Seguir o O MINHO

Região

Projetos criativos impulsionam turismo em concelhos do Minho e Trás-os-Montes

Esposende, Amares, Montalegre, S, João da Madeira e Ribeira de Pena

em

Foto: DR

O que têm em comum, Esposende, Amares, Montalegre, S, João da Madeira e Ribeira de Pena? Projetos de turismo criativo que permitem atrair pessoas a municípios mais pequenos e a áreas rurais. Inserido num projeto nacional intitulado ‘CREATOUR’, constituído por 5 centros de investigação de 5 universidades portuguesas e dividido por quatro N.U.T.S. II. A unidade de investigação ‘Lab2PT’ da Universidade do Minho está a coordenar a parte que engloba a Região Norte de Portugal Continental.

A coordenação da região Norte está a cargo da professora doutora Paula Remoaldo e está englobado numa tese de doutoramento sobre a parte do Noroeste de Portugal desenvolvida por Ricardo Gôja. A região Norte abarca 10 projetos-piloto nacionais desenvolvidos por empresas, instituições públicas ou autarquias.

“Nas últimas décadas, o turista cultural tornou-se mais exigente com a qualidade da oferta dos destinos turísticos existentes. Esse tipo de visitante passou a exigir um contacto mais direto com a cultura da comunidade ou território por meio de atividades. Por outro lado, os destinos turísticos existentes, especialmente pequenas cidades e áreas rurais, precisam atrair mais visitantes, aprimorar, valorizar e promover recursos turísticos e criar produtos turísticos mais inovadores, diferenciadores e autênticos”, refere o investigador da UMinho.

Para Ricardo Gôja foram estas duas razões que “levaram à necessidade de desenvolver um turismo criativo para pequenas cidades e áreas rurais, a fim de atrair mais visitantes e, por sua vez, desenvolver sua economia local e regional”, acrescentando que “para isso, é necessário criar projetos criativos e inovadores, a fim de contribuir para o desenvolvimento de destinos turísticos culturais criativos”.

Projetos

Os projectos que estão sob a alçada da UMinho incluídos neste programa nacional abarcam diferentes expressões e áreas artísticas. O ‘Encontrarte’ de Amares é um certame bianual que desenvolve várias iniciativas ligadas às artes desde a música, passando pela arte e acabando no desenho: “é um festival com um conceito de arte contemporânea criado em contexto mais tradicional/etnográfico e é isso que lhe dá particularidade e atrai bastantes pessoas”.

Os trabalhos de preservação e divulgação do junco com a criação de modelos tradicionais e contemporâneos é o projecto que envolve Esposende. Já Montalegre participa através da ‘LRB’, onde a Realidade Aumentada assume o papel principal divulgando informação sobre a comunidade local, nomeadamente, o património e as tradições ligadas ao linho e à lã.

A Adere-Peneda Gerês desenvolveu um projecto baseado nos cinco sentidos, um para cada Município que integra a Associação, “dinamizando acções para que as pessoas e entidades locais preservem o seu património”, refere ainda o investigador. O turismo industrial ligado à chapelaria, calçado e lápis é o contributo de São João da Madeira, e Ribeira de Pena participa com o linho.

Monitorização

Cabe à Universidade do Minho acompanhar todas as actividades que são desenvolvidas pelos 10 projetos-piloto da região Norte, fazendo a sua avaliação e dando possíveis sugestões. “Damos dicas para melhorar alguns aspectos sobretudo ao nível da comunicação das iniciativas”. Uma das primeiras conclusões aponta a crescente participação de pessoas não locais, alguns vindos do estrangeiro. “Porque há uma relação entre os mentores do projecto, os participantes e a comunidade local, isso faz com que haja a vontade de repetir a experiência convidando outros para usufruírem dessa partilha”.

Turismo criativo tem potencial?

Ricardo Gôja não tem qualquer dúvida que o turismo criativo “deve ser o caminho que municípios com pequena/média dimensão têm que seguir no futuro. É uma área com muito potencial e deve ser baseado naquilo a que se convencionou chamar de turismo de experiências”.
Outro fator apontado pelo investigador passa “pela criação de uma rede entre vários municípios, valorizando o que se existe e criando outros pacotes que possam ser mais-valias para esses territórios”. Ricardo Gôja salienta ainda, “os benefícios para a comunidade local que este tipo de turismo pode trazer, porque se sente valorizada”.

CREATOUR

O ‘CREATOUR’ é um projeto nacional de três anos, cujo objetivo “é desenvolver uma abordagem integrada e pilotar uma agenda de investigação centradas no turismo criativo em pequenas cidades e áreas rurais em Portugal, combinando uma investigação multidisciplinar com o desenvolvimento de uma rede de projetos-piloto de turismo criativo”.

Por isso, promove atividades de turismo criativo interativas e à escala humana, construídas com base em tradições culturais locais, aptidões, conhecimentos e práticas artísticas emergentes, ambicionando contribuir para o desenvolvimento sustentável das comunidades locais em todo o país.
No fundo o projecto pretende criar novos destinos turísticos criativos em pequenas cidades e áreas rurais áreas nas quatro N.U.T.S. II de Portugal Continental: Norte, Centro, Alentejo e Algarve.

