Professores pedem ao governo da Galiza que mantenha ensino de português

Associação de Docentes de Português na Galiza
Foto: Carla Nepomuceno / Facebook / Arquivo

A Associação de Docentes de Português na Galiza pediram hoje à Conselleria de Educação da Junta da Galiza que mantenha as três vagas existentes de língua portuguesa na Escola Oficial de Idiomas (EOI) de Lugo no próximo ano letivo.

Em comunicado enviado à Lusa, a associação explicou que a EOI de Lugo “dispõe até hoje de uma procura consolidada e de três docentes de português: dois definitivos e um interino”, mas “a direção do centro informou recentemente ao departamento o intuito de suprimir a vaga completa interina”.

“O governo galego manifestou, em diversas ocasiões e contextos, que concorda com a promoção e avanço da oferta de português […]. Recentemente debateu-se no plenário do parlamento galego o cumprimento desta Lei. Neste debate acordou-se reforçar a presença do português nas escolas galegas”, descreve aquela entidade.

A associação pretende, por isso, que a Conselleria de Educação do governo da Galiza diligencie no sentido de que as matriculas para a aprendizagem de português tenham “a mesma oferta e critérios que se utilizam com as outras línguas da escola que contam com números semelhantes”.

A Lusa tentou, sem sucesso, obter um comentário da Conselleria de Educação da Xunta da Galiza.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Operação da GNR que passou pelo Minho apreendeu mais de 5 milhões de cigarros contrafeitos

Próximo Artigo

PS vai pedir apreciação parlamentar do plano para as migrações do Governo

Artigos Relacionados
x