Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

PSD diz querer remover pórtico na A28 e que o projeto rejeitado era para todas as autoestradas

em

Imagens: PSD

Eduardo Teixeira, deputado da Assembleia da República eleito pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo, já reagiu ao chumbo no parlamento para a abolição das portagens na Autoestrada 28 (A28), proposta pelo Bloco de Esquerda.


Em declarações a O MINHO, diz ser “falso” que o PSD esteja contra a abolição de portagens na zona de Viana, e que a abstenção perante a resolução bloquista deve-se à extemporaneidade da proposta.

Teixeira adianta que a recomendação do BE não incidia só na A28 mas sim em todas as autoestradas do país, e que não é essa a intenção do PSD.

“Eu não quero saber dos outros lados, eu quero saber do meu distrito e é óbvio que sou a favor que se arranque o pórtico de Neiva, e todos os líderes parlamentares estão de acordo nesta matéria”.

O deputado explica que já existe uma recomendação do PSD, que incide apenas na portagem de Viana, e que a mesma irá a discussão parlamentar a breve prazo, devendo ser aprovada.

Na votação efetuada, nunca esteve em causa votar a favor ou contra o pórtico da A28, mas sim de todas as portagens de todas as autoestradas do país.

Eduardo Teixeira recorda que, na quinta-feira, foi ele quem liderou as reivindicações pela eliminação do pórtico, durante o debate na Assembleia da República.

Em comunicado, o deputado refere que “deveria haver um largo consenso sobre a eliminação deste pórtico que constitui um entrave aos movimentos pendulares intra e extra concelho, à competitividade das empresas, à cooperação transfronteiriça e penaliza quem produz e trabalha na maior zona industrial da região”.

Recorda que “foi o governo do PSD que arrancou os sete pórticos que o PS deixou prontos no distrito de Viana do Castelo”. “Queriam portajar as ligações entre Viana do Castelo – Arcos-de-Valdevez – Ponte de Lima e entre Viana do Castelo – Caminha – Cerveira”, denuncia.

Eduardo Teixeira frisou que “cabe agora ao governo do PS, passados dez anos do pórtico de Neiva, fazer algo por esta região, corrigindo o erro e injustiça que teve, de forma a dar um sinal claro e um contributo claro à mobilidade, promovendo a coesão social e territorial da região”.

Anúncio

Viana do Castelo

Nova residência universitária de Viana, com 400 camas, pronta em 2021

Ensino superior

em

Foto: IPVC

O projeto da nova residência universitária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), que terá até 400 camas, vai estar pronto no fim do primeiro semestre de 2021 para ser candidatado a fundos comunitários, foi hoje divulgado.

“Estamos a fazer o trabalho de casa para estarmos preparados para avançar se e quando abrirem avisos a financiamentos comunitários. Sozinho, o IPVC não consegue concretizar um projeto desta envergadura”, afirmou hoje à agência Lusa Carlos Rodrigues, presidente do IPVC.

A nova residência universitária do IPVC está prevista para os terrenos da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, situada na avenida do Atlântico, junto à Praia Norte, em Viana do Castelo.

O equipamento “com entre 350 e 400 camas” ainda não tem definido o valor do investimento, mas que o presidente do IPVC estimou “em vários milhões de euros”.

“Estamos a fazer um projeto mais abrangente. Não queremos que seja só uma residência. Pretendemos dotá-la de outras valências como refeitório e outras que não temos e que faz todo o sentido instalar no novo equipamento. Estou convencido que os avisos de financiamento virão, ou ainda no âmbito deste quadro comunitário ou no início do próximo”, reforçou.

Atualmente, o IPVC dispõe de duas residências na cidade da Viana do Castelo, e uma Ponte de Lima, onde está localizada a Escola Superior Agrária.

Ao nível do alojamento, “o IPVC é, de acordo com o último relatório do PNAES – Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior, o segundo instituto politécnico do país com maior número de camas próprias disponíveis”, um total de 453.

Com a construção da nova residência universitária, o IPVC conseguiria “duplicar” a capacidade de alojamento, uma das “prioridades” da instituição.

Em outubro, o IPVC celebrou cinco protocolos com unidades hoteleiras e com uma pousada de juventude, garantindo 157 camas na região para alojar alunos deslocados.

