Seguir o O MINHO

Cávado

Prisão preventiva para toxicodependente que tentou estrangular a mãe em Barcelos

Violência doméstica

em

Foto: O MINHO

Um toxicodependente ficou esta sexta-feira em prisão preventiva, por agressões e ameaças de morte à mãe, em Barcelos, na sequência de situações idênticas que já vinham de trás, tendo estado até recentemente em liberdade condicional, já por crimes de violência doméstica, perpetrados igualmente contra a mesma vítima, tratando-se de indivíduo muito agressivo e conflituoso, perigando a mãe, segundo as autoridades judiciárias.

Carlos F., de 41 anos, solteiro, sem profissão, residia até esta tarde com a sua mãe, na freguesia de Vila Frescainha de São Pedro, do concelho de Barcelos, mas vinha reincidindo nos maus tratos contra a vítima, com 69 anos, desferindo-lhe diversas vezes bofetadas, para além de em uma das agressões, ter encostado uma barra de ferro no pescoço da mãe, tentando-a mesmo estrangular, ao mesmo tempo que ameaçava, dizendo estar a sua vida “por um fio”, expressão que foi repetindo ao longo das últimas semanas.

O mesmo indivíduo já tinha cumprido pena de prisão efetiva de três anos e ficado inibido de contactar com a mãe, depois de ter cumprido a maior parte da sua pena, encontrando-se, até há poucos meses, em regime de liberdade condicional, mas com o consumo de álcool em excesso e de drogas, a situação foi piorando, a ponto de os seus vizinhos começarem a dar conhecimento, sucessivamente, ao Posto da GNR de Barcelos.

Em face do crescendo de agressões e de insultos, situações já reportadas pela GNR de Barcelos, o Ministério Público ordenou a detenção do agressor doméstico, com problemas de alcoolismo e toxicodependência, por recear que continuando a exigir droga para tais vícios, como consumo de tabaco, sempre que a mãe não lhe entregasse dinheiro, a voltasse a agredir e insultar, a procuradora do Ministério Público solicitou na tarde desta sexta-feira a sua saída de casa da mãe e o seu afastamento da vítima, a pelo menos meio quilómetro, o que proponha ser controlado através de uma pulseira eletrónica quer no agressor doméstico quer na vítima.

Segundo apurou O MINHO, a vítima, que no próximo mês de junho completará 70 anos, vivendo sozinha, com o próprio agressor doméstico, o seu filho, vinha sofrendo cada vez mais agressões e insultos, sujeitando a mãe a situações vexatórias e degradantes, diminuindo a sua autoestima e fazendo-a viver num ambiente de terror permanente, mas quase nunca se queixando, por vergonha alheia e sabendo que o filho seria preso.

A juíza de instrução criminal de Braga, face à escalada de violência e de situações de humilhação da idosa, foi mais longe que as medidas de coação pedidas pelo Ministério Público, determinando a imediata prisão preventiva, tendo sido conduzido esta sexta-feira por militares do Posto Territorial da GNR de Barcelos ao Estabelecimento Prisional de Vale do Sousa, na Serra da Seroa, em Paços de Ferreira, onde começará por fazer uma quarentena devido à pandemia, após o que se será transferido, para a Cadeia de Viana do Castelo.

Populares