Seguir o O MINHO

Desporto

Projeto contra violência no desporto criado em Braga vai ser alargado a todo o país

Comarca de Braga fez mais em seis meses do que aquilo que foi feito a nível nacional em dez anos

em

Foto: DR / Arquivo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou hoje que vai alargar “de forma faseada” a todo o país o projeto-piloto de combate à violência em eventos desportivos que está a desenvolver na comarca de Braga desde setembro de 2019.

“A procuradora-geral da República decidiu alargar o projeto a nível nacional, de forma faseada. A decisão, no que respeita às comarcas que serão abrangidas no quadro desse alargamento, dependerá da avaliação deste projeto”, refere a PGR, numa resposta enviada à agência Lusa.

O Ministério Público (MP) lançou um projeto-piloto de combate à violência em eventos desportivos na comarca de Braga em setembro de 2019, uma iniciativa que está a ser desenvolvida em conjunto com a Polícia de Segurança Pública.

A PGR explica que o projeto foi definido e implementado pela Procuradoria-Geral da República, tendo a procuradora-geral Lucília Gago nomeado um elemento do seu gabinete para assegurar a coordenação e articulação com os magistrados envolvidos.

Segundo a PGR, foi igualmente designado um ponto de contacto que serve como interlocutor privilegiado com os Órgãos de Polícia Criminal.

“A atribuição de inquéritos relacionados com fenómenos de violência no desporto a magistrados especializados nesta matéria é um dos aspetos do projeto que foi ensaiado na comarca de Braga e que será replicado a nível nacional”, precisa a PGR, acrescentando que o número de magistrados “a especializar dependerá sempre da realidade existente em cada comarca e das suas específicas necessidades”.

Segundo o Ministério Público de Braga, oito magistrados judiciais e do MP que fazem parte deste projeto-piloto nesta comarca estiveram presentes no jogo entre o Vitória SC e FC Porto, no domingo, em que o futebolista Moussa Marega foi alvo de insultos racistas.

O programa que está a ser desenvolvido na comarca de Braga tem como objetivo reforçar “a eficácia da resposta do sistema penal aos crimes que são praticados no contexto de um espetáculo desportivo, designadamente por referência à importância da aplicação das medidas de interdição de acesso a recinto desportivo”.

No balanço feito à Lusa, a PGR indica que, nos cinco meses de execução deste projeto, foram aplicadas, em sede de processo penal, mais medidas de interdição de acesso a recinto desportivo na comarca piloto de Braga do que em mais de dez anos de vigência da lei que prevê estas medidas.

Segundo a PGR, desde setembro foram aplicadas 54 interdições de acesso a recinto desportivo, uma das quais foi no passado domingo no jogo entre o Vitória e FC Porto na consequência da detenção de um adepto que se envolveu em confrontos.

De acordo com a Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto, cerca de 100 adeptos estão atualmente proibidos de entrar num estádio de futebol.

O avançado do FC Porto Marega recusou-se, no domingo, a permanecer em jogo contra o Vitória de Guimarães e abandonou o campo, ao minuto 71, após ter sido alvo de insultos racistas por parte dos adeptos do clube vimaranense.

A PSP já identificou várias pessoas suspeitas de dirigirem cânticos e insultos racistas a Marega, sem adiantar o número de suspeitos, uma vez que continua a efetuar diligências para identificar outros envolvidos.

O Ministério Público instaurou um inquérito na sequência deste incidente, que já mereceu a condenação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do primeiro-ministro, António Costa, entre outros.

Este comportamento configura um crime previsto no Código Penal punido com prisão de seis meses a cinco anos e uma contraordenação sancionada com coima entre 1.000 e 10.000 euros.

Futebol

Rúben Amorim espera que “estrelinha da sorte” permita derrotar SC Braga

Taça da Liga

O treinador de futebol do Sporting, Rúben Amorim, disse hoje esperar um grande jogo na final da Taça da Liga com o SC Braga, no sábado, puxando pela “estrelinha da sorte” que o tem acompanhado na carreira.

Rúben Amorim, que falava na conferência de imprensa de antevisão ao encontro marcado para Leiria, acredita que não haverá grandes diferenças em relação ao jogo em Alvalade, na 12.ª jornada da I Liga (vitória ‘leonina’ por 2-0).

“Podem mudar alguns jogadores, mas as ideias de jogo não mudam. Vai ser um jogo muito competitivo. Um golo no início do jogo pode tornar o jogo completamente diferente”, afirmou, insistindo na ideia de que “as incidências do jogo podem mudar tudo”.

