Seguir o O MINHO

Ave

Presos suspeitos de amordaçar idoso que acabou por morrer sufocado durante assalto em Guimarães

em

O Tribunal de Guimarães aplicou hoje prisão preventiva a dois homens suspeitos da co-autoria do assalto em Moreira de Cónegos, naquele concelho, que resultou na morte de um idoso, informou a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.


Em nota publicada na sua página, aquela procuradoria acrescenta que os dois arguidos são estrangeiros e foram detidos na Alemanha, onde foram localizados, em cumprimento de mandado de detenção europeu cuja emissão foi promovida pelo Ministério Público e determinada pelo juiz de instrução.

A mesma nota acrescenta que os detidos estão “fortemente” indiciados de crimes de roubo na residência do idoso, sequestro e roubo agravado.

Em janeiro, já tinha sido detido, na Roménia, um outro homem suspeito da participação nos mesmos factos, que também já está em prisão preventiva.

Em causa está o assalto a uma residência em Moreira de Cónegos, registado em abril de 2013.

Segundo a Polícia Judiciária (PJ), daquele assalto resultou a morte de um homem de 77 anos, que vivia na casa assaltada.

A PJ diz que os suspeitos, com a finalidade de roubar, introduziram-se numa residência durante a noite, onde se encontravam um homem e uma mulher, empregada doméstica.

O homem terá sido espancado e amordaçado, acabando por morrer sufocado.

A empregada também foi agredida e fechada num anexo da habitação.

 

logo Facebook Fique a par das Notícias de Guimarães. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Ave

Famalicão: Idosa que já não era vista há três dias encontrada caída em casa

Ocorrência

em

Foto: Ilustrativa / DR

Uma idosa de 73 anos foi encontrada, ao início da tarde desta terça-feira, caída na sua residência, em Telhado, Famalicão. Ao que O MINHO apurou, não era vista há “três ou quatro dias” e o alerta para os bombeiros dava conta de que a senhora foi encontrada na banheira. Contudo, a queda aconteceu hoje. Foi transportada para o Hospital de Famalicão com ferimentos ligeiros.

Segundo fonte da GNR, os vizinhos não viam a senhora, que vive sozinha, há três dias e, hoje, encontraram-na caída dentro de casa. A mesma fonte adianta, contudo, que a queda aconteceu esta terça-feira.

Alertados às 13:52, os Bombeiros Famalicenses prestaram socorro e transportaram a vítima para o Hospital de Famalicão, sendo considerada ferido ligeiro.

Notícia atualizada às 15h00 com mais informação.

Continuar a ler

Ave

Vizela com centro de rastreio móvel devido à “escalada de infetados”

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

A Câmara de Vizela vai instalar um centro de rastreio `drive thru´ à covid-19 na marginal ribeirinha devido à “escalada do número de infetados”, revelou hoje a autarquia.

Em comunicado, a autarquia explicou que, depois de reunir com a empresa responsável pela instalação do centro – que permite uma deslocação de carro ao ponto de recolha sem entrar em contacto com os profissionais que fazem o teste – e atendendo às necessidades técnicas, ficou estabelecido que a estrutura ficaria na marginal, nomeadamente no parque em frente ao edifício do Castelo.

Por esse motivo, na próxima semana o parque de estacionamento será encerrado para a montagem do equipamento, altura em que começarão os rastreios.

“A instalação deste equipamento vai permitir aumentar a capacidade de testagem no concelho e, desta forma, um maior controlo da pandemia por parte das entidades de saúde”, sublinhou.

Na nota, a câmara vincou que a instalação de um centro `drive thru´ deve-se à “escalada do número de infetados com indicadores que colocam Vizela como um dos concelhos mais afetados do país”.

O centro `drive thru´ destina-se a cidadãos suspeitos de infeção e referenciados pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), recordou.

“Quem não possuir esta prescrição pode requerer o exame assumindo os custos inerentes à sua realização, [mas] em qualquer das situações os cidadãos deverão fazer a sua marcação obrigatória através do contacto 220 125 001”, alertou.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.255.803 mortos em mais de 50,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.959 pessoas dos 183.420 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Guimarães

Gerentes de serralharia em Guimarães ‘desviam’ património para não pagar a credores

Três acusados de insolvência dolosa agravada

em

Foto: Ilustrativa / DR

O Ministério Público acusou de insolvência dolosa agravada três gerentes de uma serralharia em Guimarães por, alegadamente, se terem desfeito de património que deveria servir para pagar aos credores, anunciou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

Segundo nota publicada na página daquela procuradoria na Internet, a empresa foi declarada insolvente em meados de 2014, sendo reconhecidos créditos no montante global 1,3 milhões de euros, sendo mais de 468 mil euros referentes a dívidas aos trabalhadores.

No entanto, os bens apreendidos não foram suficientes para o pagamento integral daqueles créditos, nem sequer os dos trabalhadores, sendo, quanto a estes, o Fundo de Garantia Salarial chamado a assegurar o pagamento de 140 mil euros.

O Ministério Público indiciou que a empresa vinha de uma situação de incumprimento generalizado dos seus compromissos em 2013 e que no início de 2014 os arguidos “engendraram um plano” com vista a evitar que o património da mesma fosse usado para ressarcir os credores.

Na execução do mesmo, os arguidos transferiram para si próprios, para familiares ou para sociedades ligadas a familiares, sem qualquer contrapartida, a propriedade de veículos automóveis ou a posição contratual da sociedade quanto ao uso de tais veículos.

Transferiram também quantias monetárias pertencentes à empresa das contas bancárias desta para outras contas bancárias de que tinham disponibilidade.

Procederam ainda ao despedimento coletivo de trabalhadores, admitindo subsequentemente parte deles como trabalhadores de uma outra empresa gerida por um dos arguidos.

Continuar a ler

Populares