Seguir o O MINHO

Alto Minho

Projeto entre Castelo Branco e Arcos de Valdevez quer formar jovens empreendedores

I9Factory

em

Foto: Divulgação / CM Arcos de Valdevez

Entidades de Castelo Branco e de Arcos de Valdevez estão unidas num projeto que quer fomentar o empreendedorismo e a inovação entre os jovens e que contará com ‘bootcamps’, concursos de ideias, visitas e ateliês.

Com a denominação ‘I9Factory’, este projeto conta já com financiamento de 866 mil euros e será desenvolvido numa parceria entre o CEI – Centro de Empresas Inovadoras de Castelo Branco e a In.Cubo – Incubadora de Iniciativas Empresariais Inovadoras, da Associação para o Centro de Incubação de Base Tecnológica do Minho, tendo como grande objetivo criar ferramentas inovadoras para “chamar” os jovens para o empreendedorismo e inovação, com vista à capacitação e transmissão de conhecimento, bem como à promoção do empreendedorismo e até mesmo à criação de negócios futuros.

“Sonhar, desenhar e criar o futuro” serve de mote a algumas das ações previstas para os próximos dois anos e que serão desenvolvidas em articulação com outras estruturas, incubadoras e projetos que já dão frutos nos dois territórios e que poderão ir ainda mais longe, apontou o diretor do CEI, João Pedro Borges, durante a conferência de divulgação do projeto, que decorreu em Castelo Branco.

Este responsável mostrou-se convicto de que o ‘I9Factory’ vai contribuir para que as estruturas continuem a “respirar saúde”, integrando uma cadeia que deve começar por introduzir o empreendedorismo e a inovação junto dos mais novos com a expectativa de que mais tarde estes se tornem empreendedores e empresários que venham a devolver atividades naqueles territórios.

Entre as ações está, por exemplo, a dinamização do ‘road-shows coolworking’, do ‘Atelier Empreendedor Express’ ou da atividade ‘pontos nos is’, que se baseia na mentoria e é aberta a jovens e famílias, realizando-se mensalmente ao longo dos dois anos.

Para “desenhar o futuro”, estão inscritas ações de visitas a outras incubadoras, a criação de um clube de empreendedorismo e ‘bootcamps 36 horas non stop’, que costumam resultar em ideias e projetos criados e validados para dinamização futura.

O projeto conta ainda com uma componente que levará a promoção do empreendedorismo até os estabelecimentos de ensino e que também divulgará o que estes territórios do interior “têm de melhor”.

“Temos de dar a conhecer às pessoas todas as potencialidades que o território tem e isso passa muito por nós próprios, principalmente pelos mais jovens interiorizarem que a condição de viver no interior não é uma condição obrigatoriamente desfavorável, antes pelo contrário”, disse João Pedro Borges.

A criação de uma plataforma que permita testar, modelar e aconselhar os potenciais negócios de empreendedorismo também está contemplada no projeto, bem como a divulgação das ferramentas do Fab Lab Alto Minho, segundo detalhou o responsável da In.Cubo.

A apresentação do ecossistema de empreendedorismo, inovação e desenvolvimento aos jovens com “mentoria individualizada” para a criação de negócios e o desenvolvimento de concursos de ideias, que abram horizontes e que permitam a toca de ideias, são outras das ações previstas.

Presente nesta sessão, o presidente da Câmara de Castelo Branco, José Augusto Alves, destacou o facto de este ser um projeto de “amplo espetro” e de apostar na partilha das “boas práticas” e de sinergias, ao mesmo tempo que também uma dimensão económica.

“Esta é uma parceria em prol de territórios, territórios que têm de se reinventar todos os dias, territórios que precisam de conhecimento, territórios que precisam de gente empreendedora, territórios que precisam de partilha de experiências”, acrescentou o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves.

Populares