Seguir o O MINHO

Alto Minho

Presidente do Turismo Porto e Norte acompanha vindima de Alvarinho em Melgaço

Dia 14 de setembro

em

Foto: Divulgação / Soalheiro

O presidente do Turismo Porto e Norte de Portugal, Luís Pedro Martins, vai acompanhar a vindima de Alvarinho, em Melgaço, no próximo dia 14, anunciou hoje a marca de vinho Soalheiro.

Em comunicado, a empresa adianta que Luís Pedro Martins irá acompanhar de perto as vindimas e conhecer a nova Adega Soalheiro, “um investimento da marca de cerca de um milhão de euros que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da região do Alvarinho”.

A uva Alvarinho, pese embora as condicionantes que a pandemia impôs à economia, vê assegurada a estabilidade do seu valor para reconhecer o esforço de todos os agricultores e garantir uma viticultura sustentável na região dos Vinhos Verdes.

A Soalheiro destaca que tem vindo a apostar na promoção do Turismo Sustentável, direcionado para a sustentabilidade ambiental, social e económica.

“Esta aposta tem como objetivo dinamizar toda a economia, uma vez que alavanca o aumento do número de turistas na região, motivados não só pela qualidade dos vinhos, mas também pela forte componente ambiental, que, ao visitarem a quinta/adega, acabam também por querer explorar a região”, refere a marca.

“Queremos partilhar com quem nos visita o que o vinho tem para ensinar. Desde a descoberta dos encantos da vinha, da preservação da biodiversidade até aos sistemas de produção tudo é uma aprendizagem que pode ou não terminar com uma prova vínica. trabalhamos para criar uma oferta turística integrada, fundada na qualidade do território, dos produtos e dos serviços”, acrescenta.

Citado no comunicado, o presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal considera que “a gastronomia e os vinhos são um dos produtos mais estruturantes para a consolidação da oferta turística da região e da imagem do destino no contexto nacional”.

“Os números disponíveis demonstram que por via direta ou indireta, a enogastronomia contribui para o índice de fidelização ao destino, a coesão territorial e social, e ainda ajuda a combater a sazonalidade”, conclui.

Populares