Para este encontro, Rúben Amorim, que venceu a final do ano passado ao comando dos bracarenses [1-0 ao FC Porto, com um golo de Ricardo Horta, aos 90+5 minutos], está longe de esperar facilidades, contudo, mostra não ter esquecido as características dos jogadores que treinou na época passada.

“Espero um SC Braga muito igual ao que tem vindo a ser. Conheço bem o plantel e é uma equipa muito forte, e que entende os momentos do jogo. Vamos tentar desequilibrar e criar espaços. Acho que vamos fazer um grande jogo”, disse.

Diante do FC Porto, no encontro da meia-final [vitória por 2-1], os golos dos ‘leões’ foram apontados nos últimos minutos, já depois dos ‘azuis e brancos’ terem inaugurado o marcador. Uma situação que tem acompanhado o Sporting esta temporada e que o treinador acredita tratar-se, por um lado, da forte vontade dos jogadores, mas por outro de sorte.

“O mérito tem de ser dado aos jogadores. Eles acreditam até ao último momento. Não depende da equipa técnica. Se dependesse da equipa técnica, marcávamos logo nos primeiros minutos. E falo em estrelinha porque muitas vezes a sorte tem um papel importante na nossa vida. Quanto mais falo, mais tenho. Por isso aproveito para falar aqui”, afirmou.

Diante dos ‘arsenalistas’, Amorim garantiu a presença de Tiago Tomás no ‘onze’ e levantou a ‘ponta do véu’ em relação à eventual utilização de Nuno Mendes e Sporar, jogadores que não tiveram autorização por parte da DGS para defrontar o FC Porto, depois de ‘falsos positivos’ ao novo coronavírus.

“Só quando eles estiverem perfilados para entrar é que podemos ter certezas. Os factos comprovam que estávamos certo. Isso é o mais importante para nós. Estávamos a defender os nossos jogadores. O facto de poderem jogar agora, prova que estávamos certo”, afiançou.

Por sua vez, o jovem avançado Tiago Tomás garantiu que a equipa está motivada para defrontar e vencer o SC Braga.

“Será uma final, por isso ainda mais confiantes. Sabemos da nossa qualidade e queremos ganhar o jogo. Estamos a disputar uma final e, como em todos os jogos, temos de ganhar. Não vai ser diferente. Vamos dar o nosso melhor”, garantiu.

Desde que chegou à equipa principal do Sporting, o jovem, de 18 anos, já fez o gosto ao pé em todas as competições, exceto na Taça da Liga, situação que quer inverter, mesmo estando a viver um sonho.

“Quando entrei no Sporting, há sete anos, isto era só um sonho. Agora, é uma realidade e não há tempo para deslumbramentos. Espero que amanhã [sábado] possa marcar um golo para ter golos em todas as competições”, desejou.

O Sporting defronta no sábado o SC Braga, na final da Taça da Liga, em partida que se realiza no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, a partir das 19:45, e que será arbitrada por Tiago Martins, da AF Lisboa.

Continuar a ler

Futebol

Treinador garante que Famalicão “vai atingir objetivos propostos no início da época”

João Pedro Sousa

O treinador do Famalicão admitiu hoje que está “confiante que vai ser possível atingir os objetivos propostos no início da época”, na antevéspera do encontro com o Vitória SC, da 15.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

João Pedro Sousa revelou-se um homem “sereno”, mas sobretudo confiante no futuro.

“Continuo confiante e sossegado. Mas, principalmente, confiante nos jogadores, na equipa, muito confiante no clube e confiante na qualidade do nosso trabalho do dia-a-dia. E confiante que vamos atingir os objetivos a que nos propusemos no início da época”, revelou em conferência de imprensa de antevisão da partida com os vimaranenses.

O técnico da equipa famalicense não acredita no desgaste do adversário e defendeu estar à espera de um jogo difícil.

“Desgaste, não creio. As equipas profissionais estão preparadas para jogar num curto espaço de tempo. De três em três, de quatro em quatro dias. Penso que o Vitória vai ser forte como tem sido até esta jornada”, afirmou.

O treinador teceu ainda grandes elogios a Ricardo Quaresma, mas também ao coletivo da equipa de Guimarães.

“Se o Quaresma me encanta? Como adepto, é uma delícia ver o Quaresma a jogar. Como treinador adversário do Quaresma, é um problema. Mas o problema não é só o Quaresma. É um coletivo muito forte. É uma equipa forte, está a fazer um excelente campeonato. Alia as exibições aos resultados. Vamos ter uma tarefa difícil, no entanto não fugimos às nossas responsabilidades e à vontade de querer ganhar o jogo”, concluiu.

