Seguir o O MINHO

Braga

Proteção Civil de Braga avisa para possíveis cheias face à chuva nos próximos dias

Estado do tempo

em

Foto: Fernando Araújo / Arquivo

A Proteção Civil de Braga lançou hoje um alerta dando conta da previsão de “precipitação muito elevada” para os próximos dias, esperando-se piso rodoviário com lençóis de água, cheias rápidas em meio urbano, inundação junto a rios e danos em estruturas edificadas ou suspensas.

Seguindo as projeções do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), as autoridades locais alertam para a probabilidade de precipitação moderada a muito forte, com especial relevância entre os dias 28 e 31 de outubro, com o vento a atingir os 40 km/h.

“A situação meteorológica prevista, deverá originar precipitação persistente na generalidade do território, e tem potencial para produzir chuvas persistentemente fortes, podendo provocar impactos significativos”, defende a Proteção Civil.

Por isso, é expectável piso rodoviário escorregadio por eventual formação de lençóis de água, a possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem, a possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis, e inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem.

É deixado ainda o alerta para eventuais danos em estruturas montadas ou suspensas, possibilidade de queda de ramos ou árvores, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia, fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

A Divisão Municipal de Proteção Civil recomenda à população que tome as necessárias medidas de prevenção e adeque os seus comportamentos, como garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas.

Na estrada, é recomendada uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de gelo nas vias rodoviárias, bem como não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas.

É igualmente recomendado ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em locais de vento mais forte.

É pedido ainda especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a estes fenómenos, prestar atenção aos grupos mais vulneráveis (crianças nos primeiros anos de vida, doentes crónicos, pessoas idosas ou em condição de maior isolamento, trabalhadores que exerçam atividade no exterior e pessoas sem abrigo), e estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Populares