Seguir o O MINHO

Colunistas

Queridos meninos e meninas

Por Vânia Mesquita Machado

em

Artigo de Vânia Mesquita Machado

Humanista. Mãe de 3. De Braga. Pediatra no Trofa Saúde – Braga Centro.

Queridos
meninos e meninas,

Sou médica de crianças.

Talvez até seja a vossa Pediatra,
ou parecida com a vossa doutora.
Ou que o vosso doutor também sorria como eu.
Nós, os vossos doutores,
gostamos muito de sorrir para vos tentar animar se estiverem doentes.
E se não estiverem,
até sorrimos
porque a vossa energia e alegria nos contagia,
e nos põe a nós bem dispostos.

Estes dias é mais difícil verem que continuamos a sorrir quando nos vão consultar,
porque temos a cara tapada com as máscaras:
mas os vossos pais já vos explicaram que tem de ser.

Estou a escrever agora para vós,
para também explicar porque tenho de usar a máscara.

Costumo fazer isso na consulta quando me vão visitar,
desde que veio para Portugal o coronavirus,
mas como estou com ela na cara,
nem sempre se percebe bem o que digo,
e quando vão à consulta alguns de vós têm aquele friozinho na barriga, que é normal.

Eu também tinha quando era da vossa idade e ia ao meu doutor…
Confesso-vos que não gostava nada de sentir o frio do estetoscópio no corpo nem o pauzinho na garganta.
Mas os meus pais davam-me a mão com força e tudo corria bem!

Alguns de vós preferem as histórias dos livros que começam com
“Era uma vez”, outros preferem outras histórias,
mas todos gostam que o final seja feliz.

Como nós, os adultos!

Esta história do vírus que em dezembro apareceu na China, ainda não terminou,
não sabemos quando vai acabar,
mas temos todos esperança que seja o mais depressa possível.

Mas esta história ainda se está a escrever,
e como eu já vos disse muitas vezes,
e de certeza, os vossos doutores também,
nós não gostamos de mentir.

Não se deve mentir, pois não?

Quando vão às vacinas dói um bocadinho, mas depois passa.
Certo?

O coronavirus é mais um dos bichinhos invisíveis chamados micróbios.

Este vírus tornou-se mais forte do que
muitos outros,
e viajou pelo mundo todo.
E essa viagem chama-se pandemia.

Mas de certeza que já ouviram falar noutras doenças como a gripe das aves,
a gripe A, o Ébola e a Doença das vacas loucas, que viajaram pelo mundo.

Os micróbios tambem eram mais fortes e
ainda dão doenças más nalguns lugares do mundo.

Mas os cientistas estão sempre a estudar para descobrir como matar os micróbios, e por isso muitos desses vírus já não são tão fortes.

Onde vivemos,
existem milhões de outros micróbios, não só vírus mas bactérias,
que são todos invisíveis, muito mais pequeninos que as formiguinhas.

E podem dar tosse, dor de garganta, dor dor de barriga…
Muitos fazem com que fiquem mal dispostos
e até sem quererem comer.
E quando os vossos pais
vos virem a brincar menos ,
põe-vos a mão na testa e estão quentes, por isso podem ter febre, e
usam o termómetro.
( que muitos de vós também não gostam nada… mas tem de ser)

Tomam os remédios e passado um tempo já se sentem melhor…
Verdade?

Se não melhoram, vêm-nos visitar.
E nós os doutores ouvimos o que se passa, vemos o vosso corpo, e depois damos outros remédios para que fiquem outra vez sem dores, e cheios de vontade de brincar e aprender!

Não precisam de ter medo.

Porque no nosso planeta sempre existiram doenças, tanto pelos micróbios como por outros motivos, já ouviram falar nelas, como o cancro, por exemplo.

A boa notícia,
é que os médicos estudam muito para vos poderem curar, e os cientistas ajudam a descobrir coisas novas, e já existem muitos remédios para tratar as doenças.

De certeza que alguns de vós já ficaram internados quando os tratamentos têm de ser no hospital, ou têm amigos que já lá passaram algum tempo.
Às vezes, tem mesmo de ser!

Como disse no princípio,
o que eu vos queria explicar muito bem,
é que durante uns tempos, nós doutores e os adultos,
temos de usar as máscaras para proteger as pessoas
se estivermos infetados com o coronavirus, porque muitas vezes não se sente nada quando o vírus entra no nosso corpo.

E vós, meninos e meninas, têm de usar máscaras para irem à escola,
exceto os mais pequeninos.

Nós não gostamos muito,
porque escondemos o riso e preferimos estar sem nada na cara, certo?

Mas nem sempre podemos fazer tudo o que nos apetece…
Também é verdade, não é?

Muitos de vós, preferem gomas e outras gulodices em vez da sopa e da fruta.
( quase todos…)

Mas como os pais, e nós doutores explicamos, e alguns já aprenderam na escola,
temos de comer alimentos com vitaminas, proteínas, e hidratos de carbono e gorduras boas,
para crescer, para que o cérebro fique mais inteligente,
e também para ajudar a curar as doenças!

Também é importante
dormir bem,
e termos todos momentos felizes com as pessoas de quem mais gostamos!

Tudo isso vai ajudar a que as defesas do nosso corpo fiquem cada vez mais fortes , o que nós doutores chamamos “sistema imunitário”,
e que é fundamental,
para além dos remédios, para curar as doenças, ou para nem ficarmos doentes.

Mais outra boa noticia para vós,
meninos e meninas:
é que o coronavirus não vos vai quase de certeza fazer sentir muito doentes, todos já tiveram febre, tosse nariz entupido, e depois ficaram bons, certo?

Mas as pessoas mais velhas,
ou que já tenham outras doenças, se se infetarem com este vírus podem ficar muito doentes ou podem morrer…

Por isso estamos todos a usar as máscaras,
a lavar bem as mãos,
não pondo as mãos nos olhos,
no nariz e na boca,
e não andamos na rua ou noutros sítios com muitas pessoas juntas, e se acontecer afastamo-nos.

Porque todos estamos a fazer um grande esforço para que o coronavirus
se vá embora do planeta, ou se transforme num vírus menos forte,
e acabe a pandemia.

E nao se esqueçam que os cientistas estao a estudar os remédios para curar este vírus, e as vacinas para nos proteger contra ele.

E nós doutores, continuamos a tratar de vós, de máscara, enquanto for preciso.

E se estiverem doentes,
com tosse, febre, nariz muito entupido,
têm de ir às consultas das urgências numa sala diferente,
onde estamos vestidos como astronautas…

Mas continuamos a tratar de vós,
meninos e meninas,
e a sorrir!

E este é o meu sorriso,
sem máscara,
parecido com o dos vossos doutores, porque todos acreditamos que rir
também funciona como um remédio para ajudar a curar as doenças!

Um abraço amigo,

Doutora Vânia

Populares