João Pedro Sousa salientou que esta foi uma semana “mais alegre” depois da vitória nos Açores, frente ao Santa Clara.

“Temos que ser honestos e dizer que trabalhar sobre vitórias é muito mais agradável do que trabalhar sobre resultados negativos. Foi isso que aconteceu, felizmente. A semana foi boa, foi mais motivadora, mais alegre do que tem sido. Mas a atitude e entrega foi rigorosamente a mesma. Satisfaz-nos perceber que tivemos êxito fruto do trabalho que fizemos na semana anterior”, frisou.

Sobre a possível entrada de mais reforços, o treinador do Famalicão deixou a hipótese no ar: “Estamos sempre no mercado. Não necessariamente à procura de alguma aquisição, mas temos que estar atentos. É nossa obrigação. Se surgir algum negócio, muito bem, se não surgir, ficamos com os que temos”.

O Famalicão, no 13.º lugar, com 14 pontos, recebe este domingo, às 20:15 horas, o Vitória SC, na sexta posição, com 23, numa partida da 15.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Continuar a ler

SC Braga

“O Braga estará sempre a morder os calcanhares aos grandes”

Taça da Liga

Carlos Carvalhal. Foto: DR / Arquivo

Vencedor em título da Taça da Liga, o SC Braga defronta este sábado em Leiria o Sporting, que venceu a prova nas duas épocas anteriores. O treinador bracarense falou sobre o atual estatuto do clube, cada vez mais habituado a estar perto do pódio, ou mesmo alcançar um lugar entre as três primeiras posições da I Liga.

“O presidente [António Salvador] foi muito claro em recentes entrevistas sobre o posicionamento do Braga: foi, é e será sempre ‘outsider’ dos ‘três grandes’, pela sua grandeza social, pelo investimento, pela proteção que têm a nível geral. O Braga estará sempre a morder os calcanhares de um deles, que se possa distrair numa época, ou dois, ou três, que é mais raro, mas já aconteceu, aí o Braga pode ter uma palavra a dizer”, disse.

Nos últimos anos, o SC Braga conseguiu a sua maior pontuação de sempre em 2017/18, quando conquistou 75 pontos, mas mesmo assim, ficou na quarta posição.

Na última temporada, fez 60, mas foi o terceiro classificado da I Liga, num ano que conquistou a Taça da Liga em casa, na final frente ao FC Porto, e alcançou o máximo nacional de jogos sem perder na Europa.

Contudo, vincou, Benfica, FC Porto e Sporting “são e serão sempre os principais candidatos”. “O Braga luta por diminuir essa diferença e tem escalado uns degraus [nessa luta], sendo que isso não invalida, como no último jogo com o Benfica, em que provou que foi melhor, que, no campo, jogue olhos nos olhos perante qualquer adversário, em qualquer estádio”, completou.

O técnico desvalorizou o embate do Braga com os ‘leões’ para o campeonato, que os minhotos perderam por 2-0, tal como o tinha feito em relação à partida com o Benfica, que venceram por 3-2, em pleno Estádio da Luz.

“A história e o passado não contam para nada, não têm nada a ver com este jogo. Há um foco muito grande das duas equipas, que vão querer ganhar, o Sporting é um adversário difícil, que joga bem, com um bom treinador, temos respeito máximo, mas queremos a taça para nós”, disse na antevisão da partida, em Leiria.

Sporting e SC Braga disputam no sábado a inédita final da 14.ª edição da Taça da Liga, ambos em busca de um terceiro troféu, em encontro marcado para o Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, a partir das 19:45. E se os adeptos dos dois clubes estão impacientes para ver as suas equipas defenderem as suas cores, para ver quem levanta novamente o troféu, também fazem questão de saber quem é o grande favorito nesta final.

Para uma opinião objetiva é simples. Basta ver o que acham os sites de apostas e nada mais fácil que recorrer ao comparador de cotas, Sportytrader. Nesse portal, vemos que a hierarquia prevalece, certamente justificada pelas memórias do primeiro confronto da época, ganho pelo Leões. O Sporting tem uma cota de 2.50, contra os 3.35 oferecidos pela vitória minhota.

Apesar de tudo, como todos sabem, num jogo tudo pode acontecer, quanto mais numa final. Caso os Guerreiros do Minho consigam contrariar as probabilidades, isso significaria felicidade dupla para o apostador bracarense, que comemoraria mais um troféu e uma mais-valia significativa. O melhor seria dar uma vista à avaliação das casas de apostas legais do Sportytrader, para poder escolher a melhor opção. A única certeza, é que essa final promete golos e um grande espetáculo de futebol.

Continuar a ler

Populares