Seguir o O MINHO

Braga

Quatro empreiteiros concorrem para restaurar Convento de S. Francisco, em Braga

Património

em

Foto: CM Braga / Arquivo

O júri do concurso público para a obra de requalificação do Convento S. Francisco de Real, em Braga, já qualificou as quatro construtoras que se pré-candidataram: Augusto Ferreira de Oliveira % C.ª Lda, Revivis, Reabilitação, Restaauro e Construção, Lda, SIGNINUM- Gestão do Património Cultural, Lda e Cari Construções, Lda.

A empreitada tem um preço-base de 1, 89 milhões de euros e o prazo de execução é de 24 meses.

O assunto vai ser debatido segunda-feira em reunião do Executivo municipal.

Caso a proposta de qualificação seja aprovada, a Câmara enviará convite às quatro empresas, para que, no prazo de 20 dias, apresentem propostas circunstanciadas nos termos do caderno de encargos.

O projeto visa reabilitar o Convento de São Francisco estabelecendo a reposição da coesão espacial do conjunto monumental composto pela Igreja de São Francisco/S. Jerónimo, Mausoléu de São Frutuoso (monumento nacional) e Convento de São Francisco, tendo em vista a sua visitação.

A intervenção conta com um financiamento de 850 mil euros ao abrigo do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), ao qual se junta o investimento municipal superior a 1,5 milhões de euros, para o qual o Município irá recorrer ao Banco Europeu de Investimento.

Recorde-se que a 24 de setembro de 2019, o Município de Braga, a UMinho, a Direção Regional de Cultura Norte (DRCN) e a Paróquia de Real, assinaram um protocolo de colaboração para a recuperação do Convento que vai permitir a integração do edifício num circuito de visita integrada que contempla também o Mausoléu de S. Frutuoso e a Igreja de S. Francisco de Real.

O projeto

O programa base da operação integra a abertura do monumento à visitação interpretada, com circuito que inclui os dois primeiros pisos do convento, o mausoléu, a igreja e a sacristia; a construção de um Centro de Documentação nos domínios da arqueologia, arquitetura e história, que ocupará o terceiro piso do convento, acolhendo ainda uma biblioteca especializada e o núcleo de apoio ao Convento da unidade de arqueologia da UMinho que assegurará o serviço educativo e a produção atualizada de conteúdos para complementar o circuito de visita. O Convento de São Francisco passará a ser num equipamento polivalente, aberto à população, assumindo-se como um polo de difusão do conhecimento e também como ponto turístico de qualidade.

Reunião de Câmara

Na reunião de vereadores estarão também em debate, temas como os da, requalificação da Rua Costa Gomes, em Real; dos relatórios trimestrais de execução orçamental das Empresas Municipais; do programa [email protected]; da atribuição de subsídios aos Agrupamentos Escolares do Concelho; o protocolo de cooperação a celebrar com os Serviços de Ação Social da Universidade do Minho, no âmbito do programa ‘Braga a Sorrir’; contratos interadministrativos de delegação de competências e apoios financeiros.

Populares