Aquele alojamento está situado nos concelhos de Viana do Castelo, Melgaço, Vila Nova de Cerveira, Ponte de Lima e Valença.

Com cerca de cinco mil alunos, o IPVC tem seis escolas – de Educação, Tecnologia e Gestão, Agrária, Enfermagem, Ciências Empresariais, Desporto e Lazer -, ministrando 28 licenciaturas, 40 mestrados, 34 Cursos de Técnicos Superiores Profissionais (CTESP) e outras formações de caráter profissionalizante.

Além das escolas superiores de saúde, educação e tecnologia e gestão, situadas em Viana do Castelo, o IPVC tem escolas superiores instaladas em Ponte de Lima (Agrária), Valença (Ciências Empresariais) e Melgaço (Desporto e Lazer).

Continuar a ler

Viana do Castelo

Hospital privado de Viana vai fazer testes covid prescritos pelo SNS

Covid-19

em

Foto: Facebook / CM Viana

Há mais um local no concelho de Viana do Castelo onde se podem fazer testes de rastreio à covid-19. O anúncio foi feito hoje pela autarquia local, dando conta da nova funcionalidade instalada no Hospital Privado de Viana do Castelo.

Esta unidade instalou um posto de rastreio no seu espaço contíguo ao parque de estacionamento, aumentando assim a possibilidade de realizar mais testes no distrito.

“Com esta iniciativa, pretende dar o correcto e digno apoio aos utentes, bem como à população em geral, fazendo testes prescritos pelo SNS/P1″, escreve a autarquia.

Segundo o hospital, é “missão participar no combate à pandemia juntamente com as autoridades sanitárias municipais e nacionais”.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Politécnico de Viana do Castelo com 14 alunos e professores infetados

Covid-19

em

Foto: DR

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) regista 14 casos de infeção pelo novo coronavírus, entre professores e docentes, todos em recuperação em casa, disse hoje o presidente da instituição de ensino superior.

Em declarações à agência Lusa, Carlos Rodrigues adiantou “não se registar, até ao momento, qualquer caso de infeção por SARS-CoV-2, o vírus da doença covid-19, entre os funcionários do IPVC”.

De acordo com o responsável, segundo “a rastreabilidade que as autoridades de saúde conseguiram fazer, o contágio não terá ocorrido em ambiente escolar”.

Carlos Rodrigues adiantou que “as 14 pessoas infetadas, a maioria estudantes, oriundos de vários concelhos do distrito de Viana do Castelo e de outras regiões do país, estão a recuperar em casa, não havendo relatos de situações mais graves da doença”.

O presidente do IPVC adiantou que os estudantes “estão a ser acompanhados, diariamente, pelos coordenadores de curso.

“Fazemos um acompanhamento com muita proximidade para que os alunos não serem prejudicados na sua atividade letiva”, referiu.

Carlos Rodrigues adiantou que “o registo dos casos de covid-19 está a feito, de forma sistematizada, desde a semana passada”, e revelou que “na próxima terça-feira o IPVC vai disponibilizar um boletim atualizado dos casos da doença para informar de forma transparente e rigorosa a evolução da doença”.

Os dados serão divulgados, “uma vez por semana, na página covid-19, criada em março no portal oficial da instituição na Internet”, sendo que “internamente os dados serão enviados para as escolas, duas vezes por semana”.

Segundo Carlos Rodrigues, o plano de contingência do IPVC inclui dois apartamentos, um situado na cidade de Viana do Castelo e outro em Ponte de Lima, para acolher alunos ou docentes que não possam regressar às suas casas.

Com cerca de cinco mil alunos, o IPVC tem seis escolas – de Educação, Tecnologia e Gestão, Agrária, Enfermagem, Ciências Empresariais, Desporto e Lazer -, ministrando 28 licenciaturas, 40 mestrados, 34 Cursos de Técnicos Superiores Profissionais (CTESP) e outras formações de caráter profissionalizante.

Além das escolas superiores de saúde, educação e tecnologia e gestão, situadas em Viana do Castelo, o IPVC tem escolas superiores instaladas em Ponte de Lima (Agrária), Valença (Ciências Empresariais) e Melgaço (Desporto e Lazer).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos em mais de 48,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.792 pessoas dos 166.900 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Populares