Seguir o O MINHO

Alto Minho

PS questiona Governo sobre supressão de comboio regional entre Valença e Viana

Novos horários geraram contestação

em

Foto: Infraestruturas de Portugal

O PS questionou o ministro das Infraestruturas sobre a supressão do comboio regional 3202, a partir do dia 26, na sequência da modernização e eletrificação da Linha do Minho, e apelou à reversão da medida, foi hoje divulgado.

A tomada de posição do partido surge depois de O MINHO ter noticiado, ontem, que a supressão deste comboio regional estava a gerar contestação e que o presidente da Junta de São Pedro da Torre, uma das freguesias afetadas, tinha reclamado junto da CP.

Na pergunta dirigida a Pedro Nuno Santos, a que a Lusa teve hoje acesso, assinada pelos três deputados eleitos pelo distrito de Viana do Castelo, José Manuel Carpinteira, Anabela Rodrigues e Sílvia Torres, os socialistas consideram que aquela supressão “prejudicará fortemente” populações servidas pelo comboio que liga Valença à capital do Alto Minho.

“A CP – Comboios de Portugal procederá a um ajustamento na disponibilização dos comboios regionais e nos seus horários, no trajeto entre Valença e Viana do Castelo, a partir da próxima segunda-feira, dia 26 de abril. Com este ajustamento, o comboio regional n.º 3202, que atualmente sai de Valença às 06:23, com paragens para transbordo em São Pedro da Torre, Carvalha, Vila Nova de Cerveira, Gondarém, Esqueiro, Seixas, Caminha, Senhora da Agonia, Moledo, Âncora Praia, Afife, Carreço e Areosa, e chega a Viana do Castelo às 07:24, será retirado de circulação e o seu serviço suprimido”, referem os deputados, acrescentando que “o custo do bilhete para este trajeto é de 4,65 euros”.

Caso a supressão deste comboio venha a efetivar-se, os socialistas questionam qual a possibilidade de “transpor para o comboio regional n.° 3200 as paragens de transbordo em Carvalha, Gondarém, Seixas e Senhora da Agonia, uma vez que este se manterá em circulação, fazendo atualmente o mesmo trajeto, mas sem paragem naqueles apeadeiros”.

Na pergunta enviada na terça-feira ao ministério tutelado por Pedro Nuno Santos, os deputados do PS referem ainda que “o comboio intercidades passará a circular neste mesmo trajeto, saindo de Valença às 06:48 e chegando a Viana do Castelo às 07:23, mas parando apenas nas estações principais, com o valor de 13,15 euros cobrado por este serviço”.

“Uma vez que o comboio regional n.° 3202 é, diariamente, utilizado pelos cidadãos das referidas localidades para deslocações em contexto laboral, académico ou no recurso a serviços médicos na Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), a supressão do seu serviço prejudicará fortemente estas populações, especialmente as de São Pedro da Torre, Carvalha, Gondarém, Seixas e Senhora da Agonia”, alertam os deputados.

Os parlamentares destacam o “aumento exponencial do custo, para valores próximos dos 300%, associados à viagem no comboio intercidades”.

“Será alcançável um equilíbrio entre o inegável progresso da circulação do comboio intercidades Valença-Lisboa e a satisfação das necessidades de mobilidade das populações de São Pedro da Torre, Carvalha, Gondarém, Seixas e Senhora da Agonia ao nível do sucedido com o Comboio Regional n.° 3202″, questionam.

Na terça-feira, em comunicado enviado às redações, a CP-Comboios de Portugal, adiantou que, com a modernização e eletrificação da Linha do Minho, vão ser introduzidos ” dois novos Inter-regionais (um por sentido) entre Coimbra B e Valença.

Por outro lado, é eliminado o transbordo em Viana do Castelo, no troço Nine/Valença e serão “prolongados os atuais Intercidades, de Viana do Castelo a Valença, bem como reforçada, durante o fim de semana, a oferta de comboios regionais entre Viana do Castelo e Valença.

“O novo modelo de oferta procura dar resposta às necessidades de mobilidade da população, numa zona do país caracterizada por uma intensa atividade económica e por vários polos de ensino, secundário e superior”, explica a empresa.

Anteriormente, a CP disse à Lusa que, no domingo, o primeiro comboio elétrico de serviço regional a circular na Linha do Minho parte da estação de Valença às 05:55 com destino ao Porto, passando por Viana do Castelo.

Em sentido inverso, às 06:00 parte da estação da Campanhã, no Porto, “um comboio que entra, às 07:20, no novo troço eletrificado em Viana do Castelo e chega a Valença às 08:01”.

No domingo começam as primeiras circulações de tração elétrica no troço Viana do Castelo e Valença, cuja modernização e eletrificação acabou no final de 2020, início de 2021, num investimento de 18 milhões de euros.

A modernização e eletrificação da Linha do Minho, entre Nine, no distrito de Braga, e Valença, no distrito de Viana do Castelo, representou um investimento de 86,4 milhões de euros, inserido no Plano de Investimentos Ferrovia 2020 e cofinanciado pelo programa Compete 2020.

Populares