Seguir o O MINHO

Alto Minho

Programa de concertos em monumentos deixa 273 mil euros no Alto Minho

30 concertos e outras tantas visitas guiadas a locais históricos

em

O programa “Sente a História”, que levou 30 concertos e outras tantas visitas guiadas a locais históricos do Alto Minho, aplicou 82% do investimento, 273 mil euros, no distrito de Viana do Castelo, informou hoje a organização.


Em declarações à agência Lusa, a propósito da apresentação na biblioteca de Monção dos resultados da iniciativa daquele programa, que decorreu desde 09 de janeiro até hoje, David Martins, produtor do evento, explicou que “82% do investimento total do ‘Sente a História’”, orçado em cerca de 314 mil euros, foi aplicado na contratação de artistas, empresas e serviços da região”.

“Só 18% do investimento do programa é que saiu do distrito de Viana do Castelo. Isso é o que é extraordinário no ‘Sente a História’”, sustentou.

A verba de 273 mil euros serviu ainda para suportar “a contratação de serviços técnicos a empresas da região, a aquisição de mais de 1.500 refeições em restaurantes locais, alojamento de artistas e técnicos e empresas de transporte”.

Em causa está o programa “Sente a História – Ação Promocional Música & Património – Novas Abordagens, Novos Talentos”, promovido pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, que agrega os 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo, com apoio de fundos comunitários do Norte 2020.

Do relatório final hoje apresentado, David Martins destacou ainda que os 30 concertos incluíram a participação de “1.500 artistas, envolvidos em 16 coletivos filarmónicos, 13 coros, 10 solistas e grupos de música de câmara e 27 atores profissionais e animadores de rua”.

Aos 30 concertos, realizados noutros tantos monumentos e locais históricos do distrito de Viana do Castelo para dinamizar o turismo da região, “assistiram mais de 20.000 espectadores”.

Hoje foi ainda lançado um CD, intitulado “Canções das Lendas e Hino do Alto Minho”, com a compilação de todos os concertos produzidos pelo “Sente a História”.

Questionado sobre a continuidade do projeto, David Martins referiu que a decisão final caberá à CIM do Alto Minho.

“O mesmo projeto não pode ser financiado duas vezes com fundos comunitários, mas o relatório final que hoje apresentámos inclui três propostas que serão analisadas pela CIM do Alto Minho. Uma decisão final sobre a continuidade ou não do programa só dentro de um mês”, especificou.

David Martins apontou ainda outros resultados do programa, referindo que a projeção mediática do evento que se traduziu na produção de “248 notícias em 54 meios de comunicação social, representando um retorno publicitário estimado em 561.777 euros”.

“Na rede social Facebook o evento teve impacto no resto do país, em Espanha, Brasil e França, sendo que ao longo de 15 meses houve rejuvenescimento do público. Atingimos quase 3.000 seguidores, mais mulheres que homens oriundos do Alto Minho, Porto e Braga, bem como da Galiza”, referiu.

Segundo o produtor do evento, “as publicações do programa nas redes sociais atingiram 25.000 pessoas e os eventos 92.000 pessoas, sendo que os “vídeos recolheram 111.000 visualizações”.

O sítio oficial na Internet do “Sente a História” registou 9.011 utilizadores, sendo que 60% são jovens e 79% com menos de 55 anos, 54% homens e 46% Mulheres”.

Durante “os 600 dias do projeto foram realizadas 110 reuniões de trabalho da produção nos 10 concelhos da CIM do Alto Minho, com os municípios, coros, bandas, artistas, locais dos concertos, entidades e empresas envolvidas e 86 ações de capacitação envolvendo jovens músicos, solistas, bandas filarmónicas, coros e agentes turísticos e culturais”.

Anúncio

Alto Minho

GNR de Monção alegadamente filmado a importunar sexualmente uma mulher no posto

Abuso sexual

em

Foto: DR

O comandante da GNR de Monção está a ser alvo de um processo interno, na sequência de uma denúncia de alegada “importunação sexual” a uma mulher no interior do posto, disse hoje à Lusa o Comando Geral daquela força.

Em resposta escrita enviada à Lusa, o Comando Geral da GNR acrescentou que a situação também já foi comunicada ao Ministério Público.

“Decorre processo interno para apurar as circunstâncias do ocorrido, tendo o militar em apreço sido transferido preventivamente para a sede do Destacamento Territorial de Valença, nos termos do Regulamento de Disciplina da GNR”, diz o Comando Geral da GNR.

A situação terá sido gravada por uma câmara oculta.

