Seguir o O MINHO

Ave

PSD quer novo nó da A7 entre Famalicão e Póvoa de Varzim

Para permitir ligação ao novo santuário da Beata Alexandrina

em

Jorge Paulo Oliveira. Foto: Divulgação / PSD

Jorge Paulo Oliveira, Afonso Oliveira, Carlos Reis e Carla Barros, entre outros deputados do PSD, querem um nó da A7 entre Fradelos, no concelho de Famalicão, e Balasar, na Póvoa de Varzim.

“A necessidade de construção de um nó na auto estrada A7 (Vila do Conde – Famalicão) de modo a permitir a ligação ao novo santuário da Beata Alexandrina e às empresas da região envolvente, designadamente nas freguesias de Fradelos, Balasar, S. Pedro de Rates, Macieira de Rates, Negreiros e Chavão, reúne um amplo consenso nas populações, autarcas, empresas e instituições dos municípios de Vila Nova de Famalicão, Póvoa de Varzim, Vila do Conde e Barcelos”, começam por referir os deputados social democratas na interpelação dirigida ao ministro das Infraestruturas e Habitação.

Os deputados salientam que a criação daquela saída na zona de Fradelos e Balasar “decididamente ajudaria a escoar o trânsito, fator essencial para o sucesso empresarial local, mas também facilitaria enormemente o acesso dos fiéis ao novo santuário”, dada a saturação em que se encontra a atual Estrada Nacional 206.

Os parlamentares lembram ao ministro Pedro Nuno Santos que, já em 2005, “haviam alertado que a não construção deste nó agravaria o problema das acessibilidades de Balasar” e que, como então se alcançava “o tempo veio a dar razão a todos aqueles que consideravam uma decisão menos acertada, colocar dois nós separados por uma curta distância e depois um longo percurso de dezenas de quilómetros sem entradas e saídas”.

Jorge Paulo Oliveira, Afonso Oliveira, Carlos Reis e Carla Barros, entre outros deputados do PSD, afirmam que a concessionária já elaborou os estudos de tráfego e está a desenvolver o projeto de execução do referido novo nó de acesso, pelo que querem saber “quando prevê o Governo, o avanço desta obra que se assume importante e vital para esta região”.

Populares