Anúncio

Região

Agressor que esfaqueou jovem em Braga terá sido atacado quando entrava num Uber

Agressões

em

Foto: DR / Arquivo

O agressor que terá esfaqueado um jovem de 25 anos junto à Estação de Comboios de Braga alega legítima defesa, apurou O MINHO junto de fonte das autoridades.

O homem, com cerca de 30 anos, estaria a sair da estação quando foi abordado por um grupo de jovens que, alegadamente, o queriam agredir.

Este encaminhou-se para um Uber, que já tinha solicitado, quando um grupo de mais de dez elementos terá pontapeado a viatura quando este se preparava para entrar.

O agressor terá então puxado de uma faca e espetado a mesma no abdómen de um dos elementos do grupo, afeto aos Red Boys, claque do SC Braga, criando grande alvoroço.

O agressor, conhecido elemento de um grupo antifascista de Braga, acabou por sair do local e contactar no imediato a PSP, assumindo o esfaqueamento. Explicou às autoridades, que se deslocaram a casa do agressor, que terá agido sempre em legítima defesa.

Ao que O MINHO apurou, por motivações políticas, o agressor queixa-se de já ter sido alvo de dois ataques em Braga, situação que foi já confirmada pela Polícia Judiciária.

Recorde-se que por volta das 22h30 desta quinta-feira, um jovem foi esfaqueado no abdómen por um objeto cortante, na sequência de altercações junto à Estação de Comboios de Braga.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários de Braga e a VMER, assim como uma patrulha da PSP.

O ferido, considerado ligeiro, foi transportado para o Hospital de Braga.

Continuar a ler

Braga

Jovem esfaqueado junto à estação de comboios de Braga

Agressões

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um jovem elemento da claque de futebol Red Boys foi esta quinta-feira esfaqueado, no final do jogo Glasgow Rangers-SC Braga [disputado na Escócia], na Rua Nova da Estação, na cidade de Braga.

Ao que apurou O MINHO, o adepto, com cerca de 25 anos e que terá assistido ao jogo na sede dos Red Boys, terá sido atacado naquela rua de Maximinos, em circunstâncias ainda por apurar, resultando num esfaqueamento na zona do abdómen.

O alerta para a polícia e para os serviços de emergência foi dado cerca das 22:30 horas, mobilizando os Bombeiros Voluntários de Braga e a VMER.

A vítima, estabilizada e assistida no local, foi transportada para o Hospital de Braga com acompanhamento da viatura médica.

Apesar de o mesmo ter sofrido um golpe profundo, os ferimentos foram considerados ligeiros pela equipa médica que o assistiu numa primeira fase.

Agressor que esfaqueou jovem em Braga terá sido atacado quando entrava num Uber

A PSP registou a ocorrência e já registou o depoimento do agressor.

(notícia atualizada às 00h12 com a versão do agressor)

Continuar a ler

Guimarães

Deputado de Guimarães eleito pelo PSD assume problemas de alcoolismo

Pedro Rodrigues

em

Foto: Twitter

O deputado Pedro Rodrigues, natural de Guimarães, assumiu esta quinta-feira, através das redes sociais, ter “um problema de alcoolismo”, de forma a evitar “ataques pessoais inaceitáveis” que, diz, tem vindo a ser alvo.

É que Pedro Rodrigues, contra alguma da corrente atual do partido, foi o primeiro subscritor de uma iniciativa de um grupo de deputados do PSD que pediu uma consulta popular (referendo) sobre a eutanásia, ao invés de ser aprovado apenas pelos deputados.

Eleito pelo círculo eleitoral de Lisboa, onde tem vivido nos últimos anos, o advogado de 40 anos e ex-líder da JSD nacional revela que, face ao problema de que é alvo, há quem “considere” que o mesmo não é capaz de defender “uma posição política de princípio”, a propósito dos projetos-lei sobre a despenalização da eutanásia, aprovados esta quinta-feira na Assembleia da República.

“Sim tenho um problema de alcoolismo. É um tema que apenas diz respeito à minha intimidade e à minha família. Tenho vivido esse tema com o firme apoio da minha mulher e da minha família. Decidi hoje assumi-lo porque além do sofrimento pessoal em que estou mergulhado tenho sofrido ataques pessoais inaceitáveis”, escreveu.

“A ideia de que não posso assumir uma posição política de princípio, porque alguém considera que não sou capaz é algo que me repugna profundamente. Não estarei hoje na Assembleia da República como devia. Peço desculpa aos que acreditam em mim. Mas não consigo fazê-lo… Estarei junto dos meus sempre… Mas jamais deixarei de lutar intransigentemente por aquilo em que acredito…”, vinca.

Pedro Rodrigues é licenciado e doutorando em Direito, desempenhando funções como advogado. Já havia sido eleito deputado à Assembleia da República na XI legislatura (2009) pelo círculo eleitoral de Braga.

Continuar a ler

Populares