Seguir o O MINHO

País

Previstos 20 milhões para veículos florestais, proteção individual e formação

Plano de Recuperação e Resiliência

em

Foto: DR / Arquivo

O ministro da Administração Interna anunciou hoje que o PRR prevê uma verba de 20 milhões de euros para aquisição de 81 veículos florestais, equipamentos de proteção individual e formação de 3.300 agentes de proteção civil até 2023.

“No que respeita ao PRR [Plano de Recuperação e Resiliência], encontra-se contemplada uma verba de cerca de 20 milhões de euros, dos quais 12,6 milhões de euros destinam-se à aquisição de 81 veículos florestais, naquela que será a maior distribuição desde 1980, seis milhões de euros para reforçar a segurança pessoal dos bombeiros através da aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e um milhão de euros para formar, através da Escola Nacional de Bombeiros, 3.300 agentes de proteção civil, entre 2021 e 2023, sendo que os principais beneficiários desta formação serão os bombeiros”, declarou José Luís Carneiro, durante a cerimónia comemorativa do Dia do Bombeiro.

Na sua intervenção durante a cerimónia comemorativa do Dia do Bombeiro, que decorreu hoje na avenida 25 de Abril da cidade do Porto, com a presença de cerca de 1.500 bombeiros de várias corporações portuguesas, o ministro da Administração Interna (MAI) referiu que na proposta de Orçamento para 2022, agora em discussão, o orçamento de referência cifra-se em “quase 30 milhões”, um aumento de 3,7% face a 2021.

“Acresce a este valor [30 milhões de euros], mais 2,5 milhões de euros para reforço da capacidade operacional e, ainda, um aumento superior a 900 mil euros para o Fundo de Proteção Social do Bombeiro, ou seja, um crescimento na ordem dos 100% face a 2021. Este Fundo de Proteção Social passa a receber em 2022 um milhão e 800 mil euros.

José Luís Carneiro assumiu que é sua “firme intenção continuar a prosseguir este propósito, de reforço e capacitação dos bombeiros”, e relembrou o apoio extraordinário prestado nos anos de 2020 e 2021 para a mitigação dos efeitos da pandemia, tendo sido suportados neste âmbito, em 2020, mais de nove milhões de euros e, em 2021, mais de oito milhões de euros.

Nos anos de 2020 e 2021, foram distribuídos pelos corpos de bombeiros equipamentos de proteção individual de combate a incêndios florestais, no valor global de quase sete milhões de euros, recordou o ministro.

José Luís Carneiro lembrou a importância dos bombeiros para o período dos incêndios.

“Num momento em que nos aproximamos do período, em regra, mais crítico dos incêndios rurais, é justo, e nunca é demais fazê-lo, enaltecer o trabalho que desempenham anualmente no combate aos incêndios. O vosso contributo para os resultados alcançados nos últimos anos é notável”, afirmou.

O ministro destacou, contudo, que a atuação dos “soldados da paz” não se esgota na prevenção e combate aos incêndios e lembrou a “prestimosa atuação” no âmbito da resposta à pandemia.

“Foram pelos Corpos de Bombeiros garantidos milhares de transportes urgentes e não urgentes, o apoio às ações de evacuação de instalações sociais, a proteção dos cidadãos idosos e a operacionalização dos centros de vacinação”, disse.

Na cerimónia comemorativa do Dia do Bombeiro, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, e Marco Martins, coordenador municipal da Proteção Civil do Porto, receberem hoje o crachá de ouro, pelas mãos do ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, e da secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar.

Populares