Seguir o O MINHO

Braga

PS pede fundo municipal de apoio ao comércio e restauração em Braga

Política

em

Foto: CM Braga / Facebook (Arquivo)

Os vereadores do PS na Câmara de Braga propuseram hoje a criação de um fundo municipal de apoio direto aos pequenos comerciantes e empresários da restauração, face às dificuldades decorrentes da pandemia de covid-19.

Na reunião quinzenal do executivo, o PS, pela voz do vereador Artur Feio, propôs ainda, para 2021, a isenção da derrama à restauração e comércio e o congelamento efetivo de todas as tarifas de água e lixo.

Em relação ao fundo municipal de apoio, Artur Feio apontou o exemplo da Câmara de Lisboa, propondo que o montante a disponibilizar pelo município de Braga seja proporcional à dimensão de um concelho e de outro.

A Câmara de Lisboa anunciou um apoio de 20 milhões de euros, a fundo perdido, às empresas e empresários em nome individual do setor do comércio e restauração, com um volume de negócios até 500 mil euros e quebras de faturação, entre janeiro e setembro de 2020, acima de 25%.

“Pensámos na mesma escala para Braga”, referiu Artur Feio.

Para o PS, este fundo, a par da isenção de derrama e da suspensão do pagamento das tarifas de água e lixo, são “medidas fundamentais” para ajudar a alavancar os negócios.

“O ano de 2021 será de muitas incertezas e muitas dúvidas”, alertou.

O presidente da Câmara, Ricardo Rio, disse que as propostas do PS serão analisadas na próxima reunião do executivo.

Entretanto, o autarca adiantou hoje a O MINHO que vai manter em 2021 a medida de isenção de taxas e licenças, criada no corrente ano, para apoiar a restauração e o comércio em geral. “Vamos manter em 2021 o apoio”, disse.

A URBAC reúne-se, esta tarde, no Fórum Altice Braga, em assembleia-geral para tratar da transformação do organismo em associação. O seu porta-voz, Tiago Carvalho revelou que, no final será apresentado um caderno reivindicativo, com medidas que os restaurantes entendem que a Autarquia pode e deve assumir.

Anteriormente, e em carta enviada à Câmara, a URBAC revelou que está a preparar a definição dos estatutos e posterior eleição dos corpos sociais, pelo que irá reunir-se com todos os empresários com o intuito de avançar para a criação de uma associação que defenda os nossos direitos e que garanta o respeito que merecemos”.

O empresário salienta que “a restauração é uma atividade que há vários anos funciona como montra da nossa região, contribuindo de uma forma ímpar para elevar Portugal ao país que hoje é e que tem merecido o reconhecimento público, nacional e internacional, do nosso trabalho”.

Lembra que a URBAC representa um movimento de 150 restaurantes empregando mais de 1000 trabalhadores.

Em abril, o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio anunciou o alargamento, até ao fim do ano, da isenção de pagamento de taxas e licenças ao pequeno comércio e aos restaurantes. E permitiu a ampliação de esplanadas para que cafés, bares e restaurantes possam cumprir o distanciamento social.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.313.471 mortos resultantes de mais de 54 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.381 pessoas dos 217.301 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Notícia atualizada às 14h44 com mais informação.

Populares