A Lusa contactou também o comando distrital da GNR de Viana do Castelo, que se escusou a qualquer comentário.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Politécnico de Viana do Castelo abre mais de 1.400 vagas

Acesso ao Ensino Superior 2020/2021

em

Foto: Divulgação / IPVC

O IPVC disponibiliza este ano mais de 1.400 vagas distribuídas pelos 26 cursos de licenciatura, entre os regimes diurno e pós-laboral e, pelos diversos contingentes de acesso e ingresso ao ensino superior, em quase todas as áreas de conhecimento, anunciou hoje a instituição.

Mais de uma centena de vagas para os estudantes do Ensino Profissional

Este ano os estudantes do Ensino Profissional podem ingressar no ensino superior por um novo contingente – os concursos especiais de ingresso no ensino superior para titulares dos cursos de dupla certificação do ensino secundário e cursos artísticos especializados.

Os estudantes do Ensino Profissional já se podem inscrever nas provas de avaliação dos conhecimentos e competências até 17 de julho, que lhes vão possibilitar a candidatura a um curso de licenciatura do IPVC. O IPVC disponibiliza mais de uma centena de vagas para estes estudantes (ver aqui).

Cursos Técnicos Superiores Profissionais

O IPVC tem igualmente a decorrer as candidaturas aos CTESP até 23 de agosto. Podem candidatar-se a estes cursos todos os estudantes que concluíram o 12º ano, os titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de técnico superior profissional ou ainda de um grau de ensino superior, que pretendam a sua requalificação profissional.

Os maiores de 23 anos que tenham sido aprovados nas provas destinadas a avaliar a capacidade para frequência no Ensino Superior podem igualmente candidatar-se a estes cursos. O IPVC abriu este ano vagas para 21 CTESP em praticamente todas as áreas de conhecimento.

Escolas e cursos

Escola Superior Agrária: Agronomia, Biotecnologia, Enfermagem Veterinária e Engenharia do Ambiente e Geoinformática.
Escola de Ciências Empresariais: Contabilidade e Fiscalidade, Gestão da Distribuição e Logística, Marketing e Comunicação Empresarial e Organização e Gestão Empresariais.
Escola Superior de Desporto e Lazer: Licenciatura em Desporto e Lazer.
Escola Superior de Educação: Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas, Educação Básica e Educação Social Gerontológica.
Escola Superior de Saúde: Licenciatura em Enfermagem.
Escola de Tecnologia e Gestão: Design de Ambientes, Design do Produto, Engenharia Alimentar, Engenharia Civil e do Ambiente, Engenharia de Computação Gráfica e Multimédia, Engenharia de Redes e Sistemas de Computadores, Engenharia Informática, Engenharia Mecânica, Engenharia Mecatrónica, Gestão, Gestão (pós-laboral), Turismo e Turismo (pós-laboral).

Continuar a ler

Alto Minho

Líder do CDS diz em Viana que “braço da geringonça parece estar cada vez mais largo”

Política

em

Foto: DR

O presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, afirmou hoje, em Viana do Castelo, que “o braço da geringonça” parece estar cada vez maior, aludindo assim à posição do PSD em relação ao Orçamento Suplementar.

Questionado pelos jornalistas acerca da discussão e votação do Orçamento suplementar e da colaboração do PSD para a viabilização do documento, através da abstenção, Francisco Rodrigues dos Santos comentou que “há um género de colaborações patrióticas que mais parecem coligações exóticas”.

“Parece que há um género de colaborações patrióticas que mais parecem coligações exóticas e que o braço da geringonça está cada vez mais largo. Como não sou conselheiro sentimental do bloco central, a única garantia que posso dar é que, da parte do CDS, queremos mais e melhor oposição, não queremos menos nem pior oposição ao governo socialista”, referiu.

Francisco Rodrigues dos Santos referia-se não só à viabilização do Orçamento Suplementar, mas também às posições do PSD nos debates quinzenais no parlamento e também no caso da ida do ex-ministro para o Banco de Portugal.

A Assembleia da República aprovou hoje, em votação final global, a proposta de Orçamento Suplementar do Governo, que se destina a responder às consequências económicas e sociais provocadas pela pandemia da covid-19.

A proposta foi aprovada apenas com os votos favoráveis do PS, a abstenção do PSD, BE e PAN e os votos contra do PCP, CDS-PP, PEV, Iniciativa Liberal e Chega.

A deputada não inscrita Cristina Rodrigues (ex-PAN) absteve-se e Joacine Katar Moreira (ex-Livre) estava ausente no momento da votação.

Continuar a ler

Populares