Seguir o O MINHO

Alto Minho

PS recupera duas Câmaras no distrito de Viana e ganha em cinco com maioria absoluta

Eleições autárquicas 2021

em

Mapa: O MINHO

O PS recuperou duas câmaras perdidas em 2009, passando a deter seis das 10 autarquias do distrito de Viana do Castelo, o PSD segurou três dos quatro municípios que tinha e o CDS-PP mantém Ponte de Lima desde 1976.

De acordo com acordo com o Ministério da Administração Interna (MAI), apuradas as 11 freguesias do concelho de Valença, o PS venceu as eleições legislativas com 40,01% e garantiu três mandatos autárquicos.

A candidatura do PPD/PSD, encabeçada por Manuel Lopes, atual presidente da Câmara, por inerência, e que liderou, pela primeira vez, a candidatura social-democrata àquela autarquia, alcançou 28,16% e garantiu dois lugares no executivo municipal.

Manuel Lopes assumiu a presidência da câmara da de Valença em novembro de 2019, substituindo no cargo Jorge Mendes, que foi eleito deputado do PSD nas legislativas de outubro desse ano.

Já o movimento independente Fortalecer Valença, liderado por José Monte, vereador da ainda maioria PSD na Câmara de Valença, que renunciou aos pelouros atribuídos por discordar do rumo político da presidência de Lopes, atingiu 20,40% e assegurou outros dois mandatos.

O deputado socialista José Manuel Carpinteira não conseguiu a maioria absoluta, mas recuperou a câmara da segunda cidade do distrito de Viana do Castelo, 12 anos depois a ter perdido para o PSD.

O presidente eleito em Valença foi presidente do município vizinho de Vila Nova de Cerveira de 1989 a 2013.

Em Vila Nova Cerveira, o socialista Rui Teixeira protagonizou a outra novidade das autárquicas no distrito de Viana do Castelo.

Ex-vereador da Câmara de Caminha e atual vogal da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), Rui Teixeira recuperou o município perdido em 2009 para o movimento independente Pensar Cerveira – PenCe.

Segundo os dados do MAI, depois do PS, com 50,83%, e três mandatos autárquicos, o PenCe, apoiado pelo PSD e CDS-PP, e liderado por Fernando Nogueira, atual presidente da Câmara, foi segundo mais votado com 41,18%, e um lugar no executivo municipal.

O Chega, que concorreu com Sérgio Carvalho, alcançou 2,65% dos votos.

Em Monção, Ponte de Barca, e Arcos de Valdevez, António Barbosa, Augusto Marinho e João Manuel Esteves, respetivamente, conseguiram manter a presidência da Câmara para o PSD.

Para o PS, Manoel Batista, em Melgaço, Vítor Paulo Pereira, em Paredes de Coura e Miguel Alves, Caminha, garantiram a reeleição.

Em Viana do Castelo, o socialista Luís Nobre conseguiu manter a Câmara de Viana do Castelo nas mãos do PS desde 1993, apesar da mudança de presidente devido à lei de limitação de mandatos.

O socialista José Maria Costa, com 60 anos, não pode concorrer por ter atingido o limite de mandatos e o testemunho foi entregue a Luís Nobre, com 50 anos, que garantiu a continuidade, apesar de ter perdido um mandato.

De acordo com os dados do MAI, depois de apurados os resultados das suas 27 freguesias, o PS foi o vencedor em Viana do Castelo, com 45,05% dos votos e cinco mandatos, seguido da coligação PSD/CDS-PP, com 24,59%, com três mandatos e da CDU (PCP-PEV), com 10,04%, e um mandato.

Em Ponte de Lima, às 03:20, e com quatro freguesias por apurar, os dados do MAI indicavam que o candidato do CDS-PP, Vasco Ferraz, venceu as eleições com 45,22% dos votos e tinha garantido dois dos sete mandatos autárquicos.

O movimento independente “Ponte de Lima minha Terra”, apoiado pelo PS, e liderado pelo ex-deputado do CDS-PP, Abel Baptista, somava 26,82% dos votos e um mandato.

Neste concelho do Alto Minho também há mudança de liderança municipal, sendo que o sucessor de Victor Mendes (CDS-PP), Vasco Ferraz, conseguiu manter o município para aquele partido que é poder desde as primeiras eleições autárquicas, em dezembro de 1976.

Até 2013, o segundo concelho mais populoso do Alto Minho era a única câmara municipal do país detida pelo CDS-PP.

Victor Mendes, de 58 anos, sucessor de Daniel Campelo, termina 12 anos consecutivos como presidente da câmara pelo CDS-PP e passa o testemunho a Vasco Ferraz, de 41 anos, engenheiro civil, atual vereador das Obras Particulares e Urbanismo, Proteção Civil, Desporto e Juventude.

Notícia atualizada às 03h39 com mais informação.

Populares