Seguir o O MINHO

Braga

PSD exige explicações sobre impacto da reversão do Hospital de Braga para o Estado

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou na quarta-feira, no final de uma audição na comissão parlamentar de Saúde, que o Hospital de Braga poderá voltar à esfera do SNS.

em

Foto: Divulgação / Arquivo

Os deputados do PSD querem que o governo explique “exaustivamente” quais as motivações, custos e impacto para o Estado e para os doentes de uma eventual reversão da gestão do Hospital de Braga para a esfera do Estado.

Numa pergunta enviada ao Ministério da Saúde, o grupo parlamentar do Partido Social Democrata exige ainda que o governo apresente um estudo de custo-oportunidade de não continuação do contrato de gestão sob modelo Parceria Público Privada versus reversão para gestão pública e que garanta a continuidade da assistência da população abrangida pelo Hospital de Braga, independentemente do modelo de gestão.

Os deputados consideram que “constituirá um erro grave, com elevados custos para o Estado e que acarreta inegáveis prejuízos para os utentes do Serviço Nacional de Saúde, a reversão de uma parceria público-privada que demonstra ser eficiente e vantajosa para os cidadãos e o País” e advertem “para as consequências imprevisíveis de uma decisão tomada de forma atabalhoada e pouco transparente”.

O PSD defende que depois do parceiro privado ter vindo esclarecer que, desde o primeiro momento, se mostrou disponível para o prolongamento do contrato de gestão da PPP do Hospital de Braga desde que esclarecidas as condições de execução do contrato e de sustentabilidade financeira da parceria”, que não se deve considerar esgotado o processo negocial.

Face ao exposto, os sociais-democratas questionam “se reafirma o Governo que foi por vontade do parceiro privado que não se renova o contrato do Hospital de Braga”, e por que razão não desencadeou o Governo um novo concurso para a futura gestão.

O PSD pergunta ainda se “pretende o governo assumir a gestão pública do Hospital de Braga ou lançar um novo concurso” e quando o pretende fazer.

Na pergunta assinada pelos deputados Fernando Negrão, Hugo Soares, Adão Silva e Emídio Guerreiro, entre outros, os sociais-democratas lembram que, segundo os últimos dados Sistema Nacional de Avaliação em Saúde, o Hospital de Braga recebeu a classificação máxima na área de Cardiologia, tendo as áreas de Obstetrícia, a Unidade de Cuidados Intensivos, a Neurologia o AVC ou ainda a Cirurgia de Ambulatório, entre outras, obtido o “Nível de Qualidade Superior”.

Ainda segundo os deputados, também o Tribunal de Contas, numa auditoria recente, concluiu que este estabelecimento hospitalar “aumentou a oferta de cuidados de saúde à população: as consultas externas aumentaram cerca de 99% (entre 2009 e 2015) e a atividade do internamento e cirurgia de ambulatório mais do que duplicou face às previsões iniciais.”

Para os mesmos, os dados demonstram, “de forma inequívoca, que aquela unidade, não só presta cuidados de saúde com qualidade e nas melhores condições de segurança (…) como representa uma poupança de recursos para o Estado Português”.

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou na quarta-feira, no final de uma audição na comissão parlamentar de Saúde, que o Hospital de Braga poderá voltar à esfera do SNS por “indisponibilidade definitiva” do gestor privado, a José de Mello Saúde, em prolongar o atual contrato de gestão público-privada.

Até agora, não foi lançado um novo concurso para a gestão público-privada e não daria tempo de estar concluído até agosto de 2019 e, segundo Marta Temido, o gestor privado não está interessado no prolongamento do atual contrato.

O Hospital de Braga foi inaugurado em 2011 pelo então primeiro-ministro, José Sócrates e que serve uma população na ordem dos 1,2 milhões de pessoas.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Efeméride: Mota Pinto venceu congresso do PSD em Braga, neste dia, há 35 anos

XI Congresso do Partido Social Democrata

em

Foto: Arquivo PSD

Braga, Theatro Circo. 23, 24 e 25 de março de 1984. O Partido Social Democrata (PSD) reuniu-se em congresso, tendo Carlos Mota Pinto sido eleito presidente do partido. Rui Machete, Amândio de Azevedo, José Ângelo Correia e Rui Almeida Mendes, vice-presidentes, e Francisco Antunes da Silva, secretário-geral, faziam parte da comissão política, em lugares de destaque.

Jurista de formação e fundador do partido – foi ele quem lançou o slogan “Hoje somos muitos, amanhã seremos milhões”, dez anos antes, em 1974 – Carlos Mota Pinto viria a morrer no ano seguinte, quando era dado como favorito para vencer o congresso de 1985, na Figueira da Foz, no qual acabou por ser Aníbal Cavaco Silva a assumir a liderança do PSD.

