redes sociais: Foto: Instagram

Continuar a ler

Populares