Seguir o O MINHO

Desporto

Proença lamenta “diferença de tratamento” entre o futebol e a Fórmula 1

Covid-19

em

Foto: Dr

O presidente da Liga de Clubes voltou hoje a lamentar a diferença de tratamento entre os campeonatos profissionais e outros eventos desportivos e culturais por parte das autoridades nacionais e garantiu que o futebol continuará a ser um “exemplo”.


Na sua página oficial na rede social Facebook, Pedro Proença publicou uma imagem do encontro entre Farense e Rio Ave (0-1), da quinta jornada da I Liga, em que alegadamente existe distanciamento social entre os adeptos que estiveram no Estádio Algarve, e também um imagem do Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1, que decorreu no Autódromo Internacional do Algarve, na mesma região, em que alegadamente a instruções e regras da Direção-Geral da Saúde, durante a pandemia da covid-19, poderão não ter sido respeitadas.

“À esquerda, imagem de uma atividade a quem continuam a ser impostas todas as restrições para a presença de público nos seus eventos, apesar das provas dadas nos testes realizados até ao momento. À direita, um evento a quem foi dada a possibilidade de receber 27.500 (!!) espetadores, com o resultado que as imagens demonstram. Depois das touradas, dos concertos e dos festivais. E, em novembro, cá teremos, no mesmo autódromo, outro grande evento de motociclismo”, escreveu o antigo árbitro.

Proença garantiu que todos os jogos de futebol em Portugal que tiveram a presença de público, durante a pandemia da covid-19, tiveram um “cumprimento escrupuloso de todas as regras sanitárias em vigor” e um “comportamento exemplar dos adeptos presentes”

“Da parte do futebol profissional, da Liga Portugal e de todas as nossas SADs continuaremos, não tenho dúvidas, a ser esse exemplo”, frisou.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e quase 42,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.316 pessoas dos 118.686 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Anúncio

Futebol

SC Braga recebe hoje o Leicester

Liga Europa

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O Benfica procura assegurar hoje a presença nos 16 avos de final da Liga Europa de futebol, enquanto o SC Braga pode ficar a um ponto, tendo ambos de vencer, além de dependerem de resultados de terceiros.

Na entrada para a segunda volta da competição, os ‘encarnados’, inseridos no grupo D, deslocam-se à Escócia para enfrentar o Rangers, um adversário que na ronda anterior deixou-se empatar na Luz (3-3), depois de ter jogado durante bastante tempo com mais um elemento em canpo, face à expulsão do central Otamendi, e chegado a deter uma vantagem de 3-1.

Já na ‘poule’ G, os bracarenses voltam a medir forças, agora em casa, com o adversário mais forte, os ingleses do Leicester, e vão tentar ‘vingar’ a goleada (4-0) sofrida em solo britânico, sendo que a equipa, na qual alinha o português Ricardo Pereira, pode ‘selar’ a passagem, desde que vença.

Para o jogo de hoje, Jorge Jesus não vai contar com o marroquino Adel Taarabt, infetado com o novo coronavírus, que se junta aos indisponíveis Julian Weigl e Darwin Núñez, pelo mesmo motivo, e ao castigado Otamendi.

Se a equipa de Jorge Jesus tem de vencer os escoceses e esperar que o Lech Poznan não triunfe frente ao Standard, em Liège, os ‘arsenalistas’ de Carlos Carvalhal precisam igualmente de somar os três pontos para ficarem a um do apuramento e aguardar que o Zorya bata o AEK, em Atenas.

O SC Braga é o primeiro a entrar em campo, pelas 17:55, e o Benfica entra em ação a partir das 20:00.

Continuar a ler

Futebol

FC Porto vence em Marselha e fica a um ponto dos oitavos de final da ‘Champions’

Futebol

em

Foto: DR

O FC Porto ficou hoje a um ponto de assegurar o apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, ao vencer em Marselha por 2-0, em jogo do grupo C da prova

O triunfo dos ‘dragões’ começou a ser desenhado no final da primeira metade, através de Zaidu, aos 39 minutos, tendo Sérgio Oliveira, aos 72, na conversão de uma grande penalidade, ampliado a contagem, numa altura em que atuavam com menos um, devido à expulsão de Grujic, aos 67, por acumulação de amarelos. No momento da grande penalidade, também o Marselha ficou reduzido a 10, com a expulsão de Balerdi, que fez a falta para o ‘castigo máximo’.

Concluída a quarta jornada, os ‘dragões’ ocupam a segunda posição do grupo C, com nove pontos, e estão agora a apenas um ponto de assegurarem a presenta nos ‘oitavos’, quando faltam duas jornadas para o termo desta fase.

O Manchester City lidera, com 12 pontos, estando o Olympiakos, de Pedro Martins, na terceira posição, com três pontos, enquanto o Marselha, de André Villas-Boas, ainda não somou qualquer ponto.

Continuar a ler

Futebol

Ex-futebolista Deco exige 1,1 milhões de euros ao Vitória no tribunal

Justiça

em

Foto: DR

O empresário e ex-futebolista Deco exige 1,1 milhões de euros ao Vitória SC, da I Liga portuguesa de futebol, numa ação hoje interposta no Juízo de Execução de Guimarães, informa o portal Citius, do Ministério da Justiça.

O antigo médio de FC Porto, Barcelona e Chelsea detém a empresa D20 Sports, que agencia alguns ex-jogadores vitorianos, como Tapsoba, que rumou aos alemães do Bayer Leverkusen por 18 milhões de euros, na maior venda da história dos minhotos, Raphinha, Soares e Tozé, todos contratados pela anterior administração da SAD, liderada por Júlio Mendes.

Deco é, aliás, testemunha de Júlio Mendes e de Armando Marques no processo em que os ex-administradores da SAD exigem 2,7 milhões de euros a Mário Ferreira, o ainda acionista maioritário, a decorrer no Juízo Central Cível de Braga.

Essa verba respeita às mais-valias e a um prémio de desempenho que os antigos presidente e vice-presidente vitorianos iriam ganhar com a venda do capital de Mário Ferreira (56,84%) à empresa Leader Constellation, que apresentou uma proposta de 8,1 milhões de euros, em 30 de abril de 2019.

Face à rejeição da proposta por Mário Ferreira, em 21 de maio de 2019, Júlio Mendes e Armando Marques, que se demitiram do Vitória em 27 de maio de 2019, moveram a ação por entenderem que o empresário luso radicado na África do Sul desrespeitou um acordo parassocial de 08 de dezembro de 2016, no qual se “obrigava a aceitar qualquer proposta” pelas suas ações, desde que “excedesse” os oito milhões de euros, indica o processo consultado pela Lusa.

A contestação de Mário Ferreira revela que a Leader Constellation é uma empresa detida pelos brasileiros Rodrigo Stempniewski e Daniel de Almeida, com capital social de três mil euros, sediada em Leça da Palmeira, na mesma morada que já foi sede da D20 Sports.

Os documentos referem ainda que Deco é sócio da Arpoador, uma empresa de marketing desportivo sediada no Rio de Janeiro e administrada por Daniel de Almeida, da Leader Constellation.

Continuar a ler

Populares