Seguir o O MINHO

Alto Minho

Programa de concertos em monumentos deixa 273 mil euros no Alto Minho

30 concertos e outras tantas visitas guiadas a locais históricos

em

O programa “Sente a História”, que levou 30 concertos e outras tantas visitas guiadas a locais históricos do Alto Minho, aplicou 82% do investimento, 273 mil euros, no distrito de Viana do Castelo, informou hoje a organização.

Em declarações à agência Lusa, a propósito da apresentação na biblioteca de Monção dos resultados da iniciativa daquele programa, que decorreu desde 09 de janeiro até hoje, David Martins, produtor do evento, explicou que “82% do investimento total do ‘Sente a História’”, orçado em cerca de 314 mil euros, foi aplicado na contratação de artistas, empresas e serviços da região”.

“Só 18% do investimento do programa é que saiu do distrito de Viana do Castelo. Isso é o que é extraordinário no ‘Sente a História’”, sustentou.

A verba de 273 mil euros serviu ainda para suportar “a contratação de serviços técnicos a empresas da região, a aquisição de mais de 1.500 refeições em restaurantes locais, alojamento de artistas e técnicos e empresas de transporte”.

Em causa está o programa “Sente a História – Ação Promocional Música & Património – Novas Abordagens, Novos Talentos”, promovido pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, que agrega os 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo, com apoio de fundos comunitários do Norte 2020.

Do relatório final hoje apresentado, David Martins destacou ainda que os 30 concertos incluíram a participação de “1.500 artistas, envolvidos em 16 coletivos filarmónicos, 13 coros, 10 solistas e grupos de música de câmara e 27 atores profissionais e animadores de rua”.

Aos 30 concertos, realizados noutros tantos monumentos e locais históricos do distrito de Viana do Castelo para dinamizar o turismo da região, “assistiram mais de 20.000 espectadores”.

Hoje foi ainda lançado um CD, intitulado “Canções das Lendas e Hino do Alto Minho”, com a compilação de todos os concertos produzidos pelo “Sente a História”.

Questionado sobre a continuidade do projeto, David Martins referiu que a decisão final caberá à CIM do Alto Minho.

“O mesmo projeto não pode ser financiado duas vezes com fundos comunitários, mas o relatório final que hoje apresentámos inclui três propostas que serão analisadas pela CIM do Alto Minho. Uma decisão final sobre a continuidade ou não do programa só dentro de um mês”, especificou.

David Martins apontou ainda outros resultados do programa, referindo que a projeção mediática do evento que se traduziu na produção de “248 notícias em 54 meios de comunicação social, representando um retorno publicitário estimado em 561.777 euros”.

“Na rede social Facebook o evento teve impacto no resto do país, em Espanha, Brasil e França, sendo que ao longo de 15 meses houve rejuvenescimento do público. Atingimos quase 3.000 seguidores, mais mulheres que homens oriundos do Alto Minho, Porto e Braga, bem como da Galiza”, referiu.

Segundo o produtor do evento, “as publicações do programa nas redes sociais atingiram 25.000 pessoas e os eventos 92.000 pessoas, sendo que os “vídeos recolheram 111.000 visualizações”.

O sítio oficial na Internet do “Sente a História” registou 9.011 utilizadores, sendo que 60% são jovens e 79% com menos de 55 anos, 54% homens e 46% Mulheres”.

Durante “os 600 dias do projeto foram realizadas 110 reuniões de trabalho da produção nos 10 concelhos da CIM do Alto Minho, com os municípios, coros, bandas, artistas, locais dos concertos, entidades e empresas envolvidas e 86 ações de capacitação envolvendo jovens músicos, solistas, bandas filarmónicas, coros e agentes turísticos e culturais”.

Anúncio

Alto Minho

Adega Ponte da Barca regressa ao passado e apresenta novo Vinhão com imagem de naperão

Vinhão 2019

em

Foto: Divulgação

O tradicional naperão que cobria as TV’s e as mesas das casas portuguesas ganhou este sábado uma segunda vida nos rótulos do vinho Adega Ponte da Barca – “Vinhão 2019”, o mais emblemático desta cooperativa que celebra quase 6 décadas e mantém viva a tradição de lançar o seu vinho a tempo dos magustos de S. Martinho.

