Seguir o O MINHO

Braga

Proteção Civil espalha sal gema nas estradas para prevenir gelo em Vieira do Minho

Devido às temperaturas negativas

em

Foto: Divulgação / CM Vieira do Minho

Os serviços de Protecção Civil da Câmara Municipal de Vieira do Minho têm vindo a espalhar sal gema nas estradas do concelho, como forma de prevenir a formação de gelo e a ocorrência de acidentes rodoviários, devido às condições climatéricas que se têm feito sentir nos últimos dias, com os termómetros a atingirem temperaturas negativas.

Em comunicado enviado a O MINHO, a autarquia explica que o sal gema está a ser aplicado, de forma preventiva, nos pontos críticos identificados das estradas municipais.

“É fundamental que as nossas estradas se mantenham em segurança por forma a evitar a ocorrência de acidentes rodoviários, e a garantir a segurança dos seus utilizadores”, salienta o autarca António Cardoso, ali citado.

A Proteção Civil Municipal recomenda especial prudência a todos os condutores, salientando a necessidade de adequar a velocidade de circulação às condições climatéricas e ao estado do piso, uma vez que se prevê a continuação de tempo frio e formação de gelo.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Octogenário morreu atropelado em Vieira do Minho

Óbito foi declarado no local.

em

Foto: "RIO LONGO E NOTÍCIAS"

Um octogenário foi esta noite atropelado mortalmente, quando seguia pela EN103, na zona das Cerdeirinhas, em Tabuaças, Vieira do Minho.

A vítima, de 88 anos, residente na freguesia vizinha de Serzedelo, do concelho da Póvoa de Lanhoso, entrou em paragem cardiorrespiratória, não tendo sido possível reverter-lhe a situação.

No local estiveram a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Grupo de INEM de Braga. os Bombeiros Voluntários de Vieira do Minho e o Posto Territorial da Guarda Nacional Republicana de Vieira de Minho.

O Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação (NICAV) do Destacamento de Trânsito do Comando Territorial da GNR de Braga encontra-se já no local a proceder a peritagens.

Continuar a ler

Braga

Braga: BE critica poluição visual, ruído e excessiva ocupação do espaço público

“Perplexidade”.

em

A Comissão Coordenadora Concelhia de Braga do Bloco de Esquerda manifestou, esta terça-feira, em comunicado, a sua “perplexidade pela invasão desenfreada e exagerada do espaço público no local mais procurado pelos bracarenses: as Arcadas e a Avenida Central”.

“A ocupação da principal sala de visitas da cidade por tendas cada vez maiores impede o usufruto do espaço público pelos munícipes e por quem visita Braga. O centro da cidade tornou-se numa feira e numa festa permanentes, cheio de obstáculos visuais e de barreiras à circulação”, afirma Alexandra Vieira, da Comissão Coordenadora Concelhia de Braga do BE, referindo-se às tendas montadas por causa da Taça da Liga.

O Bloco condena, ainda, “o modo desrespeitoso como é tratado o espaço público e toda a envolvente da Praça da República e da Avenida Central, nomeadamente no que diz respeito ao património edificado e natural do local”.

Lembra, por isso, “ao executivo municipal que a requalificação do antigo PEB, com a expulsão da feira semanal do recinto exterior e a remoção de todas as construções, foi fundamentada na necessidade de espaços ao ar livre para este tipo de eventos”.

A pergunta que se impõe – fiz – “é a de saber as razões que levam a concentrar no coração da cidade todo o tipo de atividade, havendo espaços criados para esse efeito. Além do espaço do agora designado Fórum Braga, ainda existe o espaço exterior do Estádio 1º de Maio”.

Do ponto de vista urbanístico, – prossegue o partido – “é desejável que se criem outras centralidades. Tal como acontece noutras cidades, os habitantes podem usufruir de atividades em locais que não o centro, dando vida e dignidade a outras zonas da cidade. Além disso, a definição de novas centralidades e espaços de fruição públicos distribui o incómodo que toda a parafernália instalada, poluição visual e ruído inerente coloca aos moradores daquela zona, agora de modo quase permanente”.

O Bloco constata – a terminar – “que o número de eventos ao ar livre, cada vez mais opulentos e onerosos, tem vindo a aumentar e a prolongar-se no tempo. Se estas atividades visam estimular a vinda dos bracarenses ao centro incentivando o consumo no comércio local, ainda assim, é excessiva a ocupação e a frequência. Por isso, recomenda ao executivo municipal maior parcimónia na quantidade e no tamanho das atividades e que procure distribuí-las por outras zonas da cidade”.

Continuar a ler

Póvoa de Lanhoso

Sete armas apreendidas a suspeito de perseguir ex-mulher na Póvoa de Lanhoso

Mulher de 47 anos “temia pela sua própria vida”

em

Foto: GNR

A GNR apreendeu esta terça-feira várias armas de fogo e munições, na Póvoa de Lanhoso, na sequência de uma denúncia de violência doméstica, informou hoje o Comando Territorial de Braga.

Numa nota enviada a O MINHO, aquela força de segurança refere que a apreensão resultou da queixa apresentada por uma mulher de 47 anos, que era “perseguida pelo seu ex-marido e que temia pela sua própria vida”, uma vez que o homem possuía aquele conjunto de armas.

Na sequência dessa denúncia, a GNR da Póvoa de Lanhoso levou a cabo uma investigação que culminou no cumprimento de um mandado de busca à residência do suspeito, da qual resultou a apreensão de sete armas – duas caçadeiras, duas espingardas de ar comprimido, dois revolveres e uma carabina – e 350 munições – 171 cartuchos, calibre 12 e 179 munições de diferentes calibres.

O suspeito foi constituído arguido e sujeito a termo de identidade e residência.

Os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial da Póvoa de Lanhoso.

Continuar a ler

Populares