Dos órgãos eleitos em Braga, naquele que foi o XI congresso dos sociais-democratas, e cuja lista se encontra disponível no site do PSD, constam vários nomes conhecidos dos tempos atuais.

Órgãos Eleitos

Mesa do Congresso

Presidente
Leonardo Ribeiro de Almeida

Vice-Presidentes
Alberto João Jardim
Eurico de Melo

Secretários
João Antas de Barros
Pedro Paes de Vasconcelos
Reinaldo Gomes

Comissão Política 

Presidente
Carlos da Mota Pinto

Vice-Presidentes
Rui Machete
Amândio de Azevedo
José Ângelo Correia
Rui Almeida Mendes

Secretário-Geral
Francisco Antunes da Silva

Vogais
Daniel Bastos
Fernando Brochado Coelho
João Calvão da Silva
José Eugénio Nobre
José Mendes Bota
Maria Leonor Beleza
Mário Montalvão Machado
Rogério Martins

Conselho de Jurisdição 

Presidente
Orlando Guedes da Costa

Secretário
Manuel da Costa Andrade

Membros
João Salgado
Domingos Almeida Lima
Luís Marques Mendes
José Miguel Júdice
António Sande Lemos
José Coelho dos Reis
Joaquim Sousa Patrício
Conselho Nacional
Membros eleitos
Barbosa de Melo
Alípio Dias
Rui Amaral
Vaz Portugal
Sousa Tavares
Luís Fontoura
José Manuel Pereira da Silva
Fernando Ribeiro da Silva
Marília Raimundo
Cardoso Ferreira
Arménio Santos
Vítor Loureiro
Eloy Ribeiro
Mourão Martins
Alexandre Gouveia
Bráulio de Sousa
Mala to Correia
Artur Torres Pereira
Aires Querubim
Branco Teixeira
Fernando Nogueira
Artur Nobre
Artur Mota
Pereira Pinto
Duarte Lima
Marcelo Rebelo de Sousa
Pedro Santana Lopes
Conceição Monteiro
Miguel de Sousa
Fernandes Marques
Carlos Pinto
Mota Amaral
João Salgueiro
António Capucho
Miguel Veiga
Tomás Oliveira Dias
Pedro Pinto
Rui Oliveira e Costa
António Marques Mendes
José Vitorino
Luís Martins
Luís Filipe Menezes
Mário Adegas
José Veludo
Bento Gonçalves
Jaime Ramos
Maria de Lurdes Breu
Telmo Moreno
Vasco Miguel
António Passos Coelho

Continuar a ler

Vila Verde

Incêndios em Vila Verde mobilizam cerca de 150 bombeiros

Três incêndios deflagraram durante a manhã

em

Vários incêndios deflagraram, hoje, no Concelho de Vila Verde. Nesta altura, cerca de 130 bombeiros combatem um incêndio na freguesia de Coucieiro, num alerta dado por volta das 14:30.

Já esta manhã, deflagram fogos em várias zonas do concelho, sobretudo, em Estrumil, Passô e Valdreu, tendo um deles andava mais próximo de habitações.

Continuar a ler

Braga

Procuram-se jovens músicos bracarenses para se juntarem à Escola do Rock

Inscrições até 01 de abril

em

Foto: GNRation

A Escola de Rock de Paredes de Coura vai descer até Braga para apresentar um concerto que irá integrar jovens músicos bracarenses.

O convite partiu do gnration e está inserido nas comemorações do seu sexto aniversário. Para isso, a estrutura bracarense vai organizar uma “open call onde irá procurar jovens guitarristas e baixistas da cidade de Braga, com idades entre os 13 e os 17 anos.

O espetáculo sobe a palco a 27 de abril, sábado, pelas 16:30. Os ensaios de preparação decorrem a 13 e 14 de abril, sábado e domingo, respetivamente, das 14:30 às 18:30. Ainda a 27 de abril, da parte da manhã, haverá um ensaio-geral.

As inscrições são gratuitas e decorrem até 1 de abril. Os interessados deverão contactar o gnration através do e-mail [email protected]

Recorde-se que a Escola do Rock surgiu em Paredes de Coura, corria o ano de 2014, numa iniciativa municipal para potenciar o aparecimento de novas bandas e novos músicos. Composta por cerca de 50 jovens músicos, já atuou em diversas salas de espectáculos e festivais de música.

Continuar a ler
Anúncio

ÚLTIMAS

Reportagens da Semana

EM FOCO

Populares