No passado sábado, 09 de novembro, no Solar do Vinhão em Ponte da Barca, a Adega local lançou o seu vinho mais recente, o Vinhão da colheita de 2019, aproveitando para surpreender os presentes com uma nova imagem arrojada e clássica: um naperão.


“Em pleno S. Martinho, inauguramos a nova coleção com o vinho da casta mais exótica, misteriosa e genuína do mundo: o VINHÃO! Coincide com o regresso da incrível série da RTP 1 “Conta-me como foi”, o que mais parece um apadrinhamento e nos arranca sorrisos”, referiu Luís Pedro, diretor criativo.

José Oliveira, enólogo da empresa, referiu perante mais de uma centena de convidados, entre individualidades, clientes e parceiros de negócio, que “O Adega Ponte da Barca Vinhão 2019 é reconhecido há décadas como uma referência nos tintos da Região dos Vinhos Verdes, sendo que este ano está particularmente extraordinário dada a excelente maturação das uvas.

Uma vinificação cuidada e poucas intervenções na adega levam para a garrafa um vinho genuíno e de enorme carácter, que espelha as condições naturais dos vales dos rios Lima e Vez de onde provêm as uvas dos nossos 1.000 associados.”

Naperons, televisões a preto e branco, três senhoras a fazer crochet e as músicas dos anos 70, fizeram parte de um ambiente único criado para os convidados embarcarem numa viagem no tempo.

Os convidados contaram com algumas surpresas durante o evento, nomeadamente, a prova do primeiro vinho da Adega com a nova imagem da coleção Naperão e a degustação de Trufas de chocolate com o Vinhão, dentro de uma linha de chocolates artesanais que a Adega está a desenvolver com a Sim Chocolates, de Famalicão.

No final do evento a presidente da Fundação AMA, Dora Brandão, agradeceu o facto de a Adega, na sequência do que já tem sido feito noutros eventos, atribuir parte das verbas para o apoio a crianças com problemática das Perturbações do Espectro do Autismo “este é um gesto simples e simbólico que ilustra o sentido de responsabilidade social da empresa”.

Continuar a ler

Alto Minho

Pai Natal volta a chegar de barco a Monção

Programação municipal

em

Foto: Divulgação / CM Monção

O programa de Natal em Monção vai iniciar-se dia 29, pelas 18:00, com a abertura da iluminação natalícia, prolongando-se até 31 de dezembro, com vários momentos culturais, musicais e recreativos alusivos à quadra festiva, informou esta segunda-feira aquela autarquia.

Em comunicado, o município adiantou que aquele programa tem como objetivo “promover o comércio tradicional, incentivando a realização das compras de Natal nos estabelecimentos locais”.

Da programação preparada pela autarquia, destaque para a exposição ao ar livre de “Decorações de Natal”, com participação de 39 instituições/associações/clubes do concelho.

Um mercado de Natal, a chegada do Pai Natal em bicicleta, em mota e de barco, o “Brinde de Natal”, miniconcertos musicais, insufláveis para crianças e a iniciativa “Sabores de Natal”, são outras das iniciativas previstas.

A chegada do Pai Natal, de barco, é apontada para o próximo dia 24, pelas 15:00 horas, ao cais da Lodeira e embarcadouro de Salvaterra de Miño.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Radioamadores do Alto Minho reúnem-se em Viana

Simpósio

em

Foto: Divulgação

A Associação de Radioamadores do Alto Minho (ARAM) vai realizar, nos dias 23 e 24, um simpósio sobre comunicações por satélites, que decorrerá em Viana do Castelo, anunciou hoje a organização.

O evento, “denominado TecSat-Po 2019”, prevê a participação de radioamadores de várias regiões do país e de Espanha e tem como objetivo principal divulgar as técnicas que permitem a utilização de satélites para comunicações entre radioamadores”.

A organização “conta com a colaboração da Câmara de Viana do Castelo que, para além de outros apoios, organizará o programa turístico e social, destinado aos acompanhantes dos participantes, e que decorrerá durante o dia de sábado”.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares